BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

câncer de cabeça e pescoço

Câncer-de-cabeça-e-pescoço.jpg

O mês de julho é conhecido como Julho Verde. Mas você sabe por quê? Trata-se de uma campanha realizada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), junto com a Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG Brasil). Tem como intuito principal, conscientizar a população sobre a prevenção dos tumores de cabeça e pescoço, que atingem boca, língua, palato mole e duro, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe, esôfago cervical, tireoide e seios paranasais.

No dia 27 de julho, comemora-se o Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço. Como nós, da Medquimheo, abraçamos esta causa, no post de hoje você confere mais detalhes sobre a iniciativa.

#JulhoVerde

A oncologista da Medquimheo Carolina Conopca, conta que para conseguir conscientizar as pessoas e, assim alcançar o objetivo da campanha, são feitos alertas sobre os fatores de risco do câncer de cabeça e pescoço. “O tabagismo, consumo de álcool, as infecções por HPV e o excesso de exposição solar são alguns deles. A data reforça, também, a importância do diagnóstico precoce”, explica a especialista.

Importância do autoexame

As chances de cura aumentam, significativamente, caso a doença seja detectada no início. Feridas na boca que não cicatrizam há mais de duas semanas ou inchaços no pescoço, que são alguns dos sintomas, podem ser identificados por meio do autoexame.

Outros sintomas do câncer de cabeça e pescoço

Na fase inicial da doença, os tumores costumam ser assintomáticos, ou seja, não apresentam sinais. No entanto, nossa oncologista relata, que, à medida que se desenvolvem, geralmente causam:

  • Dor local;
  • Dificuldade para engolir;
  • Nódulo persistente no pescoço;
  • Lesão na boca que não cicatriza;
  • Rouquidão por mais de três semanas, principalmente em fumantes e consumidores frequentes de bebidas alcoólicas.

A Medquimheote convida a abraçar também a campanha #JulhoVerde.

Aproveite para continuar acompanhando os posts do blog e fique por dentro de informações relacionadas ao câncer.

Fonte: Dra. Carolina Conopca – oncologista clínica – CRM: 11.130



Até este sábado, 26, está em evidência a Campanha de Conscientização do Câncer de Cabeça e Pescoço, promovida por especialistas da área em todo o País.  O objetivo é instruir e alertar à população sobre os tumores que podem atingir essas duas partes do corpo. A língua, a laringe, faringe, as glândulas salivares, os seios nasais, a cavidade oral e a nasal estão entre os espaços que a doença pode afetar.

Wagner Gumz Segundo, cirurgião de cabeça e pescoço da clínica capixaba Medquimheo, conta que a incidência de câncer de boca, por exemplo, aumentou nos últimos anos, principalmente no sexo feminino devido ao aumento do tabagismo entre as mulheres. A doença afeta principalmente os homens acima de 45 anos. O tabagismo associado ao alcoolismo é um fator de risco, mas a má higiene bucal, infecções por HPV e a exposição à radiação UVA solar (câncer de lábio), também estão relacionados.

“Assim como é aliado no diagnóstico precoce do câncer de mama, o autoexame torna-se uma arma poderosa para o diagnóstico precoce e tratamento rápido do câncer de boca. Qualquer alteração encontrada e que não desapareça com facilidade pode ser um motivo de alerta e deve-se procurar o especialista (cirurgião de cabeça e pescoço). Tal profissional poderá avaliar a necessidade da realização de uma biópsia para a confirmação do diagnóstico”, disse o especialista.

Os sintomas geralmente são seguidos por feridas com ou sem bordas elevadas, que apresentam tons como branco e vermelho. Outro fator de alerta: no início os machucados não doem e não cicatrizam. Qualquer alteração de cor ou volume deve ser examinada imediatamente por um dentista ou por um médico. Dificuldade para falar ou engolir, emagrecimento rápido e o surgimento de nódulos no pescoço podem indicar o avanço do transtorno.

Para cada tumor há um tratamento diferente

Cada tumor irá apresentar um sinal e um tratamento diferente. “No câncer de laringe não é possível indicar o autoexame, mas o paciente pode ficar atento com alguns sintomas, tais como rouquidão constante, dificuldade para engolir e ínguas no pescoço. O que atinge a cavidade oral pode ser descoberto com uma simples consulta ao espelho. O mais importante é que cada pessoa entenda que o diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento. Em algumas situações, o tratamento conservador é suficiente, já em outras, será fundamental uma cirurgia. Cada caso apresentará uma demanda diferente”, completou.