BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

doação de sangue

shutterstock_1929693059.jpg

O sangue seguro deve ser um direito de todos, visto que é um elemento vital e serve de suporte para tratamentos oncológicos, intervenções cirúrgicas e quadros clínicos emergenciais. O ato de doar sangue é simples e pode salvar até 4 vidas, de acordo com dados do Ministério da Saúde. No entanto, o órgão também evidencia as baixas taxas de doação – apenas 16 a cada mil pessoas são doadoras no Brasil. Neste período de pandemia, houve, ainda, uma redução de 20% de voluntários. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), em nível global, 42% do sangue coletado é de países de alta renda, que abrigam apenas 16% da população mundial.

Nesse sentido, a Assembleia Mundial da Saúde instituiu o Dia Mundial do Doador de Sangue, celebrado em 14 de junho, que tem como principal objetivo aumentar a conscientização da sociedade sobre a necessidade de contribuir, como voluntários, na doação de sangue. O slogan da campanha de 2021 é “Doe sangue para que o mundo continue pulsando” e visa a agradecer aos doadores de todo mundo e sensibilizá-los para a importância da doação como ferramenta para salvar vidas e proporcionar mais saúde às pessoas. 

Para te ajudar a entender mais detalhes sobre o tema e saber os requisitos para se tornar um doador, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Confira!

Veja também: Descubra mitos e verdades sobre a leucemia

🔎 Qual a importância da data para os pacientes oncológicos?

Para os pacientes oncológicos, é comum necessitar de uma transfusão sanguínea, principalmente, aqueles que enfrentam cânceres hematológicos, como por exemplo, a leucemia aguda, já que a doença se origina na medula óssea, órgão em que o sangue é produzido. No entanto, a doação também  é de grande valia para casos de cirurgias oncológicas e procedimentos de quimioterapia. 

💉 Pacientes oncológicos podem doar?

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), neoplasias malignas, como o câncer, são impeditivos definitivos para a doação sanguínea, visto que a ação deve proporcionar segurança a todos, e o paciente oncológico pode ser prejudicado ao doar, já que se encontra, na maioria dos casos, vulnerável e necessitado da doação. Além disso, o uso de medicamentos para o tratamento contra o câncer pode ser prejudicial ao receptor.

🦠 Doação de sangue em período de pandemia

De acordo com o Ministério da Saúde, estima-se que neste período de pandemia houve queda de 20% no total de doações de sangue, se comparado ao ano anterior. Em contrapartida, tornou-se ainda mais necessário a doação, visto o aumento da demanda por produtos sanguíneos para o tratamento da Covid-19 e outras doenças, como o câncer. Dessa forma, procure o hemocentro mais próximo de você, adote as medidas de segurança e mantenha o hábito de doar e compartilhar a vida com aqueles que precisam. 

🤔 Quem pode doar?

Antes de doar, efetivamente, os voluntários passam por uma triagem para avaliação da saúde. Para isso,  é preciso se encaixar em alguns quesitos, como:

🩺 Estar em boas condições de saúde;

👨‍👧‍👧 Ter entre 16 e 69 anos. Para os idosos, é necessário que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos de idade;

⚖️ Pesar no mínimo 50kg;

🥗 Estar alimentado. É preferível evitar alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação.

É importante citar que neste período de pandemia, outros requisitos foram estabelecidos temporariamente para garantir maior segurança aos doadores e receptores.

🤧 Em casos de sintomas gripais, é preciso aguardar 7 dias após o desaparecimento dos sinais para doar;

🤰🏽 Grávidas e puérperas devem aguardar até 12 meses após o parto para realizar a doação;

🦠 Pessoas infectadas pelo coronavírus devem aguardar 30 dias após a recuperação da doença para fazer a doação;

💉 Vacinados contra a Covid-19 só devem doar entre 48h e 7 dias após cada dose, a depender de qual vacina foi ministrada.

💡 Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Entenda a importância da doação de sangue na pandemia

Junho Vermelho: mês de conscientização e incentivo à doação de sangue

Fonte: Ministério da Saúde.


vacinacao-contra-covid-19.png

De acordo com o Mapa de Vacinação do Brasil, 16,96% da população brasileira já recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19 e 8,54% receberam a segunda dose. Entretanto, a adoção às medidas de segurança devem continuar, a fim de evitar o contágio do coronavírus. De acordo com o Ministério da Saúde, as vacinas contra a Covid-19 reduzem o risco de desenvolvimento da forma grave da doença e, ainda que vacinadas, essas pessoas podem ser infectadas e transmitir o vírus, mesmo que não apresentem sinais ou desenvolvam sintomas leves.

Neste momento, é precioso ter consciência coletiva para que, mesmo imunizado, adote-se as medidas que visam a proteção de todos. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), são necessários cerca de 60 a 75% da população vacinada para atingirmos a imunidade de rebanho – imunização coletiva mínima para reduzir o número de transmissão do vírus.

Para te mostrar os cuidados que devem ser tomados para evitar a infecção e reinfecção do coronavírus, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Confira!

Veja também: Testes de Covid-19: entenda as diferenças entre os exames!

Quais medidas de proteção devo adotar? 

Desde o início da pandemia, muito se fala dos hábitos de higiene que devem ser adotados para prevenir a contaminação do coronavírus e manter os ambientes mais seguros. Veja quais são:

  • 👩🏼‍💻 Mantenha o distanciamento físico

Estudo publicado na Revista científica The Lancet, que analisou medidas de isolamento como quarentena para indivíduos infectados, fechamento de escolas e trabalho em home office, confirmou que houve redução de 99,3% de infecções no período de duas semanas. Por isso, evite lugares com aglomeração, principalmente, em ambientes fechados. Caso precise sair, mantenha-se a pelo menos um metro de distância das pessoas.

#DicaMedquimheo: isolar-se em casa para se manter em segurança não significa estar sozinho. Faça uso dos aplicativos de videochamada e esteja próximo de seus amigos e familiares, mesmo que virtualmente. Qualquer maneira de demonstrar carinho acolhe. ❤️

  • 🧼 Higienize as mãos

Especialistas apontam que lavar bem as mãos com água corrente e sabão ou higienizar com álcool gel 70% impede, consideravelmente, a disseminação do vírus, visto que, a transmissão ocorre quando a mão contaminada toca a mucosa da boca, do nariz ou dos olhos. Além disso, o vírus da Covid-19 também pode ser transferido de uma superfície para outra, nesse sentido, sempre que tocar em objetos ou lugares, principalmente, públicos, higienize as mãos.

  • 😷 Use máscara

Estudo realizado por pesquisadores da UFRGS, UFPel, UFSCPA e Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre (SMS), intitulado Distanciamento social, uso de máscara e a transmissão de SARS-CoV-2: um estudo de caso-controle com base na população, afirma que o uso de máscara reduz em até 87% os riscos de exposição ao vírus, especialmente, de indivíduos assintomáticos que transmitem a doença. O ideal é usá-la de forma que fique fixa e cubra nariz, boca, bochechas e queixo.

As máscaras variam de cor, tecido e modelo, mas o que deve ser priorizado na hora da escolha é a eficácia da proteção do material usado na fabricação. Atualmente, recomenda-se a utilização de duas máscaras de tecido ou modelos como a N95, que são mais usadas por profissionais da saúde, mas têm o mesmo objetivo: inibir o compartilhamento de partículas de ar.

  • 🤒 Adote as etiquetas respiratórias

A educação deve direcionar as nossas ações, para que a convivência seja harmoniosa. Nesse sentido, a etiqueta respiratória consiste em hábitos que, se adotados, podem evitar a disseminação de gotículas contaminadas vindas de espirros e tosses. As ações incluem:

📌 Cobrir o nariz e boca com o antebraço ao tossir ou espirrar;

📌 Evitar tocar os olhos, nariz e boca com as mãos sem higienizá-las;

📌 Manter uma distância mínima de um metro e meio de pessoas que estejam tossindo ou espirrando;

📌 Optar por manter a distância entre pessoas, mesmo que conhecidas;

📌 Higienizar com frequência objetos pessoais como aparelhos eletrônicos, chaves, sapatos, bonés e bolsas.

  • 📲 Cheque as informações

Com o objetivo de preservar a saúde mental, é de suma importância consumir notícias de fontes confiáveis. Para isso, procure sempre se informar por meio de sites de órgãos oficiais ou veículos de comunicação reconhecidos. O site Todos Pelas Vacinas, por exemplo, disponibiliza materiais de orientação que respondem às principais dúvidas sobre a vacinação no Brasil e, consequentemente, ajudam a combater a desinformação acerca do assunto. 

Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Descubra as principais medidas de prevenção ao coronavírus no trabalho

Máscara de proteção: entenda qual é o tipo ideal para cada ocasião

Fonte: Ministério da Saúde.


doacao-sangue-fim-de-ano.jpg

dezembro 9, 2020 Hematologia1

Doar sangue é um gesto nobre de empatia e amor ao próximo. No entanto, nos períodos de fim de ano, devido às comemorações e férias, os bancos de sangue e hospitais registram baixa no estoque de sangue disponível. Além disso, por causa do cenário de pandemia, muitos doadores temem pela segurança e evitam realizar a doação.

Como a doação de sangue fica ainda mais importante no final do ano, nós, do Blog da Medquimheo, preparamos conteúdo especial com tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Ao longo deste post você vai esclarecer todas as suas dúvidas sobre doar sangue. Vamos lá?

Por que é importante doar sangue?

Ao doar sangue, você dá esperança de vida e saúde a quem mais precisa. Com esse simples gesto, é possível salvar até 4 vidas. Segundo o Ministério da Saúde, apenas 1,6% da população brasileira doa sangue, sendo que 34% das doações são para ajudar amigos e familiares. Doar é um gesto nobre, que se torna ainda mais precioso para vidas que nem conhecemos. Evite esperar um nome ou rosto conhecido para ser incentivado a praticar esse gesto, porque enquanto você está lendo isso, uma pessoa pode precisar de você!

Quem pode doar sangue?

Para doar sangue você deve levar um documento oficial de identidade com foto, estar com bom estado de saúde e ter entre 16 e 69 anos. Há duas restrições: os menores de 18 anos precisam da autorização dos responsáveis legais e a primeira doação deve ser feita, obrigatoriamente, até os 60 anos.

O interessado também precisa preencher um cadastro com informações básicas e responder a um questionário. Em seguida, passará por uma triagem para examinar sinais vitais como pressão arterial, pulso e temperatura. O espaço de tempo entre as doações para aqueles que já são doadores de sangue é de dois meses para os homens e três meses para as mulheres.

É seguro doar sangue na pandemia?

A resposta para essa dúvida é sim! Os locais de doação de sangue em todo o país têm adotado todas as medidas de prevenção ao coronavírus para garantir a segurança dos doadores. Ainda assim, dados alarmantes do Ministério da Saúde apontam que os hemocentros registraram uma queda de 30% em volume de doações este ano.

Esses números podem aumentar ainda mais no final do ano. Por isso, reforçamos: se você puder, doe sangue, salve vidas!

Conheça nosso blog

Nosso blog é cheio de posts para te manter sempre bem informado. Aproveite mais conteúdos:

Entenda a importância da doação de sangue na pandemia

 

Fonte: Dra. Alessandra Prezotti, hematologista da Medquimheo, CRM: 6782 ES.


importancia-da-doaçao-de-sangue-no-fim-de-ano.jpg

Festas de fim de ano e férias são períodos em que os bancos de sangue e hospitais registram baixa no estoque de sangue disponível. E é exatamente essa a época de maior utilização de sangue! Isso acontece por conta dos elevados índices de acidentes e imprudências no trânsito, entre outros fatores.

Como a doação de sangue fica ainda mais importante no fim de ano, nós, da Medquimheo, preparamos um post para esclarecer todas as suas dúvidas sobre esse gesto de solidariedade.

Por que é importante doar sangue?

Doar sangue é um gesto de solidariedade muito importante, já que com apenas uma doação é possível salvar até três vidas! 

É seguro doar sangue? 

Sim, doar sangue é seguro! Todo o processo de coleta de sangue do doador é feito com materiais descartáveis e de uso único, evitando o risco de contaminação. 

Não se preocupe! Doar sangue não prejudica a saúde do doador. Durante o processo, são coletados menos de 10% do volume total de sangue do seu corpo, o que corresponde a, aproximadamente, 450 ml de sangue. 

Quanto tempo dura a doação de sangue? 

Todo o processo de doação de sangue, que envolve cadastramento, aferição de sinais vitais, triagem clínica, coleta de sangue e lanche, leva cerca de 40 minutos. 

O que é feito com o sangue doado?

Com apenas uma doação de sangue é possível salvar três vidas. Isso só se torna possível porque o sangue coletado sofre separações em laboratório. Assim, ele é dividido em: concentrado de hemácias, concentrado de plaquetas e plasma.

Quem pode doar sangue?

Para ser um doador de sangue é preciso ter entre 16 e 69 anos, ter peso acima dos 50 kg, não estar em jejum e não apresentar histórico de doenças sexualmente transmissíveis pelo sangue. 

Ressaltamos que pessoas entre 16 e 18 anos precisam de autorização dos pais ou do responsável legal.

Quem não pode doar sangue? 

Pessoas com infecções, que tenham passado por procedimentos cirúrgicos recentes e que apresentem histórico de anemia são exemplos de pessoas que não podem doar sangue

Além disso, o doador será avaliado com um questionário e, após a entrevista, o profissional triagista avaliará se poderá ou não fazer a doação de sangue 

Que tal aproveitar o final de ano e presentear quem precisa com sua doação de sangue

Gostou do post? Então fique por aqui e aproveite outros dois conteúdos do nosso Blog que preparamos para você:

Quem pode doar sangue? Descubra todos os requisitos!

Doar sangue: um ato seguro que pode salvar muitas vidas!

Fonte: Alessandra Nunes Prezotti, hematologista – CRM: 6782 ES


Junho-vermelho.jpg

Você sabe o que é o Junho Vermelho? A Organização Mundial de Saúde (OMS) celebra no dia 14 de junho o Dia Mundial do Doador de Sangue. O intuito é sensibilizar as pessoas e ressaltar a importância da doação de sangue, que salva vidas.

Um dos principais objetivos da campanha é alertar para a importância de fazer a doação em junho. O ato de doar sangue é fundamental para que sejam realizadas intervenções médicas urgentes de grande porte e complexidade, como transfusões, transplantes e procedimentos oncológicos.

A doação de sangue pode salvar a vida de pacientes com doenças crônicas graves, como Doença Falciforme e Talassemia, ajudando essas pessoas a viverem por mais tempo e com mais qualidade e bem-estar. O sangue também é de vital importância para tratar feridos em situações de emergência ou calamidades.

Como é feita a doação de sangue

A hematologista da Medquimheo, Alessandra Prezoti, ressalta que a doação de sangue é um ato simples e rápido, mas de extrema importância. “A coleta leva em torno de 10 minutos. O procedimento é totalmente seguro e não oferece riscos, porque nenhum material usado é reutilizado. O sangue passa por testes para detectar impurezas que podem prejudicar o receptor e, só depois de uma avaliação positiva, ele é utilizado”, acrescentou.

Requisitos para doação

Um dos requisitos para doar sangue é ter entre 16 e 69 anos. Há duas restrições: os menores de 18 anos precisam da autorização dos responsáveis legais e a primeira doação deve ser feita, obrigatoriamente, até os 60 anos.

O interessado precisa apresentar um documento original com foto, preencher um cadastro com informações básicas e responder a um questionário. Em seguida, passará por uma triagem para examinar sinais vitais como pressão, pulso e temperatura. O espaço de tempo entre as doações para aqueles que já são doadores são de dois meses para os homens e três meses para as mulheres.

Fonte: Alessandra Nunes Loureiro Prezotti, hematologista, CRM-ES 6782.


doacao-de-sangue.jpg

Dados do Ministério da Saúde mostram que, atualmente, 1,6% da população brasileira é doador de sangue. Jovens com idade entre 18 e 29 anos são maioria – 42% do total de doações registradas no país. O Brasil está dentro dos parâmetros exigidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que impõe que pelo menos 1% da população deve ser doadora. Contudo, a meta é sempre aumentar esses números e, por isso, a Medquimheo explica quem pode e como funciona o procedimento de doação de sangue!

Como doar sangue?

Para doar sangue, basta procurar as unidades de coleta, os Hemocentros. Ao chegar lá, será realizada uma checagem, pois existem alguns requisitos necessários para a doação de sangue.

Quem pode doar sangue?

É necessário ter entre 16 e 69 anos, entretanto, os menores de 18 anos precisam da autorização dos responsáveis legais e a primeira doação deve ser feita obrigatoriamente até os 60 anos. Além disso, é preciso pesar, no mínimo, 50 quilos e estar em bom estado de saúde. O interessado deve estar descansado, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 últimas horas e não estar de jejum.

A hematologista da Medquimheo, Alessandra Prezoti, passa algumas recomendações para o dia da doação. “No dia da doação de sangue, o candidato deve apresentar um documento original com foto, preencher um cadastro com informações básicas e responder a um questionário. Em seguida, ele passará por uma triagem para examinar sinais vitais como pressão, pulso e temperatura”, conta.

A entrega da Carteira do Doador é entregue após 20 dias da doação.

Como funciona o procedimento?

A doação de sangue é um ato simples e rápido, mas de extrema importância. “O procedimento é totalmente seguro e não há riscos para o doador, porque nenhum material é reutilizado. A coleta leva em torno de 10 minutos. Depois de coletado, o sangue passa por alguns testes para detectar impurezas que podem prejudicar o receptor e, só depois de voltarem com resultados, é que a bolsa é utilizada”, completa Alessandra.

Qual a frequência da doação de sangue?

A frequência máxima é de quatro doações anuais para o homem e de três doações anuais para a mulher. O intervalo mínimo deve ser de dois meses para eles e de três para elas.

Doe sangue e salve vidas! Para continuar sempre bem informado, não deixe de continuar acompanhando os posts do blog.

Fonte: Alessandra Nunes Prezotti, hematologista – CRM: 6782 ES


doacao-de-sangue-medquimheo-e1548250757141.jpg

Com a chegada das férias, os hemocentros de todo o país já começam a registrar baixas nos estoques. Em janeiro, as doações de sangue caem por conta de viagens e, ao mesmo tempo, a procura é maior em razão do aumento do número de acidentes. Por isso, a Medquimheo reforça a importância da doação de sangue.

Pacientes que fazem tratamentos como quimioterapia ou fizeram transplante de medula óssea, e também aqueles que passaram por cirurgias, necessitam regularmente de transfusões de sangue. A hematologista da Medquimheo, Alessandra Prezoti, explica que a doação de sangue é um ato seguro e que uma única doação pode salvar até quatro vidas.

“O procedimento para doação de sangue é bem simples, rápido e totalmente seguro. Não há riscos para o doador, porque nenhum material usado na coleta do sangue é reutilizado. Nesta época do ano, as doações caem por conta das viagens. Por isso, a conscientização é tão importante”, completa.

Os tipos sanguíneos O positivo e negativo são os mais procurados. Para doar sangue, procure uma unidade de coleta mais próxima a você. Não esqueça de levar os documentos pessoais!

Quem pode doar?

Podem doar pessoas com idade entre 16 e 69 anos, sendo que a primeira doação deve ser feita obrigatoriamente até os 60 anos. Menores de 18 anos só podem doar com a autorização dos responsáveis legais. Todo doador deve apresentar um documento original com foto.

Se o voluntário tiver almoçado, o procedimento deve ser feito três horas depois. E se for um doador frequente, ele deve obedecer ao intervalo para doação, que deve ser de dois meses para homens e de três meses para mulheres.

Doe sangue e salve vidas!

Fonte: Alessandra Nunes Prezotti, hematologista – CRM: 6782 ES