BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

Tratamento do câncer

shutterstock_1929693059.jpg

O sangue seguro deve ser um direito de todos, visto que é um elemento vital e serve de suporte para tratamentos oncológicos, intervenções cirúrgicas e quadros clínicos emergenciais. O ato de doar sangue é simples e pode salvar até 4 vidas, de acordo com dados do Ministério da Saúde. No entanto, o órgão também evidencia as baixas taxas de doação – apenas 16 a cada mil pessoas são doadoras no Brasil. Neste período de pandemia, houve, ainda, uma redução de 20% de voluntários. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), em nível global, 42% do sangue coletado é de países de alta renda, que abrigam apenas 16% da população mundial.

Nesse sentido, a Assembleia Mundial da Saúde instituiu o Dia Mundial do Doador de Sangue, celebrado em 14 de junho, que tem como principal objetivo aumentar a conscientização da sociedade sobre a necessidade de contribuir, como voluntários, na doação de sangue. O slogan da campanha de 2021 é “Doe sangue para que o mundo continue pulsando” e visa a agradecer aos doadores de todo mundo e sensibilizá-los para a importância da doação como ferramenta para salvar vidas e proporcionar mais saúde às pessoas. 

Para te ajudar a entender mais detalhes sobre o tema e saber os requisitos para se tornar um doador, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Confira!

Veja também: Descubra mitos e verdades sobre a leucemia

🔎 Qual a importância da data para os pacientes oncológicos?

Para os pacientes oncológicos, é comum necessitar de uma transfusão sanguínea, principalmente, aqueles que enfrentam cânceres hematológicos, como por exemplo, a leucemia aguda, já que a doença se origina na medula óssea, órgão em que o sangue é produzido. No entanto, a doação também  é de grande valia para casos de cirurgias oncológicas e procedimentos de quimioterapia. 

💉 Pacientes oncológicos podem doar?

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), neoplasias malignas, como o câncer, são impeditivos definitivos para a doação sanguínea, visto que a ação deve proporcionar segurança a todos, e o paciente oncológico pode ser prejudicado ao doar, já que se encontra, na maioria dos casos, vulnerável e necessitado da doação. Além disso, o uso de medicamentos para o tratamento contra o câncer pode ser prejudicial ao receptor.

🦠 Doação de sangue em período de pandemia

De acordo com o Ministério da Saúde, estima-se que neste período de pandemia houve queda de 20% no total de doações de sangue, se comparado ao ano anterior. Em contrapartida, tornou-se ainda mais necessário a doação, visto o aumento da demanda por produtos sanguíneos para o tratamento da Covid-19 e outras doenças, como o câncer. Dessa forma, procure o hemocentro mais próximo de você, adote as medidas de segurança e mantenha o hábito de doar e compartilhar a vida com aqueles que precisam. 

🤔 Quem pode doar?

Antes de doar, efetivamente, os voluntários passam por uma triagem para avaliação da saúde. Para isso,  é preciso se encaixar em alguns quesitos, como:

🩺 Estar em boas condições de saúde;

👨‍👧‍👧 Ter entre 16 e 69 anos. Para os idosos, é necessário que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos de idade;

⚖️ Pesar no mínimo 50kg;

🥗 Estar alimentado. É preferível evitar alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação.

É importante citar que neste período de pandemia, outros requisitos foram estabelecidos temporariamente para garantir maior segurança aos doadores e receptores.

🤧 Em casos de sintomas gripais, é preciso aguardar 7 dias após o desaparecimento dos sinais para doar;

🤰🏽 Grávidas e puérperas devem aguardar até 12 meses após o parto para realizar a doação;

🦠 Pessoas infectadas pelo coronavírus devem aguardar 30 dias após a recuperação da doença para fazer a doação;

💉 Vacinados contra a Covid-19 só devem doar entre 48h e 7 dias após cada dose, a depender de qual vacina foi ministrada.

💡 Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Entenda a importância da doação de sangue na pandemia

Junho Vermelho: mês de conscientização e incentivo à doação de sangue

Fonte: Ministério da Saúde.


Familia-como-apoio-emocional-.png

A família é a base para todas as fases da vida e não é diferente durante a descoberta do câncer. O tripé que sustenta positivamente o tratamento oncológico inclui: paciente, profissionais especializados e família. Nesse sentido, é de suma importância os familiares e amigos se empenharem para oferecer apoio, conversa e acolhimento durante este momento delicado. O suporte psicológico especializado também é essencial, visto que, de acordo com artigo publicado no site do Instituto Nacional do Câncer (Inca), 20% a 30% dos pacientes com câncer têm ansiedade, depressão, estresse e baixa autoestima em algum momento após o diagnóstico.

Nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial para você, familiar e amigo, com o objetivo de te mostrar que é possível ajudar o paciente oncológico a atravessar o tratamento com mais leveza e oferecer apoio adequado neste período. Confira!

Veja também: Câncer e depressão: entenda a relação!

🩺 Qual a importância do apoio psicológico especializado?

O psicólogo especialista em tratamento oncológico pode contribuir na identificação de medos, dúvidas, expectativas e incertezas do paciente, bem como ofertar um espaço de escuta efetiva e suporte profissional. Nesse contexto, o trabalho também é realizado com a família, que é peça fundamental na assistência da pessoa diagnosticada com câncer e precisa saber a forma correta de lidar com a situação. Dessa forma, o acompanhamento irá proporcionar mais bem-estar ao paciente e familiares, além de auxiliar na compreensão de fatores emocionais que podem intervir na saúde e, consequentemente, no tratamento. 

⚠️ Quais sinais evidenciam a necessidade de ajuda?

Importante citar que a ajuda emocional especializada deve ser priorizada para pacientes de todas as idades, visto que, de acordo com levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria, há um maior número de casos depressivos em adolescentes de 14 a 16 anos, que representam cerca de 59,9% do público desta idade. Os índices podem ser maiores quando se trata de pacientes oncológicos crianças. Nesse sentido, é necessário se atentar a sintomas como tristeza generalizada, desesperança, culpa excessiva, vontade de se isolar e autocríticas exageradas para detectar precocemente quadros clínicos de ansiedade ou depressão.  

👨‍👩‍👧‍👦 Como a família pode oferecer apoio?

O apoio por parte de familiares e amigos deve visar a maior comodidade do paciente, tanto física, quanto mental. Isso implica na presença ativa, encorajamento positivo, escuta efetiva, compartilhamento de informações relevantes sobre temas além do câncer e acolhimento na comunicação e ação. Para te ajudar nessa missão, separamos algumas dicas de como praticar o apoio emocional a um paciente oncológico:

💙 Ofereça-se para ouvir e conversar;

💙 Ajude nas tarefas do dia a dia, mesmo que simples;

💙 Acompanhe nas consultas e tratamentos de rotina;

💙 Incentive a cuidar da alimentação, saúde e autoestima;

💙 Respeite o tempo e espaço do outro;

💙 Seja positivo e engaje-o no convívio social, mesmo que virtualmente.

#DicaMedquimheo: o Inca publicou uma cartilha com dicas para diminuir o estresse durante o tratamento oncológico. Confira!

Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Ansiedade: saiba como lidar durante o isolamento

Saúde mental: quais hábitos adotar para ter uma mente saudável?

Fonte: Instituto Nacional do Câncer (Inca).


campanha-fevereiro-laranja.png

Celebrada anualmente no segundo mês do ano, Fevereiro Laranja é uma campanha nacional que tem como principal objetivo levantar debates sobre a conscientização da leucemia e a doação de medula óssea – opção de tratamento para a doença em alguns casos.

O movimento convida as pessoas a refletirem sobre a empatia e a possibilidade de se voluntariar como doadores. Além de partilhar informações sobre a leucemia, os subtipos da doença, as formas de tratamento e reforçar que a importância do diagnóstico precoce independe da idade. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), quanto mais avançada a idade, maiores são os riscos de complicação da doença. No entanto, em crianças, o tipo linfóide aguda é mais comum e representa 28% dos casos que, se diagnosticados em estágio inicial, apresentam boas chances de cura.

Para te ajudar a entender a importância da campanha e dar dicas de como se tornar um doador de medula óssea, nós, do Blog da Medquimheo, preparamos este conteúdo especial. Leia com atenção e aproveite que o ano está apenas começando para praticar a solidariedade com o outro!

🧬 A Leucemia e os subtipos

Para compreender a leucemia é preciso conhecer o funcionamento da medula óssea, que é um tecido esponjoso que ocupa o centro dos ossos. Um grupo chamado células-tronco hematopoiéticas é responsável pela produção das células sanguíneas e é o local onde o câncer tem início.

A leucemia surge devido ao adoecimento de determinadas células que atrapalham a produção de outras saudáveis na medula óssea. A doença pode ser classificada como aguda ou crônica, que, para os especialistas, descrevem quão rápido (aguda) ou devagar (crônica) a leucemia progride e identifica o tipo de glóbulo branco que está envolvido (mieloide ou linfoide).

– Os principais tipos de leucemia, são:

🩸 Leucemia Mieloida Aguda (LMA);

🩸 Leucemia Mieloide Crônica (LMC);

🩸 Leucemia Linfoide Aguda (LLA);

🩸 Leucemia Linfoide Crônica (LLC).

#DicaMedquimheo: a Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale) publicou manuais informativos, a fim de esclarecer sobre os tipos de leucemia. Confira!

🩺 Fatores de risco e tratamento da Leucemia

De acordo com o Inca, em grande maioria, os pacientes que desenvolvem leucemia não apresentam fatores de risco que possam ser modificados. Entretanto, suspeita-se da associação entre determinados motivos que aumentam a probabilidade do desenvolvimento da doença. Tabagismo, contato com radiação, síndromes hereditárias, histórico familiar, idade avançada e exposição a agrotóxicos são algumas causas estudadas com relação ao surgimento da leucemia.

Após o diagnóstico precoce, que é de suma importância, o tratamento é escolhido a partir da detecção do tipo de leucemia. O processo pode envolver quimioterapias, medicamentos orais e, em alguns casos, o transplante de medula óssea. Como o acompanhamento é feito de forma individualizada, é preciso estar em contato direto com um especialista para que os cuidados sejam iniciados rapidamente e de forma adequada.

💉 Qual foi o impacto da pandemia para a doação de medula óssea?

O Brasil possui o terceiro maior banco de doadores de medula óssea do mundo, com cerca de 4 milhões de voluntários cadastrados no Registro Nacional de Medula Óssea (Redome). No entanto, o período de pandemia afetou diretamente o ato de se voluntariar e doar. Dados da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea (SBTMO) alertam para queda de 30% dos cadastros de doadores no ano de 2020.

📌 Motivos para ser um doador de medula óssea

Nesse cenário, o Redome chama a atenção para a importância de ser um doador de medula óssea. Confira alguns motivos para ser um voluntário desta causa:

💙 O transplante pode beneficiar o tratamento de cerca de 80 doenças em diferentes estágios;

💙 O doador ideal (irmão compatível) está em cerca de apenas 25% das famílias brasileiras, para 75% dos pacientes que necessitam da identificação de um doador alternativo;

💙 Os riscos, na maioria dos transplantes, são poucos. O estado físico do doador é checado anteriormente e por volta de 15 dias, a medula já estará totalmente recuperada.

🧡 Como se tornar um doador de medula óssea?

Para entrar na lista de voluntários para doação de medula óssea é necessário ter entre 18 e 55 anos, estar em bom estado geral de saúde, não ter doença infecciosa ou incapacitante, não apresentar quadro de doença imunológica,  neoplásica (câncer) ou hematológica (do sangue). Caso você não se enquadre em nenhuma dessas situações de impedimento, siga este passo a passo para se voluntariar:

1️⃣ Procure o hemocentro do seu estado e agende uma consulta de esclarecimento sobre a doação de medula óssea;

2️⃣ Assine o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) e preencha uma ficha com informações pessoais;

3️⃣ Será coletada uma quantidade de 10ml de sangue do candidato doador. O material será analisado e testado para identificar características genéticas que serão cruzadas com dados dos pacientes que necessitam de transplantes.

4️⃣ Os dados serão incluídos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea e quando houver um paciente com possível compatibilidade, o candidato será consultado. Por isso, é importante manter as informações do banco atualizadas.

5️⃣ Caso o candidato opte seguir com o processo, serão realizados exames para confirmar a compatibilidade e o estado de saúde do voluntário.

Seja um doador de medula óssea e ajude a salvar vidas!

Conheça nosso blog!

Nosso blog é repleto de posts para te manter sempre bem informado. Aproveite mais conteúdos:

Anemia pode virar leucemia? Entenda sobre as doenças!

Especialista conta que nem toda mancha roxa significa leucemia

Fonte: Dra. Alessandra Prezotti, hematologista da Medquimheo, CRM ES 6782.


saude-bucal.jpg

Celebrado em 20 de março, o Dia Mundial da Saúde Bucal tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância de manter a higiene bucal para prevenção do câncer de boca. Para esta data, nós, da Medquimheo, preparamos um post especial com tudo o que você precisa saber sobre a doença. Confira!

O que é câncer de boca?

Segundo o Instituto Oncoguia, o câncer de boca se origina nas células das estruturas que compõem a cavidade oral. Está entre os tumores malignos que mais atingem os brasileiros, principalmente homens acima de 40 anos. O tabagismo associado ao vício do álcool e a má higiene bucal são os principais fatores de risco da doença.

Sintomas do câncer de boca

Dentre os principais sinais do câncer de boca, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), estão: feridas na cavidade oral ou nos lábios, manchas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca e bochechas, rouquidão persistente e nódulos no pescoço.

Como prevenir o câncer de boca?

A prevenção do câncer de boca se pauta, principalmente, na realização da higiene bucal de forma correta. Além disso, deve-se evitar o uso de cigarros e consumo de bebidas alcoólicas e manter uma alimentação saudável, baseada em frutas, verduras e legumes.

#DicaMedquimheo: tenha atenção com uso de dentaduras! Se forem posicionadas de maneira inadequada, favorecem o acúmulo de restos de alimentos, o que gera proliferação de bactérias e aumenta as chances de infecções. O atrito causado pelo material das dentaduras pode causar lesões nas gengivas que, se não forem tratadas corretamente, podem evoluir para tumores.

Tratamento do câncer de boca

Ainda segundo o Inca, o tratamento do câncer de boca, na maioria das vezes, é cirúrgico, tanto para lesões mais leves, como para tumores maiores. A radioterapia e a quimioterapia são indicadas quando a cirurgia não é viável, ou seja, traria sequelas funcionais que afetariam a qualidade de vida do paciente.

Os casos de lesões tratadas em estágios iniciais têm elevado índice de cura. Por isso, fique atento a qualquer mudança na boca e pescoço e consulte um especialista 😉

Fonte: Dr. André Silva Lucas, cirurgião de cabeça e pescoço, CRM ES 8299.

Gostou do post? Então aproveite para conferir mais conteúdos do nosso blog e se mantenha bem informado!

Tabagismo vai além do câncer de pulmão, sim!

Mitos e verdades mais comuns sobre o câncer


dia-internacional-da-luta-contra-o-cancer-infantil.jpg

Celebrado no dia 15 de fevereiro, o Dia Internacional da Luta Contra o Câncer Infantil, tem o intuito de promover a conscientização para o diagnóstico precoce da doença, o que aumenta em 70% as chances de cura. Para comemorar a data, nós, da Medquimheo, preparamos um post super especial com informações importantes e uma surpresa incrível ao final! Confira!

Quais são os sintomas do câncer infantil?

Em estágios iniciais, os sintomas do câncer infantil podem ser semelhantes a doenças comuns da infância. É exatamente por isso que os pais precisam estar atentos a qualquer queixa de seus filhos.

“Crianças não inventam sintomas e é por isso que os pais precisam estar atentos. Caso notem alguma anormalidade, precisam levar seus filhos para uma avaliação com pediatras. Vale ressaltar que o câncer infantil possui altas chances de cura quando diagnosticado precocemente.”

-Dra. Maria Magdalena

Como é o tratamento do câncer infantil?

Segundo o Instituto Oncoguia, o tratamento do câncer infanto-juvenil é indicado com base no tipo de estadiamento da doença. As opções podem incluir quimioterapia, cirurgia e radioterapia. Em muitos casos, é comum a combinação destas opções.

Como conversar com os filhos sobre câncer?

Dialogar com uma criança ou adolescente sobre um assunto tão delicado quanto o câncer não é uma tarefa fácil, e nós sabemos! Pensando nisso, preparamos algumas dicas que podem ajudar:

  1. Explique com palavras simples e que façam parte do vocabulário deles;
  2. Responda com honestidade todas as dúvidas que forem surgindo;
  3. Caso não saiba responder, diga: “Não sei, mas podemos tentar descobrir a resposta juntos”.

O mais importante é passar segurança e conforto!

Conheça a Vitória!

Para marcar a data, nossa equipe preparou um material exclusivo para as crianças soltarem a criatividade! A Vitória é um personagem que luta contra o câncer infantil e está disposta a alegrar e trazer um colorido especial ao dia de hoje 🙂

Baixe as imagens abaixo, imprima e garanta muita diversão para seu pequeno enquanto ele brinca de colorir e montar looks!

Fonte: Dra. Maria Magdalena Frechiani, oncologista pediatra, CRM ES 1677.


dia-nacional-da-mamografia.jpg

Celebrado no dia 5 de fevereiro, o Dia Nacional da Mamografia tem o intuito de conscientizar as mulheres. Para esta data, nós, da Medquimheo, preparamos um post especial com tudo o que você precisa saber sobre a prevenção do câncer de mama. Confira!

O que é o Dia Nacional da Mamografia?

O Dia Nacional da Mamografia tem o objetivo de informar as mulheres sobre a importância da realização do exame. O autoexame das mamas, feito pela própria mulher, ajuda na identificação de tumores maiores. No entanto, é importante lembrar que ele não substitui o exame clínico realizado por especialistas!

Importância da mamografia

Segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) a mamografia é o método mais eficiente para detecção precoce do câncer de mama ainda não palpável clinicamente (com menos de 1 cm), que possui alta chance de cura com o tratamento adequado.

Lembrem-se: mulheres devem realizar a mamografia anualmente a partir dos 40 anos 😉

Alerta para os fatores de risco do câncer de mama

O Dia Nacional da Mamografia chama atenção como um alerta para os fatores de risco. Embora seja um tumor com alta incidência, o câncer de mama tem muitas chances de cura!

“Para mulheres que já têm casos na família, em parentes próximos como mãe e irmãs, pode ser necessário antecipar a idade de realização da mamografia. Situações como menopausa e menstruação precoce, antes dos 12 anos, também requerem acompanhamento constante. Além da frequência do exame, é importante garantir a qualidade, pois um rastreamento mal feito transmite a falsa sensação de segurança à paciente.”

-Cleverson Gomes do Carmo Junior

Tratamento do câncer de mama

Em tumores pequenos, a cirurgia pode ser a primeira modalidade do tratamento, já que retira o nódulo com uma margem de segurança. Dependendo do tamanho da mama e do tumor, o médico pode optar pela mastectomia, que consiste na retirada completa da mama, geralmente seguida por uma cirurgia de reconstrução.

Gostou do conteúdo? Então fique aqui no nosso blog e confira as sugestões que separamos para você!

Obesidade x Câncer de mama: entenda a relação

Câncer de mama no verão: saiba os principais cuidados

Fonte: Dr. Cleverson Gomes do Carmo Junior, mastologista Medquimheo, CRM: ES 8267.


Wrap-receita-quimioterapia.jpg

Enjoo, perda de apetite, dificuldade para engolir, feridas nos lábios e na língua, boca seca, anemia e riscos de infecções são os efeitos colaterais mais comuns em pacientes que passa pela quimioterapia. Neste post, a nutricionista Naira Fraga apresenta três receitas que, além de simples e saborosas, ainda auxiliam no enfrentamento desses efeitos.

Sopa Vichyssoise

Indicada: falta de apetite, dificuldade para engolir, boca seca e feridas nos lábios e na língua.

Ingredientes:

  • 1 cebola;
  • 2 dentes de alho;
  • 2 alhos-porós em rodelas;
  • 4 batatas médias;
  • 1 litro de caldo de galinha ou legumes caseiro;
  • 1 colher de azeite
  • 1/2 de xícara de chá de creme de leite.

Modo de preparo:  Em uma panela, aqueça o azeite, refogue a cebola e o alho- poró em fogo médio por três minutos. Acrescente o caldo e as batatas, tempere com sal e ervas a gosto. Quando começar a ferver, baixe o fogo e deixe cozinhar por 20 minutos ou até que as batatas fiquem bem macias. Em seguida, bata a sopa no liquidificador até obter um purê homogêneo. Volte a sopa para a panela e acrescente o creme de leite. Sirva fria ou quente.

Wrap de ervas e agrião

Indicado: perda de apetite e intestino preso.

Ingredientes:

  • 2 fatias de pão árabe;
  • 1 xícara (chá) de ricota;
  • 1/2 xícara (chá) de requeijão;
  • 2 xícaras (chá) de folha de agrião;
  • 1 cenoura ralada;
  • 2 colheres (sopa) de salsinha picada;
  • 1 colher (sopa) de folha de manjericão;
  • Sal a gosto.

Modo de preparo: no processador, bata a ricota com o requeijão, a salsinha, o manjericão e tempere com sal (ou bata tudo em um pilão). Depois, misture com a cenoura ralada. Em seguida, espalhe essa pasta por cada camada de pão e acrescente o agrião, enrolando com cuidado e apertando bem. Corte cada rolinho em fatias e sirva.

Arroz cremoso

Indicado: dificuldade para engolir, boca seca e feridas nos lábios e na língua.

Ingredientes:

  • 2 colheres (sopa) de azeite;
  • 1 dente de alho picado;
  • ½ cebola picada;
  • 1 alho-poró (parte branca em fatias);
  • 1 tomate sem sementes e picado;
  • 2 colheres (sopa) de salsinha picada;
  • 1 xícara (chá) de ervilhas frescas;
  • 2 xícaras (chá) de arroz, lavado e escorrido;
  • 6 xícaras (chá) de água fervente;
  • 1/2 de xícara (chá) de creme de leite;
  • 1 colher (chá) de sal.

Modo de preparo: Em uma panela, coloque o azeite, a cebola e o alho e deixe dourar. Junte o alho-poró, o tomate e a ervilha. Em seguida, acrescente o arroz e refogue por mais 5 minutos. Adicione a água, o sal e cozinhe em fogo baixo até o arroz secar. Por fim, desligue o fogo, misture o creme de leite e a salsinha e sirva.

Confira mais #DicasDaNutri:

  1. Suco de romã possui propriedades cancerígenas. Veja a receita!
  2. Saiba quais são os alimentos que auxiliam no tratamento do câncer
  3. Garanta energia o dia todo com o suco verde de pêssego!

Novembro-Azul-1.jpg

A campanha Novembro Azul reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. Propõe ao público masculino mudanças de hábitos, acontece anualmente em todo o mundo.  O oncologista Vitor Fiorin destaca que até o final de 2019 são previstos, somente para o Espírito Santo, 1.510 novos casos da doença.

 “O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. O movimento Novembro Azul é extremamente importante, já que é fundamental informar, alertar e conscientizar os homens sobre a doença, para que, assim, os índices de mortalidade dos pacientes possam diminuir ”, acrescenta.

Quais são os fatores de risco do câncer de próstata?

É preciso estar atento aos fatores que podem aumentar as chances de um homem desenvolver o câncer de próstata. Listamos abaixo alguns deles. Confira:

  • Idade: o risco de desenvolver câncer de próstata aumenta com a idade. Segundo dados divulgados pelo Instituto Oncoguia, aproximadamente 80% dos homens são diagnosticados após os 65 anos. São raros casos da doença em homens com menos de 40 anos – quando isso acontece, geralmente, associa-se ao histórico familiar;
  • Histórico familiar: caso o pai, avô ou irmão tenham adquirido o câncer de próstata antes dos 60 anos, aumentam as chances de desenvolvimento da doença; 
  • Sobrepeso e obesidade: ainda de acordo com o Instituto Oncoguia, a obesidade está influenciando, diretamente, na incidência do câncer de próstata. Além disso, o tumor em homens obesos é mais agressivo.

Saiba quais são os sintomas do câncer de próstata

Durante a fase inicial da doença, o câncer de próstata costuma ter a evolução silenciosa e dificilmente apresenta sintomas. No entanto, vale ressaltar 

que, quando apresenta, os mais frequentes são:

  • Dificuldade em urinar;
  • Demora em começar e terminar de urinar;
  • Sangue na urina;
  • Diminuição do jato de urina;
  • Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Já em fase avançada, pode provocar dor óssea e, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Esteja atento às formas de prevenção!

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), as chances de cura do câncer de próstata aumentam em 90% quando a doença é diagnosticada precocemente. A detecção pode ser feita por meio da investigação, com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos. Fazê-la precocemente é uma estratégia para encontrar o tumor ainda em fase inicial e, assim, facilitar o tratamento e a cura.

A melhor forma para prevenir e/ou detectar o câncer de próstata é realizar anualmente, a partir dos 45 anos de idade, o exame de toque retal e o de sangue, para avaliar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Apesar de ser cercado de preconceito e evitado por grande parte dos homens, o toque retal tem uma importância enorme, pois é por meio dele que o urologista consegue perceber a presença de um nódulo e até mesmo sentir a consistência da próstata, podendo, assim, identificar um tumor.

Faça como a Medquimheo e abrace a campanha do Novembro Azul. Separamos mais dois conteúdos sobre câncer de próstata que serão muito úteis a você. Confira:

O tabu existente no exame para prevenção e detecção do câncer de próstata

Câncer de próstata é o mais incidente em homens capixabas


suco-de-romã-cancer.jpg

Você sabia que a romã pode ser uma excelente aliada na prevenção e no combate ao câncer? Como é uma fruta rica em vitamina C e compostos bioativos, garante inúmeros benefícios à saúde. A lista desses compostos é longa, os principais são antocianinas (delfinidina, cianidina e pelargonidina), quercetina, ácidos fenólicos (cafeico, catequínico, clorogênico, orto e paracumárico, elágico, gálico e quínico) e taninos (punicalagina).

Essa fruta tem sido usada há milhares de anos como medicamento complementar. É importante destacar suas ações antioxidantes, anti-inflamatórias e anticancerígenas. No post de hoje, nossa nutricionista oncológica Naira Fraga apresenta as vantagens desta fruta e traz, ainda, uma super receita de suco de romã. Continue lendo e confira!

Propriedades anticancerígenas da romã

O extrato de romã parece inibir a proliferação das células do câncer e impedir também a migração das células neoplásicas. Naira ressalta que “as propriedades anticancerígenas do extrato da fruta foram estudados em modelos de células e em animais, isso quer dizer que ainda falta muito para comprovar essa ação no homem, mas que a fruta já pode ser incorporada na alimentação como auxiliar ao tratamento.”

A fruta é uma excelente fonte de antioxidantes chamados flavonoides que, são conhecidos por serem eficazes na neutralização dos radicais livres que causam o câncer, sendo uma aliada na prevenção da doença.

Mais benefícios da romã para saúde

A romã alivia problemas digestivos como a diarreia, promovendo o bom funcionamento do intestino.

A ingestão regular da fruta está diretamente ligada à prevenção de derrames e ataques cardíacos. Seu consumo parece melhorar o fluxo sanguíneo, impedir que as artérias se tornem duras e espessas. E pode retardar o acúmulo de colesterol nas artérias.

As propriedades antibacterianas e antivirais da romã auxiliam na redução dos efeitos da placa bacteriana e na proteção contra várias doenças orais como a gengivite. A romã também possui propriedades sobre a pele: devido a seus componentes fenólicos, combate o envelhecimento precoce.

Receita de suco de romã

Ingredientes:

  • 1 romã;
              
  • 1 copo de água;
              
  • Adoçante ou açúcar a gosto.

Modo de preparo:

Corte e abra a romã ao meio. Em seguida, coloque-a em um recipiente grande com água. Retire as sementes da fruta debaixo d’água – elas ficarão ao fundo, enquanto a membrana amarela ou branca flutuará. Descarte a casca e as membranas que sobraram. Coe a água das sementes e, leve para o liquidificador até que estejam bem moídas. Depois disso, basta coar os pedacinhos menores das sementes que sobraram e pressionar, para extrair o máximo de sumo possível. Por fim, transfira para um copo e adicione água e açúcar/adoçante a gosto.

Separamos outros dois conteúdos com mais dicas incríveis da nossa nutricionista. Aproveite e confira:

#DicaDaNutri: suco verde de pêssego garante energia no dia a dia!

#DicaDaNutri: Alimentos que auxiliam no tratamento do câncer

Fonte: Naira Marceli Fraga Silva – nutricionista – CRN4: 15101252.