BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

câncer infantojuvenil

dia-internacional-da-luta-contra-o-cancer-infantil.jpg

Celebrado no dia 15 de fevereiro, o Dia Internacional da Luta Contra o Câncer Infantil, tem o intuito de promover a conscientização para o diagnóstico precoce da doença, o que aumenta em 70% as chances de cura. Para comemorar a data, nós, da Medquimheo, preparamos um post super especial com informações importantes e uma surpresa incrível ao final! Confira!

Quais são os sintomas do câncer infantil?

Em estágios iniciais, os sintomas do câncer infantil podem ser semelhantes a doenças comuns da infância. É exatamente por isso que os pais precisam estar atentos a qualquer queixa de seus filhos.

“Crianças não inventam sintomas e é por isso que os pais precisam estar atentos. Caso notem alguma anormalidade, precisam levar seus filhos para uma avaliação com pediatras. Vale ressaltar que o câncer infantil possui altas chances de cura quando diagnosticado precocemente.”

-Dra. Maria Magdalena

Como é o tratamento do câncer infantil?

Segundo o Instituto Oncoguia, o tratamento do câncer infanto-juvenil é indicado com base no tipo de estadiamento da doença. As opções podem incluir quimioterapia, cirurgia e radioterapia. Em muitos casos, é comum a combinação destas opções.

Como conversar com os filhos sobre câncer?

Dialogar com uma criança ou adolescente sobre um assunto tão delicado quanto o câncer não é uma tarefa fácil, e nós sabemos! Pensando nisso, preparamos algumas dicas que podem ajudar:

  1. Explique com palavras simples e que façam parte do vocabulário deles;
  2. Responda com honestidade todas as dúvidas que forem surgindo;
  3. Caso não saiba responder, diga: “Não sei, mas podemos tentar descobrir a resposta juntos”.

O mais importante é passar segurança e conforto!

Conheça a Vitória!

Para marcar a data, nossa equipe preparou um material exclusivo para as crianças soltarem a criatividade! A Vitória é um personagem que luta contra o câncer infantil e está disposta a alegrar e trazer um colorido especial ao dia de hoje 🙂

Baixe as imagens abaixo, imprima e garanta muita diversão para seu pequeno enquanto ele brinca de colorir e montar looks!

Fonte: Dra. Maria Magdalena Frechiani, oncologista pediatra, CRM ES 1677.


Setembro-Dourado.jpg

Independente da situação, descobrir o diagnóstico do câncer é uma situação extremamente difícil e delicada. Mas e quando isso acontece com uma criança ou adolescente? Como são novos e viveram poucos momentos importantes da vida, o quadro torna-se ainda mais complicado de enfrentar. No entanto, de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), hoje, cerca de 80% dos casos podem ser curados, se diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados. Para conscientizar a sociedade, principalmente os pais, sobre a necessidade de se atentar aos sintomas sugestivos do câncer infantojuvenil, foi criado o Setembro Dourado.

Câncer em crianças x câncer em adultos

No Brasil, ainda sobre os dados do Inca, o câncer infantojuvenil representa a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos. Os tipos mais frequentes de câncer infantojuvenil são as leucemias e os linfomas. Diferentemente do que acontece nos adultos – em que o câncer está relacionado a fatores de risco do meio ambiente, como o álcool e cigarro – nas crianças e jovens, é formado por uma célula que não amadureceu como deveria e, começou a se multiplicar de forma desordenada. A oncologista pediátrica Maria Magdalena Frechiani destaca que o Setembro Dourado contribui, diretamente, para a detecção e o tratamento precoces”.

Atenção especial aos sintomas do câncer infantojuvenil

Os sinais da doença não são específicos e, não necessariamente, indicam seu diagnóstico. Entretanto, a oncologista pediátrica pede para que se tenha atenção e procure um especialista caso sejam observados os seguintes sintomas: palidez, dor óssea, hematomas ou sangramentos pelo corpo, caroços ou inchaços, perda de peso sem causa aparente, febre e sudorese noturna, tosse persistente ou falta de ar, alterações oculares, inchaço abdominal, dores de cabeça, vômitos recorrentes pela manhã ou com piora durante o dia e dores nos membros.

#SetembroDourado: apoie esta causa!

“Para que todas as crianças e adolescentes obtenham maiores chances de cura e vivam uma vida com mais qualidade, vamos ajudar a vestir nosso País de dourado. É muito importante disseminarmos, não só neste mês, como em todos os outros, o máximo de informações possíveis sobre o câncer infantojuvenil”, finaliza a especialista.

Fonte: Dra. Maria Magdalena Frechiani – oncologista pediátrica – CRM: ES 1677

Aproveite para conferir outros conteúdos que também podem te interessar:

Lanches saudáveis e fáceis para o dia da quimioterapia

Câncer e depressão: entenda a relação!

Exames oncológicos: como e quando fazer?


cancer-infantojuvenil-medquimheo.jpg

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), entre 2009 e 2013, o câncer foi responsável por cerca de 12% dos óbitos em crianças e adolescentes na faixa de 1 a 14 anos e, 8%, de 1 a 19 anos. O câncer infantojuvenil engloba vários tipos (para conferir mais sobre quais são, clique aqui). O que apresenta maior percentual de incidência é a leucemia. Somente na região sudeste são previstos, até o final de 2019, 4.460 casos e 190 só no Espírito Santo.

Nas crianças e adolescentes, a doença afeta as células do sistema sanguíneo, o nervoso e os tecidos de sustentação.

Alerta para os sintomas!

A oncologista da Medquimheo Morgana Stelzer, atenta para os sinais. “Como na fase inicial os indícios podem ser semelhantes a doenças comuns da infância, é importante que os pais, além de levarem a criança regularmente ao pediatra, atentem-se e deem valor às reclamações frequentes referentes a alguma dor ou desconforto que esteja sentindo”, alerta.

“Os profissionais de saúde, além de valorizarem as queixas, devem avaliar os sinais e, caso necessário, encaminhar a exames específicos para investigação, principalmente se a dor estiver recorrente”, completa.   

Saiba os indicativos mais comuns:

  • Perda de peso, palidez ou cansaço inexplicados;
  • Dores nos ossos, juntas, costas e fraturas fáceis;
  • Manchas roxas ao redor dos olhos ou pelo corpo;
  • Alteração no andar ou perda de equilíbrio e da fala;
  • Caroço em qualquer parte do corpo, principalmente na barriga;
  • Dores de cabeça por mais de duas semanas, acompanhadas ou não por vômitos;
  • Febre prolongada e inexplicada;
  • Reflexo esbranquiçado nos olhos, estrabismo recente, perda da visão ou crescimento do olho;
  • Sangramentos sem machucados.

Chances de cura chegam a 80%

Dr.Morgana tranquiliza e traz uma boa notícia! “O câncer infantojuvenil é altamente curável e responde muito bem ao tratamento da quimioterapia. O próprio Inca afirma que a taxa média de cura é de 80%”, conta.

Como conversar com os filhos sobre câncer?

Dialogar com uma criança ou adolescente sobre um assunto tão delicado quanto o câncer não é uma tarefa fácil, e nós sabemos disso. Mas existem algumas dicas que podem ajudar:

  1. Escolha um lugar tranquilo;
  2. Explique de maneira adequada, ou seja, use uma linguagem com palavras simples, que faça parte do vocabulário deles;
  3. Responda com honestidade todas as dúvidas que forem surgindo;
  4. Caso não saiba responder, diga: “Não sei, mas podemos tentar descobrir a resposta juntos”.

O mais importante é passar segurança e conforto!  

Em caso de dúvida, a Medquimheo está à disposição para ajudar. O câncer tem cura!

Fonte: Dra. Morgana Stelzer – oncologista clínica – CRM: 9269