BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

câncer

cirurgia-oncologica.jpg

março 23, 2020 Câncer0

A cirurgia oncológica é usada para prevenir, diagnosticar, estadiar e tratar o câncer. Além disso, ao lado da radioterapia e quimioterapia, é considerada como um dos tripés para o tratamento do câncer. No post de hoje, nós, da Medquimheo, reunimos as principais informações que você precisa ter sobre este tipo de cirurgia. Confira!

O que é cirurgia oncológica?

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a cirurgia oncológica consiste na retirada do tumor por meio de operações no corpo do paciente. O ato cirúrgico pode ter finalidade curativa, quando há detecção precoce e é possível retirada total do tumor; ou finalidade paliativa, quando o objetivo é reduzir a quantidade de células tumorais e controlar sintomas que podem comprometer a qualidade de vida do paciente.

Diagnóstico do câncer

Muitas vezes a única maneira de detectar se uma pessoa está com câncer é por meio da retirada de uma amostra de tecido e enviando-a para análise. Este procedimento, realizado durante as operações, é chamado de biópsia cirúrgica.

Estadiamento do câncer

A cirurgia de estadiamento é realizada para identificar o tipo de câncer e se existe disseminação da doença. Durante esta cirurgia, as áreas em torno do tumor são examinadas, o que fornece informações importantes para orientar decisões sobre tratamento e prognóstico do paciente.

Cirurgias para tratamento do câncer

De acordo com o Instituto Oncoguia, existem alguns tipos de cirurgias para tratamento do câncer. Dentre estes, separamos os dois mais comuns. Vamos conferir?

Cirurgia curativa

Quando o tumor está localizado em apenas uma parte do corpo, recomenda-se a realização da cirurgia curativa. Nesses casos, o tratamento cirúrgico pode ser utilizado de maneira isolada ou em combinação com outros tratamentos, que podem ser administrados antes ou após a operação.

Cirurgia paliativa

A cirurgia paliativa é recomendada para tratar complicações geradas quando o câncer está muito avançado. Esta cirurgia pode ser usada para aliviar sintomas que causam desconforto ou incapacidade, oferecendo melhor qualidade de vida para o paciente.

Fonte: Dra. Carolina Conopca, oncologista Medquimheo, CRM ES 11.130.

Para continuar bem informado, aproveite que descobriu nosso blog e confira outros dois conteúdos que podem te interessar:

Mitos e verdades mais comuns sobre o câncer

Imunoterapia: saiba o que é


dia-mundial-do-cancer.jpg

Comemorado no dia 4 de fevereiro, o Dia Mundial do Câncer tem como objetivo aumentar a conscientização e educar a população sobre a doença. Para marcar a data, nós, da Medquimheo, preparamos um post especial com tudo o que você precisa saber sobre a campanha. Vamos conferir?

O que é o Dia Mundial do Câncer?

O Dia Mundial do Câncer foi criado em 2005 pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC) com apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS). A data tem o intuito de alertar a população sobre a doença que, entre 2018 e 2019, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), atingiu cerca de 600 mil brasileiros.

O que significa o slogan “Eu sou e eu vou”?

O slogan “Eu sou e eu vou”, tema da campanha de 2019 a 2021, é um apelo ao compromisso pessoal e chama atenção para o poder que uma ação individual tem de impactar o futuro de uma pessoa diagnosticada com câncer.

A luta é de todos

A campanha propõe que todas as pessoas possam contribuir, de alguma forma, na prevenção, identificação de sinais e tratamento do câncer. A data deve mobilizar e inspirar a população!

“Quanto mais pessoas entenderem sobre o câncer, mais a luta para enfrentá-lo se torna equilibrada. Familiares e amigos podem se ajudar e alertar uns aos outros sobre a importância de realizar exames periodicamente, o que pode contribuir para um diagnóstico precoce, por exemplo.”

                                                                                                         – Carolina Conopca

Diagnóstico precoce aumenta as chances de cura

Você sabia que o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura do câncer? De acordo com o Inca, a identificação de tumores em estágios iniciais aumenta essa possibilidade em 80%.

#DicaMedquimheo: não deixe de visitar seu médico! Realizar check ups e consultas médicas na frequência recomendada contribui para a identificação do câncer em níveis iniciais 😉

Gostou do post? Então fique por aqui e confira mais uma sugestão de conteúdo que separamos para você!

Mitos e verdades mais comuns sobre o câncer

Fonte: Dra. Carolina Conopca, oncologista Medquimheo, CRM: ES 11.130.


mitos-e-verdades-sobre-o-cancer.jpg

Somos bombardeados o tempo todo com uma série de especulações e achismos acerca do câncer. Quer entender o que de fato é verdade e mito sobre o câncer? Então você está no lugar certo! Nós, da Medquimheo, preparamos esse post para esclarecer de vez suas dúvidas acerca de afirmações que ouvimos sobre a doença. 

Médicos da Fundação do Câncer listaram três afirmações falsas e três verdadeiras sobre o câncer. Vamos conferir quais são elas?

1. Pintas e sinais podem virar câncer de pele?

Essa afirmação é verdade sobre o câncer. A “Regra ABCDE” da Sociedade Brasileira de Dermatologia alerta que se uma pinta ou mancha da sua pele apresenta assimetria, bordas irregulares, cor apresentando dois ou mais tons, dimensão maior que 6 mm e evolução de crescimento, é preciso procurar um dermatologista para que ele possa fazer o diagnóstico completo e seguro.

2. Uso de desodorante pode provocar câncer de mama?

Fiquem tranquilos pois isso é um mito! O uso de desodorante não causa câncer de mama. Médicos explicam o que normalmente acontece: entupimentos nas glândulas das axilas, em decorrência do uso desses produtos, que acabam formando nódulos que podem inflamar e ficar doloridos. Se isso acontecer, o ideal é procurar um especialista. Combinado?

3. Um câncer pode voltar em outro lugar?

Sim! Um câncer pode voltar em outro lugar, já que uma das principais características dessa doença é a capacidade de o tumor inicial migrar para outra parte do organismo da pessoa. Essa habilidade é chamada de metástase das células cancerígenas. Nunca deixe de conversar com seu médico sobre dúvidas e apreensões.

4. Ingerir comida levada ao micro-ondas pode gerar câncer?

O micro-ondas é um aparelho seguro para aquecer e cozinhar alimentos. O funcionamento do eletrodoméstico é através de vibração em alta frequência de moléculas – principalmente as de água. Mas atenção! Médicos recomendam evitar queimaduras decorrentes do superaquecimento de alimentos.

5. Exercícios e atividades físicas previnem câncer?

Sim! Praticar exercícios físicos ajuda a prevenir não só o câncer, mas também outras doenças crônicas como diabetes e hipertensão. Aproveite e, além de criar uma rotina para se exercitar, repagine seu cardápio. Isso mesmo! Médicos ressaltam que atividade física aliada com uma alimentação saudável são de extrema importância.

6. Uso de cigarro causa câncer apenas no pulmão?

O uso de cigarro pode provocar câncer em várias partes do corpo. O fumo pode causar tumores malignos por onde suas substâncias passam. Você sabia que o cigarro possui cerca de 70 substâncias cancerígenas? Então já dá para imaginar que o fumo não causa câncer só no pulmão, mas também pode provocar tumores malignos na boca, laringe, esôfago e até a bexiga fica em risco.  

Gostou? Então venha descobrir os 5 mitos e verdades sobre o que causa câncer

Fonte: Dra. Carolina Caetano Conopca, oncologista clínica, CRM ES 11.130


câncer-de-estomago.jpg

Também conhecido como câncer gástrico, o câncer de estômago é um tumor maligno que pode afetar qualquer parte deste órgão. Geralmente, se inicia com uma úlcera, que provoca sintomas como azia, falta de apetite e dores no estômago. Aparece em 3º lugar na incidência entre homens e em 5º entre as mulheres.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam que até o final deste ano cerca de 460 capixabas podem ter a doença. Desses, 310 são homens e 150 mulheres. No post de hoje, a oncologista clínica da Medquimheo, Carolina Conopca, vai te explicar um pouco mais sobre o câncer de estômago e te alertar para os fatores de risco. Continue lendo e confira!

Atenção aos fatores de risco do câncer de estômago!

  • Alimentação: alimentos mal armazenados e com pouca refrigeração, como salgados, defumados e embutidos, podem contribuir para o desenvolvimento do câncer de estômago. Além disso, uma dieta rica em carnes e pobre em frutas e vegetais também está associada à maiores chances de ter a doença;
  • Tabagismo: o risco de desenvolver o câncer de estômago dobra em fumantes;
  • Infecção por bactéria: o Helicobacter pylori (H. pylori) é uma bactéria que coloniza naturalmente a mucosa do estômago humano. Estudos mais recentes indicam que ela é capaz de causar alterações pré-malignas, que podem aumentar o risco de câncer.
  • Inflamação estomacal: sofrer de alguma inflamação do estômago por um longo período de tempo é sinal de alerta para procurar um médico com urgência.

Sintomas do câncer de estômago

Como não existem sintomas específicos do câncer de estômago, sua detecção torna-se mais difícil. Contudo, separamos alguns sinais que merecem atenção. Vale lembrar também que, caso sejam notados alguns deles, é preciso contar com um profissional para ter o diagnóstico certeiro. Confira:

  • Fadiga;
  • Azia grave e persistente;
  • Indigestão grave;
  • Náuseas e vômitos persistentes;
  • Sensação de inchaço após comer;
  • Dor de estômago;
  • Perda de peso sem explicação aparente.

Como é feito o diagnóstico do câncer de estômago?

Para realizar o diagnóstico da doença o médico pede exames, principalmente a endoscopia, por meio dessa é realizada a biópsia, para confirmar se o tecido afetado é mesmo canceroso. A tomografia computadorizada pode ser solicitada além de ressonância magnética.

Saiba como prevenir o câncer de estômago

Com medidas simples, você consegue reduzir drasticamente o risco da doença. Separamos as principais delas:

  • Comer mais frutas e legumes;
  • Reduzir a quantidade de alimentos salgados e defumados em sua dieta alimentar;
  • Parar de fumar.

Fonte: Dra. Carolina Conopca – oncologista clínica – CRM: 11.130

Separamos outros conteúdos do nosso Blog que também vão te interessar. Veja:

1. Exames oncológicos: como e quando fazer?

2. #DicaDaNutri: alimentação saudável começa na infância


Setembro-Dourado.jpg

Independente da situação, descobrir o diagnóstico do câncer é uma situação extremamente difícil e delicada. Mas e quando isso acontece com uma criança ou adolescente? Como são novos e viveram poucos momentos importantes da vida, o quadro torna-se ainda mais complicado de enfrentar. No entanto, de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), hoje, cerca de 80% dos casos podem ser curados, se diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados. Para conscientizar a sociedade, principalmente os pais, sobre a necessidade de se atentar aos sintomas sugestivos do câncer infantojuvenil, foi criado o Setembro Dourado.

Câncer em crianças x câncer em adultos

No Brasil, ainda sobre os dados do Inca, o câncer infantojuvenil representa a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos. Os tipos mais frequentes de câncer infantojuvenil são as leucemias e os linfomas. Diferentemente do que acontece nos adultos – em que o câncer está relacionado a fatores de risco do meio ambiente, como o álcool e cigarro – nas crianças e jovens, é formado por uma célula que não amadureceu como deveria e, começou a se multiplicar de forma desordenada. A oncologista pediátrica Maria Magdalena Frechiani destaca que o Setembro Dourado contribui, diretamente, para a detecção e o tratamento precoces”.

Atenção especial aos sintomas do câncer infantojuvenil

Os sinais da doença não são específicos e, não necessariamente, indicam seu diagnóstico. Entretanto, a oncologista pediátrica pede para que se tenha atenção e procure um especialista caso sejam observados os seguintes sintomas: palidez, dor óssea, hematomas ou sangramentos pelo corpo, caroços ou inchaços, perda de peso sem causa aparente, febre e sudorese noturna, tosse persistente ou falta de ar, alterações oculares, inchaço abdominal, dores de cabeça, vômitos recorrentes pela manhã ou com piora durante o dia e dores nos membros.

#SetembroDourado: apoie esta causa!

“Para que todas as crianças e adolescentes obtenham maiores chances de cura e vivam uma vida com mais qualidade, vamos ajudar a vestir nosso País de dourado. É muito importante disseminarmos, não só neste mês, como em todos os outros, o máximo de informações possíveis sobre o câncer infantojuvenil”, finaliza a especialista.

Fonte: Dra. Maria Magdalena Frechiani – oncologista pediátrica – CRM: ES 1677

Aproveite para conferir outros conteúdos que também podem te interessar:

Lanches saudáveis e fáceis para o dia da quimioterapia

Câncer e depressão: entenda a relação!

Exames oncológicos: como e quando fazer?


câncer-de-mama-x-obesidade.jpg

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres. Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), indicam que, até o final deste ano, somente no Espírito Santo, cerca de 1.130 mulheres correm o risco de desenvolver este tipo de câncer. Mas, você sabia que a obesidade é um dos principais fatores de risco para doença?

De acordo com o nosso mastologista, Dr. Cleverson Gomes Jr., o excesso de gordura, além de alterar a produção de hormônios, aumenta o número de inflamações e a quantidade de insulina no organismo. Para entender ainda mais sobre essa relação, continue aqui com a gente.

Por que a obesidade é fator de risco para o câncer de mama?

Responsável pelo desenvolvimento das características femininas, o estrogênio é um hormônio gerado no tecido adiposo das mulheres. Quanto maior o excesso de gordura no corpo, maior será a quantidade de estrogênio produzida – o que indica perigo! “Como este hormônio influencia diretamente na produção das células mamárias, quando encontra-se em excesso no organismo, o risco de mutação, que leva ao câncer de mama, aumenta”, explica o especialista.

O risco de câncer de mama é maior em mulheres obesas na menopausa

É normal que conforme a idade avance, o risco do câncer de mama aumente também. No entanto, caso a mulher já tenha entrado na menopausa e além disso, esteja acima do peso, as chances de desenvolver a doença chegam a dobrar. “Nessa fase, o tecido mamário deveria repousar, mas como a gordura em excesso forma quantidades mais altas de estrogênio, a proliferação das glândulas mamárias continua acontecendo. O que, consequentemente, estimula o surgimento de células malignas, como o câncer de mama”, finaliza.

#DicaMedquimheo: Hábitos simples previnem o câncer de mama!

Como observamos no post de hoje, a obesidade tem relação direta com o câncer de mama. Felizmente, com hábitos simples, principalmente ligados à alimentação, os dois problemas são facilmente solucionados! Confira alguns deles:

  • Evite frituras: ao invés de consumir um peixe frito, por exemplo, prefira a opção assada ou grelhada;
  • Fuja do açúcar: opte por alimentos com baixo teor de açúcar. Substitua o chocolate ao leite por um com 70% de cacau;
  • Exercícios físicos: pratique, regularmente, atividades físicas.

Fonte: Dr. Cleverson Gomes Jr – mastologista – CRM: ES 8267

Confira outros conteúdos do Blog que também vão te interessar:

Câncer de mama: 4 sinais da doença!

A amamentação previne o câncer de mama. Entenda como!

5 dicas para lidar com o câncer de mama

#DicaDaNutri: alimentos que auxiliam no tratamento do câncer


Agosto-Verde-Claro.jpg

A conscientização e a prevenção do linfoma são pautadas neste mês, com a campanha nacional do Agosto Verde Claro. O linfoma é um tipo de câncer que inicia nas células do sistema linfático. O linfoma de hodgkin pode ter início em qualquer lugar do corpo, mas acontece com mais frequência nos gânglios linfáticos, especialmente no tórax, pescoço e axilas. O linfoma não hodgkin acomete com mais frequência adultos – inicia geralmente gânglios e tecidos linfáticos, mas também pode atingir a pele, com o linfoma da pele, por exemplo.

As principais diferenças estão nas características malignas das células, que podem ser identificadas após biópsia e análise de um especialista.

Importância do diagnóstico precoce do linfoma

Como acontece com qualquer tipo de câncer, o linfoma quando descoberto em sua fase inicial, possui uma taxa de resposta muito maior e positiva ao tratamento. É importante ficar atento às alterações do corpo e o aparecimento dos sinais.

Quais são os sintomas do linfoma de hodgkin?

  • Aumento dos linfonodos, sem motivo aparente;
  • Suor excessivo durante à noite;
  • Febre;
  • Perda de peso;
  • Coceira;
  • Sensação de cansaço;
  • Perda de apetite;
  • Tosse e dificuldade em respirar podem ocorrer, quando o tórax é afetado.

E os sinais do linfoma não hodgkin, quais são?

  • Aumento dos linfonodos;
  • Inchaço na região do abdômen;
  • Pressão no peito;
  • Hematomas ou hemorragias;
  • Calafrios;
  • Perda de peso;
  • Infecções frequentes;
  • Febre;
  • Sudorese noturna;
  • Coceira pode ocorrer nos casos de linfoma na pele;
  • Na região do cérebro, o linfoma pode gerar dores constantes de cabeça e até causar convulsões.

Tratamento do linfoma

Cada tipo precisará ser avaliado por um profissional, que indicará o melhor tratamento do linfoma. Quimioterapia, transplante de medula, imunoterapia e radioterapia são algumas das opções.

Prevenção do linfoma

Parte da prevenção do linfoma está com os hábitos e estilos de vida. Opte por uma vida mais saudável, guiada por uma alimentação saudável e com a prática de exercícios físicos.

Apoie o Agosto Verde Claro você também

Nós, da Medquimheo, apoiamos a causa do Agosto Verde Claro. Compartilhe essa informação com amigos e familiares e vamos, juntos, na luta contra o câncer!

Dicas extras Medquimheo

Se você gostou deste material, sugerimos a leitura de outros que também podem te interessar:

Linfoma é o 2º tipo de câncer que mais atinge jovens

Dica da nutri sobre alimentação para doador de medula óssea

Imunoterapia: saiba o que é

Até o próximo post!

Fonte: Dra. Carolina Conopca – oncologista clínica – CRM: 11.130


sanduíche.jpg

A quimioterapia pode causar diversos efeitos colaterais ao paciente em tratamento de câncer. Nas primeiras horas, ou até alguns dias após o uso da medicação, podem ocorrer náuseas, alteração do paladar e falta de apetite. Todos esses sintomas são capazes de tornar a alimentação um momento difícil.

Para que a alimentação seja facilitada no dia a quimioterapia, a nutricionista da Medquimheo Naira Fraga reuniu dicas de lanches saudáveis e fáceis de preparar!

Opções de lanches para os dias de quimioterapia

A nutricionista explica que, alimentar-se a cada três horas, com pequenas porções, é uma ótima estratégia para os dias de tratamento. No momento de náuseas intensas, é indicada a ingestão de alimentos de textura mais seca. Alguns exemplos são os vegetais desidratados na forma de chips como mandioca, banana, batata e milho. Eles podem ser consumidos sozinhos ou com patês naturais, conforme a indicação da nutricionista.  

O sanduíche com recheio de patê de frango desfiado, com creme de ricota e hortelã ou manjericão é uma ótima sugestão de lanche saudável para ser experimentado. “Outra comida de fácil preparo e também nutritiva é a salada de macarrão com frango e legumes”, acrescentou.

Picolés cítricos como limão ou abacaxi são opções refrescantes que ajudam no controle de náuseas e perda do paladar. O mesmo vale para as frutas cítricas, que podem ser consumidas geladas ou na forma de sucos como de abacaxi com hortelã, de laranja com morango ou maracujá. Também pode ser feito um milk shake saudável em casa com frutas congeladas como banana e maracujá batidas no liquidificador com leite.

“Salpicar uma colher de leite em pó sobre as frutas ou na salada de fruta faz com que os lanches se tornem mais nutritivos sem deixá-los pesados”, acrescentou.

Como reduzir a náusea e a alteração do paladar?

Para reduzir a náusea durante o tratamento de câncer, a nutricionista indica que os pacientes podem dar preferência a alimentos mais frios ao invés dos quentes.

“Ingerir algo levemente ácido antes das refeições como suco de limão ou maracujá, molhos de limão para as saladas ou ralar o limão congelado por cima da comida também pode auxiliar no controle da náusea e da alteração do paladar”, disse Naira.

Veja também aqui no Blog alimentos que auxiliam no tratamento do câncer.

Fonte: Naira Marceli Fraga Silva – nutricionista – CRN4: 15101252.


sucos-verdes-saudaveis.jpg

Uma pesquisa recente do Ibope comprova um dado que, com certeza, você já imaginava: 98% dos brasileiros entrevistados se classificaram como cansados e 61%, exaustos. Não é incomum uma vida corrida, atarefada e com pouco tempo para cuidar de si, isso porque conciliar estudo, trabalho, família, relacionamento, não é algo fácil. Por conta disso, muitas vezes, acabamos sem forças para as tarefas do dia a dia. No post de hoje, trouxemos uma receita de um suco verde, que é rápido e simples de fazer e que conseguirá te proporcionar bastante energia!   

Suco verde de pêssego

Ingredientes:

  1. 6 cubos de gelo;
  2. 1 xícara de espinafre fresco;
  3. 1 xícara de leite de amêndoas;
  4. 1 ½ xícara de pêssego congelado;

Modo de fazer:

No liquidificador bata todos os ingredientes por aproximadamente 1 minuto e, em seguida, sirva em um copo.

Espinafre e seus benefícios

O espinafre é uma hortaliça versátil e que apresenta inúmeras vantagens para a saúde. A nutricionista da Medquimheo, Naira Fraga, explica alguns deles. “O espinafre ajuda a fortalecer o sistema imunológico, é rico em vitamina A, C, magnésio e coenzima Q10. Além disso, é um bom aliado ao combate ao câncer, seus fitoquímicos ajudam no combate aos radicais livres, fator influenciador do desenvolvimento da doença”, explica.

Pêssego e seus prós  

“O pêssego é rico em vitamina A, C e vitaminas do complexo B”. Listamos abaixo as vantagens do consumo dessa fruta:

  1. Combate radicais livres: como é rico em vitamina C, o pêssego consegue abastecer os estoques de antioxidantes no organismo, o que combate a ação dos radicais livres, responsáveis por efeitos colaterais como o envelhecimento precoce e o surgimento de algumas doenças, como o câncer por exemplo;
  1. Combate o intestino preso e oferece sensação de saciedade:  em razão da grande quantidade de fibras, o pêssego proporciona uma maior saciedade após a ingestão, além de ser um excelente alimento no tratamento do intestino preso;

Faça um suco verde de pêssego e se sinta bem e com energia suficiente para aproveitar o máximo do seu dia!

Para mais dicas de alimentação saudável, continue acompanhando os posts do blog da Medquimheo!

Fonte: Naira Fraga – nutricionista – CRN4: 15101252