Histerectomia

março 14, 2017

A histerectomia consiste na remoção cirúrgica do útero, indicada para amenizar os avanços no câncer do colo de útero, e outros cânceres ginecológicos. Além disso, o procedimento pode ser utilizado no tratamento de problemas como mioma uterino, dor pélvica, sangramento uterino anormal, endometriose e prolapso uterino.

No entanto, a histerectomia só é realizada quando outros tratamentos clínicos não obtiveram sucesso, sendo a última solução para curar as doenças. A histerectomia se divide em três categorias: parcial, quando ocorre a remoção da parte superior do útero (corpo), mas se mantém o colo do útero em sua posição, sem retirá-lo; completa, retirada inteira do útero, incluindo a remoção do colo; e a radical, quando é necessária a remoção do útero e dos ligamentos do órgão, do colo do útero e de tecido da vagina em torno do colo.

Após o procedimento, a paciente pode voltar às atividades normais após um período de quatro a seis semanas, sendo recomendável caminhadas leves para evitar o desenvolvimento de coágulos sanguíneos nas pernas, acelerando a cicatrização.