BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

Vacina contra HPV disponível para meninos em 2017

outubro 19, 2016 0
vacina-contra-hpv-e1476902812196.jpg

O Ministério da Saúde vai ampliar a vacinação contra o vírus do papiloma humano (HPV), que será oferecida também para os meninos a partir de 2017. Na primeira etapa, a vacina será indicada apenas para meninos de 12 a 13 anos. A faixa etária será ampliada, gradativamente, até 2020, quando serão incluídos garotos de 9 a 13 anos. A iniciativa tem como objetivo diminuir a circulação do swimsuits vírus, que pode causar vários tipos de câncer.

A vacina contra o HPV, que protege principalmente contra o câncer de colo de útero, já faz parte do Programa Nacional de Imunização desde 2014, indicada para meninas de 9 a 13 anos. A vacina que os meninos vão tomar é a mesma que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece para as meninas.

O foco é a prevenção contra o HPV

Segundo o nosso ginecologista e mastologista Cleverson Gomes Jr., a vacina tem como objetivo proteger contra cânceres de pênis, garganta, ânus e verrugas genitais, doenças que estão ligadas ao HPV. “A definição da faixa etária para a vacinação visa preservar as crianças antes do início da vida sexual e, portanto, antes do contato com o vírus”, explica Cleverson.

De acordo com o ginecologista, o HPV é um vírus de contato, que tem afinidade pela superfície do corpo e não fica circulando pela corrente sanguínea, como outros vírus. “Assim, se um indivíduo infectado pelo HPV encosta, atrita ou tem alguma outra forma de contato com uma pessoa sadia, ali pode haver a contaminação. Desta forma, o contato sexual é uma das maneiras mais comuns de transmissão. Onde possa haver o contato íntimo, pode haver infecção pelo HPV e um posterior câncer”, explica o médico.

A partir de 2017 a vacina contra o HPV estará disponível para meninos

O especialista ressalta que a vacinação dos meninos também reduz indiretamente o número de casos de câncer de colo uterino, vagina e vulva, já que será minimizada a quantidade de vírus circulando. “Se diminuirmos o número de homens infectados pelo HPV, diminuiremos também o número de mulheres infectadas por esses homens durante uma relação sexual desprotegida”, afirma Cleverson.

O ginecologista ainda pontua que, geralmente, esses cânceres surgem de lesões imperceptíveis causadas pelo HPV nos órgãos afetados e, por isso, é extremamente importante realizar os exames médicos de rotina. “Homens e mulheres têm que ir a consultas anuais com seus médicos, bem como realizar os exames periodicamente, para estar com a saúde sempre em dia”, comenta.

A vacina protege contra quatro tipos diferentes do vírus HPV e, de acordo com o Ministério da Saúde, tem uma eficiência de 98%, sendo fundamental tomar as duas doses com intervalos de seis meses entre elas.


Deixe um comentário

Campos obrigatórios estão marcados com *