Esferocitose hereditária

novembro 16, 2016

A esferocitose hereditária é um tipo de anemia que provoca a alteração do formato das hemácias, também conhecidas como glóbulos vermelhos. Em vez de uma forma de disco, como o usual, elas apresentam a forma de esfera (esferócitos). Essa alteração faz com que, na passagem das hemácias pelo baço, elas sejam reconhecidas como “imperfeitas” e destruídas. O baço tem como principal função fazer o “controle de qualidade” do sangue, retirando os glóbulos envelhecidos ou defeituosos, além de contribuir de forma importante na defesa contra infecções.

Dessa forma, quem sofre de esferocitose hereditária apresenta sintomas como fadiga, cansaço, palidez ou pele amarelada (icterícia) e aumento do baço. O distúrbio é hereditário e ainda não tem cura. No entanto, os esferócitos desempenham suas funções normalmente, somente sendo reconhecidos como “defeituosos” devido ao seu formato. Assim, o tratamento consiste em uma cirurgia para remoção completa do baço, conhecida como esplenectomia, para que os esferócitos não sejam mais destruídos. Após o procedimento, a anemia e a icterícia são revertidas e o paciente com esferocitose hereditária tem uma vida normal, embora as hemácias permaneçam esféricas.