BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

leucemia mieloide aguda

sindrome-mielodisplasica.jpg

outubro 23, 2015 Notícias0

 

25 de outubro: Dia Internacional de Conscientização da Síndrome MielodisplásicaPouco conhecida até a década de 1970, a Síndrome Mielodisplásica (SMD) ou Mielodisplasia é um doença na medula óssea caracterizada pela deficiência na produção de células sanguíneas do corpo, os glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas. Mais recorrente em homens idosos a partir de 65 anos, a SMD tem uma data internacional dedicada a sua conscientização, dia 25 de outubro.

Considerada a nossa fábrica de sangue, é na medula óssea que os glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas nascem, amadurecem e são lançados na corrente sanguínea quando já estão aptos a desempenhar suas funções. A SMD é o transtorno no ritmo da produção e amadurecimento das células sanguíneas, causando uma falha em sua fase de maturação.

Ao sofrer uma falha na maturação, essas células sofrem uma mutação em seus genes e se desenvolvem de maneira diferente, chegando à fase madura de forma deficiente – chamados, então, de blastos. Desta forma, a medula trabalha de forma insuficiente e a produção de células saudáveis se compromete.

Em sua forma mais grave, a doença pode evoluir para leucemia mieloide aguda, que ocorre quando a medula para de produzir células saudáveis devido ao excesso de blastos no organismo.

Prevenção

 

A causa da Síndrome Mielodisplásica ainda é desconhecida. Dra. Evelyne Monteiro, hematologista da Medquimheo, destaca alguns fatores que são associados à doença. “A exposição a agentes tóxicos para a medula óssea, como pesticidas, solventes industriais, inseticidas e radiação ionizante, sem o equipamento de proteção adequado, pode aumentar consideravelmente o risco de desenvolver o quadro.  Alguns medicamentos também podem ter uma ação semelhante. Assim, é fundamental evitar a automedicação e o uso indiscriminado de agrotóxicos”, pontua.

Sintomas

 

Os principais sintomas da Síndrome Mielodisplásica são a anemia e palidez, devido à queda de produção dos glóbulos vermelhos; infecções, atrelados à diminuição de glóbulos brancos; sangramentos prolongados em cortes e machucados, devido ao baixo número de plaquetas no organismo; e cansaço e/ou falta de fôlego.
Ao persistir um desses sintomas, a pessoa deve procurar o médico imediatamente, evitando a evolução da doença.

Diagnóstico e tratamento
 
A SMD pode ser curada quando é tratada com transplante de medula óssea. Entretanto, é fundamental a avaliação médica para saber se o paciente tolera esse tipo de tratamento.

Quando o transplante não é feito, o objetivo é minimizar os sintomas e evitar complicações e efeitos colaterais do tratamento, que tem como objetivo corrigir a deficiência de glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas no organismo.