BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

medquimheo vitória

shutterstock_1781278841.jpg

Os riscos para pacientes oncológicos ao se contaminarem com Covid-19 se dão pelas maiores chances de complicações pela doença, visto a baixa imunidade das pessoas que tratam o câncer. Segundo um estudo de meta-análise da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), os riscos de óbitos por Covid-19 em pacientes oncológicos são de 26%, contra 2% a 3% da população geral. Nesse sentido, é fundamental que os pacientes adotem as medidas protetivas, a fim de evitar a contaminação e, consequentemente, dar continuidade ao tratamento oncológico

Para te explicar os principais cuidados que os pacientes oncológicos devem tomar para evitar a infecção pelo coronavírus, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Continue lendo para conferir!

Veja também: Tomei a vacina da Covid-19, e agora?

🩺 Quais cuidados adotar para prevenir a contaminação pela Covid-19?

De acordo com o Instituto Oncoguia o principal cuidado para o paciente oncológico deve ser com o tratamento, que não deve ser interrompido e, qualquer decisão deve ser tomada em conjunto com a equipe médica. Para além do tratamento, é preciso avaliar procedimentos cirúrgicos eletivos e adiá-los, quando possível; imunizar os pacientes com a vacina contra a Covid-19 e implementar precauções pessoais para ajudar no controle da proliferação do vírus.  

Para que os cuidados contra o coronavírus sejam estendidos para o dia a dia do paciente oncológico, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) publicou algumas recomendações.

🏠 Ficar em casa quando não for dia de tratamento; 

🤧 Prevenir-se de contato com pessoas gripadas ou resfriadas quando sair;

💉 Vacinar-se contra a Covid-19;

🧼 Lavar as mãos com frequência e por, pelo menos, 20 segundos;

🤦🏼‍♀️ Evitar levar as mãos ao rosto, principalmente, nos olhos, nariz e boa;

🤧 Cobrir nariz e boca ao tossir ou espirrar;

📏 Manter distância segura das pessoas e evitar aperto de mão, abraços e beijos;

🎒 Evitar compartilhar objetos pessoais como toalhas, garrafas e copos, chaves e celulares;

🧴 Higienizar superfícies tocadas com frequência;

😷 Utilizar sempre a máscara, em locais públicos e com desconhecidos.

Caso apresente qualquer sintoma de Covid-19, é fundamental procurar um médico, para que o rastreamento da infecção seja realizado e o tratamento seja iniciado. Quando possível, opte pelo formato de teleconsulta, para resguardar a sua segurança e do profissional que irá atendê-lo. 

#DicaMedquimheo: vacine-se! Os pacientes oncológicos fazem parte do grupo prioritário para receber os imunizantes contra a Covid-19 e, ao se vacinar, é possível evitar as formas graves da doença e dar continuidade ao tratamento de câncer.

💡 Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

5 dicas sobre o que fazer em casa durante a quarentena

Testes de Covid-19: entenda as diferenças entre os exames!

Fonte: Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC).


shutterstock_1880344021.jpg

Os pacientes oncológicos precisam adotar cuidados durante o inverno, visto que nessa estação as doenças respiratórias se proliferam com maior rapidez. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), por ano, gripes e resfriados causam comprometimentos graves em 3,5 milhões de pessoas, principalmente, as que possuem alguma comorbidade ou estejam em tratamentos que impactam a imunidade, como as quimioterapias e radioterapias, que tratam o câncer.

Para te explicar os principais cuidados que os pacientes oncológicos devem adotar no inverno, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Continue lendo para conferir!

Veja também: Aprenda receitas de sopas saudáveis para aquecer o inverno

❄️ Quais cuidados adotar no inverno para evitar doenças respiratórias?

É importante lembrar que, como já falamos, o frio é um clima propício para o aumento de doenças respiratórias, por diversos fatores. As mudanças bruscas de temperatura, poluição ambiental, ar seco e utilização de cobertores guardados há muito tempo são algumas das razões que podem influenciar na proliferação avançada dos vírus. Além disso, a Covid-19 também é uma doença respiratória e, nos pacientes oncológicos, ela pode provocar internações e uma série de complicações. Dessa forma, o cuidado deve ser redobrado.

Pessoas que estão em tratamento de câncer são mais vulneráveis a infecções respiratórias devido a baixa imunidade, por conta dos medicamentos e procedimentos para tratar a doença. Para se prevenir é preciso adotar cuidados como:

🔒 Evitar locais fechados e com aglomerações; 

🤧 Prevenir-se de contato com pessoas gripadas ou resfriadas;

🧥 Manter-se sempre bem agasalhado;

💉 Vacinar-se contra a influenza anualmente;

🧼 Lavar as mãos antes de todas as refeições e evite encostar no rosto com as mãos sujas;

🍉 Optar sempre por alimentos frescos e de procedência confiável;

🥤 Manter-se hidratado.

Caso apresente qualquer sintoma de gripe, resfriado ou Covid-19, é fundamental procurar um médico, para que o rastreamento da infecção seja realizado e o tratamento seja iniciado. Além disso, faça o isolamento para proteger as pessoas à sua volta, visto que as doenças respiratórias, em grande maioria, são contagiosas.  

💡 Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Coronavírus: o que é, sintomas e prevenção

Câncer de pele: sol de inverno também apresenta perigo

Fonte: Oncoguia.


shutterstock_1966086250.jpg

Os cânceres de cabeça e pescoço atingem tumores da cavidade oral, boca, língua, palato mole e duro, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe, esôfago, tireoide e seios paranasais. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a doença, que apresenta alta incidência entre os brasileiros, possui sintomas que se confundem com outras patologias, o que pode configurar diagnósticos tardios e diminuir as chances de cura. Por isso, é de extrema importância realizar consultas regulares, a fim de oportunizar o diagnóstico precoce. 

Para te explicar os principais fatores de risco e sintomas do câncer de cabeça e pescoço, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Continue lendo para conferir!

Veja também: Qual a importância das vacinas para a prevenção do câncer?

🔎 Quais são os fatores de risco para cânceres de cabeça e pescoço?

Os fatores de risco para o surgimento de cânceres de cabeça e pescoço englobam, principalmente, tabagismo e consumo excessivo de bebidas alcoólicas, visto que, cerca de 70% dos casos possuem esse dois fatores como causa. Evitar a infecção pelo papilomavírus (HPV) também é uma forma de prevenir a neoplasia, que, segundo a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), acomete, principalmente, a região orofaringe, que engloba a base da língua, as amídalas e a parte lateral e posterior da garganta.

🩺 Quais são os principais sintomas?

Os sintomas do câncer de cabeça e pescoço podem incluir o surgimento de nódulos, feridas que não se cicatrizam, dor de garganta persistente, dificuldades para engolir e respirar, rouquidão por mais de três semanas e alterações repentinas na voz. Outros sinais que podem indicar tumores nessas regiões são:

  • 👄 Cavidade oral: 

Manchas brancas ou vermelhas na gengiva ou na língua; inchaço da mandíbula sem causa aparente e hemorragias ou dores persistentes na boca.

  • 🗣️ Faringe:

Dificuldades para respirar ou falar; dor ao engolir, dor no pescoço ou garganta; enxaquecas frequentes; zumbido nos ouvidos e problemas de audição.

  • 👃🏽 Cavidade nasal:

Canal nasal obstruído; infecções crônicas que não respondem ao tratamento com antibióticos; sangramentos pelo nariz; dores de cabeça frequentes; inchaço nos olhos e dor persistente nos dentes superiores.

  • 👅 Glândulas salivares:

Inchaço sob o queixo ou ao redor do maxilar; dormência e dor dos músculos da face; incômodo no pescoço persistente.

Caso apresente qualquer desses sintomas, é fundamental procurar um médico, para que o rastreamento do possível tumor seja realizado, o que pode implicar na realização de outros exames clínicos e biópsias mais detalhadas. Para isso, durante a consulta, serão analisados históricos clínicos individuais e familiares, além de exames físicos, com avaliações da cabeça e pescoço

“Para evitar os principais fatores de risco, é necessário incluir hábitos saudáveis na rotina e manter o cartão de vacinação atualizado. É importante frisar que alguns tumores costumam ser assintomáticos na fase inicial da doença, por isso é fundamental manter as consultas periódicas em dia, a fim de aumentar as chances de cura”.  

-Dra. Carolina Conopca, oncologista da Medquimhe.

💡 Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Saiba mais sobre o Câncer de Esôfago

Saiba mais sobre o Câncer de Laringe

Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca).


shutterstock_397255312.jpg

A leitura pode ser uma ótima ferramenta para cuidar da saúde mental, principalmente, neste período de pandemia. Diante do isolamento físico, adotar hábitos que proporcionam relaxamento e prazer são de grande valia. Estudo realizado pela Academia Americana de Neurologia mostra que praticar o hábito de ler ao longo da vida tem associação com o retardo de declínios cognitivos em idades avançadas, além de evitar o surgimento de doenças neurológicas, como por exemplo, o Alzheimer. 

Para te mostrar a importância da leitura e como adotá-la em sua rotina nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Continue lendo para conferir!

Veja também –  Ansiedade: saiba como lidar durante o isolamento

📚 Quais são os benefícios da leitura?

A leitura pode ser benéfica para várias áreas da vida, inclusive para cuidar da saúde mental. O hábito de ler também é capaz de auxiliar no aumento da criatividade e armazenamento de informações. Para os leitores de longas datas, esses efeitos são ainda mais notáveis, é o que diz a pesquisa publicada no periódico Creativity Research Journal. Outro dado interessante aponta aumento da empatia em pessoas engajadas com livros de ficção literária, o que pode promover maior consciência social e respeito ao próximo.

📖 Com incluir a leitura na rotina?

Assim como os exercícios físicos, a leitura é uma atividade que deixa a mente em movimento. Por isso, ela deve ser inserida no dia a dia. Para te ajudar, separamos 5 dicas de como se tornar um leitor assíduo e deixar a sua rotina mais leve e repleta de novas histórias.

⏰ Escolha o melhor horário! Para que a leitura seja produtiva é de suma importância escolher um período do dia em que esteja desperto, para que assim, todos os detalhes da história sejam retidos;

📕 Tenha sempre um livro por perto. Mesmo com a rotina corrida, é possível encontrar um período, ainda que curto, para se dedicar à leitura. Durante o intervalo do trabalho, à espera do transporte e antes de dormir são momentos que podem ser aproveitados;

😍 Opte por temas de seu interesse, pois ler sobre o que gosta é mais atraente no início, até que se torne um hábito. Por outro lado, instigar a curiosidade com temas diferentes te provocam a continuar descobrindo sobre diversos assuntos, antes desconhecidos;

📈 Estabeleça metas de leitura. Para que ler se torne um hábito, é fundamental alinhar objetivos. Comece devagar, com poucas páginas por dia e, aos poucos, aumente os desafios, até finalizar o livro e partir para outro;

👩🏼‍💻 Compartilhe a sua experiência literária. Falar sobre a história lida com outras pessoas ajuda a cumprir o compromisso da leitura, além de ampliar a visão e enxergar pontos de vista diferentes de outros leitores.

A pandemia nos mostrou que é possível se divertir em casa e com segurança. A leitura é uma atividade solitária, mas que pode ser ferramenta de relaxamento e cuidado para quem a pratica.

💡 Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Dicas para manter a qualidade de vida e a saúde mental na quarentena

5 dicas sobre o que fazer em casa durante a quarentena

Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).


shutterstock_1903570186.jpg

A imunização em massa é a peça-chave para a prevenção e proteção coletiva, tanto para a Covid-19, quanto para outras doenças, como o câncer. De acordo com pesquisa realizada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, 92% dos casos de câncer de colo de útero, causados pelo vírus do HPV, poderiam ser evitados com o imunizante. Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), antes da aplicação em massa da vacina contra o vírus  do papiloma humano (HPV), eram registradas cerca de 35 mil mortes por câncer uterino, ao ano, nos países da América e, hoje, 43 deles já administram o imunizante na população em campanhas anuais.

Para te ajudar a entender a importância das vacinas para a prevenção do câncer, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Confira!

Veja também: Tomei a vacina da Covid-19, e agora?

🔎 Quais vacinas ajudam a prevenir o câncer?

As principais vacinas que podem ajudar a prevenir o câncer são: vacina HPV, que protege contra o vírus papiloma, transmissível por relação sexual, que pode causar lesões pré-cancerosas e é o principal causador do câncer de colo de útero; vacina Hepatite B, que causa infecções crônicas e, quem a tem, convive com um risco aumentado de desenvolver câncer de fígado

Essas vacinas, em específico, são administradas desde a infância e devem ter o esquema vacinal seguido de forma correta para garantir a eficácia da imunização. A vacina que protege contra o HPV é aplicada pelo Ministério da Saúde em adolescentes de 9 a 14 anos do público feminino e de 11 a 14 anos do público masculino. Para outras faixas etárias, a vacina está disponível na rede privada. Já a vacina contra a hepatite B é administrada em crianças 24 horas após o parto e a segunda dose deve ser aplicada até os 6 meses.  

É importante citar que a simples ação de completar o cartão de vacina das crianças garante a elas um futuro mais seguro e as protege, de forma completa, contra doenças infecciosas que podem evoluir para um câncer.

#DicaMedquimheo: o Ministério da Saúde criou uma cartilha para informar, de forma detalhada, quais vacinas devem ser administradas durante cada fase da vida, para homens, mulheres e grávidas. 

🦠 Vacinação durante a pandemia

Neste período de pandemia, as campanhas de imunização ocorrem normalmente, para além da vacinação contra a Covid-19. Nesse sentido, a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) publicou algumas dicas para ajudar a manter o esquema vacinal em dia e reforçar a proteção coletiva contra as demais infecções.

📆 Certifique-se de que as vacinas de rotina estão atualizadas: confira os cartões de vacinação ou entre em contato com o serviço de saúde mais próximo para saber se falta alguma vacina;

💉 Se deixou de receber alguma vacina, entre em contato com o serviço de saúde para saber como se imunizar;

👨‍👧‍👧 Apenas uma pessoa deve acompanhar quem será vacinado no serviço de saúde. Proteja-se e proteja os outros usando máscaras;

🤧 Caso teste positivo para Covid-19, fique em casa. O profissional do serviço de saúde irá informar para quando deve programar a vacinação;

😷 Procure saber quais são as medidas que os serviços de saúde têm adotado para proteger as pessoas que estão em busca de vacinação durante a pandemia de Covid-19;

💻 Informe-se! A vacina não diminui as defesas imunológicas; não existe nenhuma evidência de que as atuais vacinas facilitam ou impedem o adoecimento e complicações devido à Covid-19. 

A pandemia nos fez perceber a importância das vacinas para a prevenção de doenças e preservação da vida. Por isso, aproveite as que temos hoje para prevenir alguns tipos de câncer e outras infecções, principalmente, o coronavírus

💡 Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Entenda a importância da doação de sangue na pandemia

Junho Vermelho: mês de conscientização e incentivo à doação de sangue

Fonte: Ministério da Saúde.


shutterstock_1677181513.jpg

junho 2, 2021 Dicas0

Higienização das mãos é um hábito que, apesar de simples, exerce papel fundamental na prevenção da Covid-19 e de diversas outras enfermidades. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que a correta lavagem das mãos é capaz de reduzir em até 40% a contaminação por vírus e bactérias que causam doenças como gripes, resfriados, conjuntivites e viroses. Além disso, a prática também auxilia na prevenção do câncer bucal e é de extrema importância para os pacientes oncológicos, que apresentam baixa imunidade e, com isso, tornam-se mais suscetíveis a infecções.

Diante desse contexto, para te ajudar a transformar a prática de lavar as mãos em um hábito, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial com tudo o que você precisa saber sobre a correta higienização das mãos. Continue lendo para conferir!

Veja também: Como praticar atividade física durante o isolamento?

🧼 Qual é a importância de lavar as mãos?

A higienização correta das mãos é peça fundamental para prevenir que bactérias multirresistentes se espalhem nos ambientes. De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), em países desenvolvidos, as doenças causadas por esses micro-organismos representam de 5% a 10% das internações em hospitais de cuidados agudos. Nos países em desenvolvimento, o risco é de duas a 20 vezes superior e a proporção de pacientes com esse tipo de infecção pode exceder 25%. No Brasil, de acordo com dados da Anvisa, cerca de 25% das infecções registradas são causadas por essas bactérias, que se tornam imunes à ação dos antibióticos.

Nesse contexto, especialistas reforçam que o hábito da correta higienização das mãos exerce papel fundamental na prevenção dessas infecções. Mesmo com os constantes avanços da medicina e da tecnologia dos antibióticos, a lavagem das mãos é a maneira mais eficiente de impedir que uma bactéria passe de uma pessoa para outra. Para os pacientes em tratamento do câncer, o hábito ganha ainda mais destaque, tendo em vista a baixa imunidade que apresentam, o que os tornam mais suscetíveis a essas doenças causadas por micro-organismos. 

💦 Como fazer a correta higienização das mãos?

De acordo com a cartilha de recomendação da Anvisa sobre como higienizar as mãos de maneira correta, é preciso seguir 11 passos simples para garantir que a higienização tenha sido completa. Confira a seguir:

1️⃣ Abra a torneira e molhe as mãos. Evite encostar na pia;

2️⃣ Aplique na palma da mão quantidade suficiente de sabonete líquido para cobrir todas as superfícies das mãos;

3️⃣ Ensaboe as palmas das mãos, friccionando-as entre si;

4️⃣ Esfregue a palma da mão direita contra o dorso da mão esquerda (e vice-versa) entrelaçando os dedos;

5️⃣ Entrelace os dedos e friccione os espaços interdigitais;

6️⃣ Esfregue o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta (e vice-versa), segurando os dedos, com movimento de vai-e-vem;

7️⃣ Esfregue o polegar direito, com o auxílio da palma da mão esquerda (e vice-versa), utilizando movimento circular;

8️⃣ Friccione as polpas digitais e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada em concha (e vice-versa), fazendo movimento circular;

9️⃣ Esfregue o punho esquerdo, com o auxílio da palma da mão direita (e vice-versa), utilizando movimento circular;

🔟 Enxágue as mãos, retirando os resíduos de sabonete. Evite contato direto com a torneira; 

1️⃣1️⃣ Seque as mãos com papel-toalha descartável, começando pelas mãos e seguindo pelos punhos.

💡 Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Automedicação: entenda os riscos

5 dicas sobre o que fazer em casa durante a quarentena

Fonte: Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).


Familia-como-apoio-emocional-.png

A família é a base para todas as fases da vida e não é diferente durante a descoberta do câncer. O tripé que sustenta positivamente o tratamento oncológico inclui: paciente, profissionais especializados e família. Nesse sentido, é de suma importância os familiares e amigos se empenharem para oferecer apoio, conversa e acolhimento durante este momento delicado. O suporte psicológico especializado também é essencial, visto que, de acordo com artigo publicado no site do Instituto Nacional do Câncer (Inca), 20% a 30% dos pacientes com câncer têm ansiedade, depressão, estresse e baixa autoestima em algum momento após o diagnóstico.

Nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial para você, familiar e amigo, com o objetivo de te mostrar que é possível ajudar o paciente oncológico a atravessar o tratamento com mais leveza e oferecer apoio adequado neste período. Confira!

Veja também: Câncer e depressão: entenda a relação!

🩺 Qual a importância do apoio psicológico especializado?

O psicólogo especialista em tratamento oncológico pode contribuir na identificação de medos, dúvidas, expectativas e incertezas do paciente, bem como ofertar um espaço de escuta efetiva e suporte profissional. Nesse contexto, o trabalho também é realizado com a família, que é peça fundamental na assistência da pessoa diagnosticada com câncer e precisa saber a forma correta de lidar com a situação. Dessa forma, o acompanhamento irá proporcionar mais bem-estar ao paciente e familiares, além de auxiliar na compreensão de fatores emocionais que podem intervir na saúde e, consequentemente, no tratamento. 

⚠️ Quais sinais evidenciam a necessidade de ajuda?

Importante citar que a ajuda emocional especializada deve ser priorizada para pacientes de todas as idades, visto que, de acordo com levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria, há um maior número de casos depressivos em adolescentes de 14 a 16 anos, que representam cerca de 59,9% do público desta idade. Os índices podem ser maiores quando se trata de pacientes oncológicos crianças. Nesse sentido, é necessário se atentar a sintomas como tristeza generalizada, desesperança, culpa excessiva, vontade de se isolar e autocríticas exageradas para detectar precocemente quadros clínicos de ansiedade ou depressão.  

👨‍👩‍👧‍👦 Como a família pode oferecer apoio?

O apoio por parte de familiares e amigos deve visar a maior comodidade do paciente, tanto física, quanto mental. Isso implica na presença ativa, encorajamento positivo, escuta efetiva, compartilhamento de informações relevantes sobre temas além do câncer e acolhimento na comunicação e ação. Para te ajudar nessa missão, separamos algumas dicas de como praticar o apoio emocional a um paciente oncológico:

💙 Ofereça-se para ouvir e conversar;

💙 Ajude nas tarefas do dia a dia, mesmo que simples;

💙 Acompanhe nas consultas e tratamentos de rotina;

💙 Incentive a cuidar da alimentação, saúde e autoestima;

💙 Respeite o tempo e espaço do outro;

💙 Seja positivo e engaje-o no convívio social, mesmo que virtualmente.

#DicaMedquimheo: o Inca publicou uma cartilha com dicas para diminuir o estresse durante o tratamento oncológico. Confira!

Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Ansiedade: saiba como lidar durante o isolamento

Saúde mental: quais hábitos adotar para ter uma mente saudável?

Fonte: Instituto Nacional do Câncer (Inca).


Atividade-fisica-como-aliada-a-saude-fisica-e-mental-.png

O isolamento físico é uma das medidas de segurança mais eficazes para evitar o contágio do coronavírus, principalmente para os pacientes oncológicos. No entanto, mesmo em casa, é de suma importância a prática de atividades físicas, para preservar a saúde do corpo e da mente. Um estudo francês citado na Revista Científica SOCESP, evidenciou os prejuízos da falta de mobilidade, visto que houve maior necessidade de ventilação mecânica invasiva em pacientes com Covid-19 que tinham índice de massa corporal (IMC) elevado. Cerca de 85,7% dos pacientes nesta situação apresentavam IMC igual ou superior a 35.

Para te mostrar que, mesmo em isolamento, é possível manter a prática regular de exercícios físicos e preservar a qualidade de vida, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Confira!

Qual a importância da atividade física?

O hábito de praticar exercícios físicos ajuda na liberação de diversos hormônios que beneficiam o corpo humano, como a endorfina, que tem a função de controlar a ansiedade e diminuir o estresse, e a serotonina, que atua em benefício do humor, sono e apetite. Artigo publicado no Jornal Britânico The Guardian afirma que a atividade física influencia positivamente o cérebro de diferentes maneiras, como por exemplo, na memória, concentração, humor e auxilia a preservação de uma mente mais saudável. Além disso, manter-se em movimento ajuda na prevenção e proporciona tratamentos mais leves de doenças como diabetes, hipertensão arterial e doenças respiratórias, que são comorbidades enquadradas no grupo de risco para as formas graves do coronavírus.

Um estudo divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em janeiro deste ano, confirma que o brasileiro se exercita menos do que deveria. O levantamento aponta que, nos últimos 15 anos, um em cada dois adultos (47%) não faz atividades físicas suficientemente. Entre as mulheres, a ociosidade representa, em média, 53,3%, enquanto a inatividade física entre os homens é de 40,4%. Nesse cenário, é de suma importância utilizar o isolamento como oportunidade para tornar o exercício físico um hábito na rotina. 

Como incluir as atividades físicas à rotina?

De acordo com as novas diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre atividade física e comportamento sedentário, é recomendável a prática de pelo menos 150 a 300 minutos de atividade aeróbica moderada a vigorosa por semana, em média, 60 minutos por dia. A intensidade dos exercícios deve se adequar ao preparo físico e condição de saúde da pessoa, para que a prática não seja prejudicial. Separamos algumas dicas para você incluir os exercícios físicos a sua rotina e continuar cuidando da sua saúde:

  • 🩺 Procure um profissional

Antes de iniciar a prática de algum esporte ou atividade física, é preciso consultar especialistas para checar as condições corporais e, assim, exercitar-se com segurança e evitar possíveis contusões.

  • ⏱️ Tenha frequência

Estabeleça metas reais e obedeça o período de adaptação do corpo. Para isso, busque se exercitar sempre nos mesmos horários e encare esse momento como um compromisso que deve ser cumprido.

  • 🏋🏽‍♀️ Escolha uma modalidade que agrade 

O ideal é combinar atividades aeróbicas, de força e equilíbrio, mas todas as práticas que movimentam o corpo são válidas. Dança, yoga e alongamentos são alguns exercícios que podem ser praticados em casa e ajudam a ter uma rotina mais saudável.

  • 🥪 Alimente-se bem

Para que a prática de atividades físicas seja efetivamente positiva, é fundamental adotar uma alimentação saudável. Prefira alimentos naturais e lanche pelo menos uma hora e meia antes dos treinos, para não atrapalhar o rendimento nos exercícios. Além disso, é necessário priorizar a hidratação.

  • 🤸🏼‍♂️ Exercite-se em companhia

Neste período de pandemia é preciso cumprir o isolamento, a fim de evitar a contaminação do coronavírus, mas ainda sim, é possível se exercitar em companhia de amigos e familiares. Escolha a atividade a ser praticada, faça uma chamada de vídeo e dê o play no cronômetro para movimentar o corpo.

Aqui no Blog você confere outros conteúdos:

Ansiedade: saiba como lidar durante o isolamento

Dicas para manter a qualidade de vida e a saúde mental na quarentena

Fonte: Ministério da Saúde.


vacinacao-contra-covid-19.png

De acordo com o Mapa de Vacinação do Brasil, 16,96% da população brasileira já recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19 e 8,54% receberam a segunda dose. Entretanto, a adoção às medidas de segurança devem continuar, a fim de evitar o contágio do coronavírus. De acordo com o Ministério da Saúde, as vacinas contra a Covid-19 reduzem o risco de desenvolvimento da forma grave da doença e, ainda que vacinadas, essas pessoas podem ser infectadas e transmitir o vírus, mesmo que não apresentem sinais ou desenvolvam sintomas leves.

Neste momento, é precioso ter consciência coletiva para que, mesmo imunizado, adote-se as medidas que visam a proteção de todos. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), são necessários cerca de 60 a 75% da população vacinada para atingirmos a imunidade de rebanho – imunização coletiva mínima para reduzir o número de transmissão do vírus.

Para te mostrar os cuidados que devem ser tomados para evitar a infecção e reinfecção do coronavírus, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Confira!

Veja também: Testes de Covid-19: entenda as diferenças entre os exames!

Quais medidas de proteção devo adotar? 

Desde o início da pandemia, muito se fala dos hábitos de higiene que devem ser adotados para prevenir a contaminação do coronavírus e manter os ambientes mais seguros. Veja quais são:

  • 👩🏼‍💻 Mantenha o distanciamento físico

Estudo publicado na Revista científica The Lancet, que analisou medidas de isolamento como quarentena para indivíduos infectados, fechamento de escolas e trabalho em home office, confirmou que houve redução de 99,3% de infecções no período de duas semanas. Por isso, evite lugares com aglomeração, principalmente, em ambientes fechados. Caso precise sair, mantenha-se a pelo menos um metro de distância das pessoas.

#DicaMedquimheo: isolar-se em casa para se manter em segurança não significa estar sozinho. Faça uso dos aplicativos de videochamada e esteja próximo de seus amigos e familiares, mesmo que virtualmente. Qualquer maneira de demonstrar carinho acolhe. ❤️

  • 🧼 Higienize as mãos

Especialistas apontam que lavar bem as mãos com água corrente e sabão ou higienizar com álcool gel 70% impede, consideravelmente, a disseminação do vírus, visto que, a transmissão ocorre quando a mão contaminada toca a mucosa da boca, do nariz ou dos olhos. Além disso, o vírus da Covid-19 também pode ser transferido de uma superfície para outra, nesse sentido, sempre que tocar em objetos ou lugares, principalmente, públicos, higienize as mãos.

  • 😷 Use máscara

Estudo realizado por pesquisadores da UFRGS, UFPel, UFSCPA e Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre (SMS), intitulado Distanciamento social, uso de máscara e a transmissão de SARS-CoV-2: um estudo de caso-controle com base na população, afirma que o uso de máscara reduz em até 87% os riscos de exposição ao vírus, especialmente, de indivíduos assintomáticos que transmitem a doença. O ideal é usá-la de forma que fique fixa e cubra nariz, boca, bochechas e queixo.

As máscaras variam de cor, tecido e modelo, mas o que deve ser priorizado na hora da escolha é a eficácia da proteção do material usado na fabricação. Atualmente, recomenda-se a utilização de duas máscaras de tecido ou modelos como a N95, que são mais usadas por profissionais da saúde, mas têm o mesmo objetivo: inibir o compartilhamento de partículas de ar.

  • 🤒 Adote as etiquetas respiratórias

A educação deve direcionar as nossas ações, para que a convivência seja harmoniosa. Nesse sentido, a etiqueta respiratória consiste em hábitos que, se adotados, podem evitar a disseminação de gotículas contaminadas vindas de espirros e tosses. As ações incluem:

📌 Cobrir o nariz e boca com o antebraço ao tossir ou espirrar;

📌 Evitar tocar os olhos, nariz e boca com as mãos sem higienizá-las;

📌 Manter uma distância mínima de um metro e meio de pessoas que estejam tossindo ou espirrando;

📌 Optar por manter a distância entre pessoas, mesmo que conhecidas;

📌 Higienizar com frequência objetos pessoais como aparelhos eletrônicos, chaves, sapatos, bonés e bolsas.

  • 📲 Cheque as informações

Com o objetivo de preservar a saúde mental, é de suma importância consumir notícias de fontes confiáveis. Para isso, procure sempre se informar por meio de sites de órgãos oficiais ou veículos de comunicação reconhecidos. O site Todos Pelas Vacinas, por exemplo, disponibiliza materiais de orientação que respondem às principais dúvidas sobre a vacinação no Brasil e, consequentemente, ajudam a combater a desinformação acerca do assunto. 

Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Descubra as principais medidas de prevenção ao coronavírus no trabalho

Máscara de proteção: entenda qual é o tipo ideal para cada ocasião

Fonte: Ministério da Saúde.


Dia-Nacional-de-Prevencao-e-Combate-a-Hipertensao-Arterial.jpg

Em 26 de abril é celebrado o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), no Brasil, cerca de 30% da população com mais de 40 anos pode ter pressão arterial elevada e este é o principal fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC). Além disso, a hipertensão apresenta perigos para os pacientes oncológicos, visto que estudiosos avaliam a relação entre os tratamentos de câncer e o surgimento ou agravamento da hipertensão arterial.

Para te mostrar que é possível prevenir a pressão alta e ter uma melhor qualidade de vida, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial.

O que é hipertensão arterial?

Conhecida popularmente como pressão alta, trata-se de uma doença crônica e degenerativa, caracterizada pelos altos níveis de pressão sanguínea nas artérias. De acordo com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), uma pessoa é considerada hipertensa quando sua pressão sistólica – termo técnico que se refere a contração do coração -, é maior que 140 milímetros de mercúrio (mmHg) ou a diastólica, que significa o relaxamento entre um batimento cardíaco e outro, é igual ou maior que 90 mmHg.

Assim como em pacientes sem diagnóstico de câncer, a hipertensão está associada a eventos agudos, como insuficiência cardíaca, acidente vascular encefálico, crises hipertensivas, síndromes coronarianas agudas e insuficiência renal, de acordo com pesquisas do Núcleo de Cardio-Oncologia do Hospital Sírio Libanês. Confira alguns números e níveis da hipertensão:

📌 Pressão sistólica (mmHg):

  • Normal = 120 ou menor;
  • Pré-hipertensão = 121 a 139;
  • Hipertensão estágio 1 = 140 a 159;
  • Hipertensão estágio 2 = 160 a 179;
  • Crise hipertensiva = 180 ou maior.

📌 Pressão diastólica (mmHg):

  • Normal = 80 ou menor;
  • Pré-hipertensão = 81 a 89;
  • Hipertensão estágio 1 = 90 a 99;
  • Hipertensão estágio 2 = 100 a 109;
  • Crise hipertensiva = 110 ou maior.

Hábitos que previnem a hipertensão arterial

Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa da Associação Beneficente Síria HCor, aponta que os problemas cardiovasculares, que podem surgir devido a pressão alta, representam cerca de 300 mil mortes por ano no Brasil e 50% dos hipertensos não sabem que possuem a doença. Por isso, a chave para uma vida mais saudável é a prevenção.

🤸🏼‍♂️ Pratique exercícios físicos

De acordo com o Ministério da Saúde, 20 a 30% dos casos de hipertensão arterial podem ser explicados pelo excesso de peso. Nesse sentido, a prática regular de exercícios físicos podem auxiliar no controle da pressão e na redução do surgimento de doenças associadas à hipertensão.

❌ Evite fumar e consumir bebidas alcóolicas

O vício do fumo e da ingestão de bebidas alcoólicas podem aumentar os riscos da elevação da pressão arterial, além de ser prejudicial para os pacientes oncológicos, em tratamento ou curados.

🥗 Tenha uma alimentação saudável

Uma alimentação balanceada deve incluir alimentos livres de agrotóxicos e minimamente processados, como frutas, legumes, verduras, laticínios e oleaginosas. A escolha de bons alimentos desempenha um papel importante para o controle da hipertensão. Para isso, é preciso diminuir o consumo de sódio, que está presente nos enlatados e embutidos, como salame, mortadela, presunto, salsicha, pipoca de microondas, macarrão instantâneo e refrigerantes diet e zero.

Opte por uma rotina alimentar saudável e crie o hábito de se exercitar, a fim de preservar a saúde arterial e ter mais qualidade de vida.

Conheça nosso blog!

Aqui no Blog você confere outros conteúdos:

 Hipertensão: causas, sintomas e como prevenir!

Dia da Saúde e da Nutrição: saiba como ter uma alimentação mais saudável

Fonte: Ministério da Saúde.