Leucemia e manchas roxas na pele

abril 11, 2018

A leucemia é o câncer dos tecidos formadores de sangue, incluindo a medula óssea. Existem muitos tipos, como leucemia Linfoblástica aguda, Mielóide aguda e Linfocítica crônica.

Raramente pacientes com leucemia não apresentam sintomas. Alguns casos de Leucemia Linfóide Crônica ou Leucemia Mielóide Crônica podem ser diagnosticados após alterações em exames de sangue de rotina. Porém, sintomas como fadiga, perda de peso, infecções frequentes, sangramento fácil e manchas roxas na pele (também conhecidas como equimoses) devem ser relatados ao médico e, se necessário, investigadas com exames mais aprofundados.

A ocupação da medula pelas células da leucemia provoca queda na produção das células normais. A redução de produção de hemácias resulta em anemia. O mesmo também pode ocorrer com os glóbulos brancos (leucócitos) e com as plaquetas, outro tipo de célula sanguínea produzida na medula óssea. Como as plaquetas são as células responsáveis pelo processo inicial da coagulação do sangue, é comum pacientes com baixo índice de plaquetas apresentarem sangramentos, principalmente na gengiva e manchas roxas na pele. Petéquias, que são múltiplos pequenos pontos vermelhos na pele, também podem ocorrer.

Apesar das manchas roxas na pele serem frequentemente associadas à doença, é necessário realizar um hemograma, que irá identificar se a contagem de plaquetas está menor do que o esperado. Caso detecte alguma anormalidade, o hematologista poderá investigar a causa desta alteração até chegar ao diagnóstico final.

Quando a doença é de crescimento lento, o tratamento pode incluir apenas o monitoramento. Já em tipos mais agressivos, o tratamento inclui quimioterapia, que, às vezes, é seguida por radioterapia e transplante de células-tronco.