BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

Notícias

receitas-de-fim-de-ano-de-dar-agua-na-boca.jpg

Mais um ano chega ao fim e, para que você possa aproveitar o cardápio das festas de fim de ano sem medo, nós, da Medquimheo, preparamos um post com dicas de receitas para fazer no final de ano e deixar sua ceia ainda mais deliciosa.

Consultamos nossa nutricionista, Drª Naira Fraga, para sugerir duas receitas especiais e surpreender seus convidados com pratos saudáveis e saborosos. Quer saber quais são? Continue acompanhando! 

Receita de carne marinada com limão, alecrim e mel

Os pratos principais são sempre os mais aguardados dos cardápios das festas de fim de ano. Que tal inovar sua ceia com um prato diferente e saboroso? A nossa dica de prato principal é: carne marinada com limão, alecrim e mel

Ingredientes: 

  • 1kg de filé mignon (ou de seu corte bovino favorito) 
  • suco de 1 limão
  • duas colheres (sopa) de mel
  • alecrim
  • sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:

Em uma tigela, esprema o limão, junte ao suco o alecrim, o mel, o sal e a pimenta. Misture bem e reserve. Na assadeira, disponha os pedaços da carne e, com auxílio de uma colher, despeje o caldo sobre eles. Cubra com plástico filme e deixe marinar. Depois é só colocar a carne para assar e servir! 

Receita de arroz selvagem com castanhas 

Uma dica para acompanhamento do prato principal é apostar no arroz selvagem com castanhas. Além de exótico, o prato é uma excelente opção versátil, ou seja, combina com tudo!

Ingredientes:

  • 300g de arroz selvagem
  • 60g de manteiga
  • ½ maço de cebolinha verde picada (parte clara)
  • ½ maço de cebolinha verde picada (parte escura)
  • 100g de castanha-do-Pará picada
  • sal e pimenta a gosto 

Modo de preparo:

Cozinhe o arroz selvagem com sal, em fogo baixo, com panela tampada, até que fique cozido. Em outra panela, aqueça a manteiga e nela doure a parte clara da cebolinha e a castanha-do-pará. Acrescente o arroz, corrija o sal e tempere com pimenta. Retire do fogo e acrescente a cebolinha verde picada.

Sobremesa para as festas de fim de ano

Para fechar o cardápio da sua ceia de fim de ano com chave de ouro, a dica de sobremesa é investir em morangos com tâmaras. A forma de servir esta sobremesa vai depender da sua criatividade! 

Gostou do post? Então fique por aqui e descubra outros dois conteúdos incríveis do nosso blog:  

Suco de romã possui propriedades anticancerígenas

3 receitas que ajudam na quimioterapia


importancia-da-doaçao-de-sangue-no-fim-de-ano.jpg

Festas de fim de ano e férias são períodos em que os bancos de sangue e hospitais registram baixa no estoque de sangue disponível. E é exatamente essa a época de maior utilização de sangue! Isso acontece por conta dos elevados índices de acidentes e imprudências no trânsito, entre outros fatores.

Como a doação de sangue fica ainda mais importante no fim de ano, nós, da Medquimheo, preparamos um post para esclarecer todas as suas dúvidas sobre esse gesto de solidariedade.

Por que é importante doar sangue?

Doar sangue é um gesto de solidariedade muito importante, já que com apenas uma doação é possível salvar até três vidas! 

É seguro doar sangue? 

Sim, doar sangue é seguro! Todo o processo de coleta de sangue do doador é feito com materiais descartáveis e de uso único, evitando o risco de contaminação. 

Não se preocupe! Doar sangue não prejudica a saúde do doador. Durante o processo, são coletados menos de 10% do volume total de sangue do seu corpo, o que corresponde a, aproximadamente, 450 ml de sangue. 

Quanto tempo dura a doação de sangue? 

Todo o processo de doação de sangue, que envolve cadastramento, aferição de sinais vitais, triagem clínica, coleta de sangue e lanche, leva cerca de 40 minutos. 

O que é feito com o sangue doado?

Com apenas uma doação de sangue é possível salvar três vidas. Isso só se torna possível porque o sangue coletado sofre separações em laboratório. Assim, ele é dividido em: concentrado de hemácias, concentrado de plaquetas e plasma.

Quem pode doar sangue?

Para ser um doador de sangue é preciso ter entre 16 e 69 anos, ter peso acima dos 50 kg, não estar em jejum e não apresentar histórico de doenças sexualmente transmissíveis pelo sangue. 

Ressaltamos que pessoas entre 16 e 18 anos precisam de autorização dos pais ou do responsável legal.

Quem não pode doar sangue? 

Pessoas com infecções, que tenham passado por procedimentos cirúrgicos recentes e que apresentem histórico de anemia são exemplos de pessoas que não podem doar sangue

Além disso, o doador será avaliado com um questionário e, após a entrevista, o profissional triagista avaliará se poderá ou não fazer a doação de sangue 

Que tal aproveitar o final de ano e presentear quem precisa com sua doação de sangue

Gostou do post? Então fique por aqui e aproveite outros dois conteúdos do nosso Blog que preparamos para você:

Quem pode doar sangue? Descubra todos os requisitos!

Doar sangue: um ato seguro que pode salvar muitas vidas!

Fonte: Alessandra Nunes Prezotti, hematologista – CRM: 6782 ES


dezembro-laranja-cancer-de-pele.jpg

Um dos tipos mais comuns de câncer no Brasil é o câncer de pele. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Câncer (Inca), a doença representa cerca de 30% de todos os casos de câncer registrados no Brasil. 

Com a proximidade do verão, os riscos de desenvolver câncer de pele aumentam, já que passamos a ficar mais expostos ao sol. Por isso, no mês da conscientização sobre o câncer de pele, nós, da Medquimheo, preparamos um post especial e informativo para você.

que é câncer de pele? 

O câncer de pele é o tipo mais frequente de câncer entre os brasileiros. Essa doença é dividida em dois tipos. A doença é provocada por um crescimento descontrolado das células que compõem a pele. 

Tipos de câncer de pele

Existem dois tipos de câncer de pele. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, são eles: câncer de pele melanoma e não melanoma. 

  • Câncer de pele melanoma: é o tipo mais grave da doença, devido sua alta possibilidade de provocar metástase (disseminação de tumores para outros órgãos do corpo).
  • Câncer de pele não melanoma: é o mais comum no Brasil e possui altas chances de cura, mas, se não tratado devidamente, pode deixar marcas permanentes na pele. 

Sintomas do câncer de pele

Dentre os sintomas do câncer de pele, a dermatologista Mary Lane Alves ressalta quais são os principais e mais comuns da doença: sinais ou pintas que mudam de forma ou cor, feridas que não cicatrizam em até 4 semanas e a manchas que coçam ou sangram.

Como prevenir o câncer de pele?

Uma das principais formas de prevenir o câncer de pele é por meio da utilização de filtro solar todos os dias, mesmo nos dias menos ensolarados, combinado? 

Além disso, é preciso evitar exposição ao sol durante o período entre 10h e 16h, que são as horas do dia com maior índice de radiação solar. Mas se for indispensável sair nesses horários, o recomendado é se proteger com roupas, chapéus e óculos de sol.

Como tratar o câncer de pele?

Em casos mais simples, o recomendado para tratar o câncer de pele são cirurgias oncológicas para retirada das lesões. Já para casos mais avançados, o tratamento vai variar de acordo com tamanho do tumor, podendo ser indicadas, além de cirurgia, a radioterapia e a quimioterapia.

O que é Dezembro Laranja? 

Inspirado na cor do sol, o Dezembro Laranja é o mês da conscientização sobre a importância da prevenção do câncer de pele

Fique atento e cuide da sua pele! 

Gostou? Então fique por aqui e acesse outros dois posts do nosso Blog que preparamos para você:

Saiba como prevenir o câncer de pele não melanoma

Saiba mais sobre o câncer de pele melanoma


Novembro-Azul-1.jpg

A campanha Novembro Azul reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. Propõe ao público masculino mudanças de hábitos, acontece anualmente em todo o mundo.  O oncologista Vitor Fiorin destaca que até o final de 2019 são previstos, somente para o Espírito Santo, 1.510 novos casos da doença.

 “O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. O movimento Novembro Azul é extremamente importante, já que é fundamental informar, alertar e conscientizar os homens sobre a doença, para que, assim, os índices de mortalidade dos pacientes possam diminuir ”, acrescenta.

Quais são os fatores de risco do câncer de próstata?

É preciso estar atento aos fatores que podem aumentar as chances de um homem desenvolver o câncer de próstata. Listamos abaixo alguns deles. Confira:

  • Idade: o risco de desenvolver câncer de próstata aumenta com a idade. Segundo dados divulgados pelo Instituto Oncoguia, aproximadamente 80% dos homens são diagnosticados após os 65 anos. São raros casos da doença em homens com menos de 40 anos – quando isso acontece, geralmente, associa-se ao histórico familiar;
  • Histórico familiar: caso o pai, avô ou irmão tenham adquirido o câncer de próstata antes dos 60 anos, aumentam as chances de desenvolvimento da doença; 
  • Sobrepeso e obesidade: ainda de acordo com o Instituto Oncoguia, a obesidade está influenciando, diretamente, na incidência do câncer de próstata. Além disso, o tumor em homens obesos é mais agressivo.

Saiba quais são os sintomas do câncer de próstata

Durante a fase inicial da doença, o câncer de próstata costuma ter a evolução silenciosa e dificilmente apresenta sintomas. No entanto, vale ressaltar 

que, quando apresenta, os mais frequentes são:

  • Dificuldade em urinar;
  • Demora em começar e terminar de urinar;
  • Sangue na urina;
  • Diminuição do jato de urina;
  • Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Já em fase avançada, pode provocar dor óssea e, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Esteja atento às formas de prevenção!

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), as chances de cura do câncer de próstata aumentam em 90% quando a doença é diagnosticada precocemente. A detecção pode ser feita por meio da investigação, com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos. Fazê-la precocemente é uma estratégia para encontrar o tumor ainda em fase inicial e, assim, facilitar o tratamento e a cura.

A melhor forma para prevenir e/ou detectar o câncer de próstata é realizar anualmente, a partir dos 45 anos de idade, o exame de toque retal e o de sangue, para avaliar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Apesar de ser cercado de preconceito e evitado por grande parte dos homens, o toque retal tem uma importância enorme, pois é por meio dele que o urologista consegue perceber a presença de um nódulo e até mesmo sentir a consistência da próstata, podendo, assim, identificar um tumor.

Faça como a Medquimheo e abrace a campanha do Novembro Azul. Separamos mais dois conteúdos sobre câncer de próstata que serão muito úteis a você. Confira:

O tabu existente no exame para prevenção e detecção do câncer de próstata

Câncer de próstata é o mais incidente em homens capixabas


Agosto-Verde-Claro.jpg

A conscientização e a prevenção do linfoma são pautadas neste mês, com a campanha nacional do Agosto Verde Claro. O linfoma é um tipo de câncer que inicia nas células do sistema linfático. O linfoma de hodgkin pode ter início em qualquer lugar do corpo, mas acontece com mais frequência nos gânglios linfáticos, especialmente no tórax, pescoço e axilas. O linfoma não hodgkin acomete com mais frequência adultos – inicia geralmente gânglios e tecidos linfáticos, mas também pode atingir a pele, com o linfoma da pele, por exemplo.

As principais diferenças estão nas características malignas das células, que podem ser identificadas após biópsia e análise de um especialista.

Importância do diagnóstico precoce do linfoma

Como acontece com qualquer tipo de câncer, o linfoma quando descoberto em sua fase inicial, possui uma taxa de resposta muito maior e positiva ao tratamento. É importante ficar atento às alterações do corpo e o aparecimento dos sinais.

Quais são os sintomas do linfoma de hodgkin?

  • Aumento dos linfonodos, sem motivo aparente;
  • Suor excessivo durante à noite;
  • Febre;
  • Perda de peso;
  • Coceira;
  • Sensação de cansaço;
  • Perda de apetite;
  • Tosse e dificuldade em respirar podem ocorrer, quando o tórax é afetado.

E os sinais do linfoma não hodgkin, quais são?

  • Aumento dos linfonodos;
  • Inchaço na região do abdômen;
  • Pressão no peito;
  • Hematomas ou hemorragias;
  • Calafrios;
  • Perda de peso;
  • Infecções frequentes;
  • Febre;
  • Sudorese noturna;
  • Coceira pode ocorrer nos casos de linfoma na pele;
  • Na região do cérebro, o linfoma pode gerar dores constantes de cabeça e até causar convulsões.

Tratamento do linfoma

Cada tipo precisará ser avaliado por um profissional, que indicará o melhor tratamento do linfoma. Quimioterapia, transplante de medula, imunoterapia e radioterapia são algumas das opções.

Prevenção do linfoma

Parte da prevenção do linfoma está com os hábitos e estilos de vida. Opte por uma vida mais saudável, guiada por uma alimentação saudável e com a prática de exercícios físicos.

Apoie o Agosto Verde Claro você também

Nós, da Medquimheo, apoiamos a causa do Agosto Verde Claro. Compartilhe essa informação com amigos e familiares e vamos, juntos, na luta contra o câncer!

Dicas extras Medquimheo

Se você gostou deste material, sugerimos a leitura de outros que também podem te interessar:

Linfoma é o 2º tipo de câncer que mais atinge jovens

Dica da nutri sobre alimentação para doador de medula óssea

Imunoterapia: saiba o que é

Até o próximo post!

Fonte: Dra. Carolina Conopca – oncologista clínica – CRM: 11.130


Câncer-de-cabeça-e-pescoço.jpg

O mês de julho é conhecido como Julho Verde. Mas você sabe por quê? Trata-se de uma campanha realizada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), junto com a Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG Brasil). Tem como intuito principal, conscientizar a população sobre a prevenção dos tumores de cabeça e pescoço, que atingem boca, língua, palato mole e duro, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe, esôfago cervical, tireoide e seios paranasais.

No dia 27 de julho, comemora-se o Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço. Como nós, da Medquimheo, abraçamos esta causa, no post de hoje você confere mais detalhes sobre a iniciativa.

#JulhoVerde

A oncologista da Medquimheo Carolina Conopca, conta que para conseguir conscientizar as pessoas e, assim alcançar o objetivo da campanha, são feitos alertas sobre os fatores de risco do câncer de cabeça e pescoço. “O tabagismo, consumo de álcool, as infecções por HPV e o excesso de exposição solar são alguns deles. A data reforça, também, a importância do diagnóstico precoce”, explica a especialista.

Importância do autoexame

As chances de cura aumentam, significativamente, caso a doença seja detectada no início. Feridas na boca que não cicatrizam há mais de duas semanas ou inchaços no pescoço, que são alguns dos sintomas, podem ser identificados por meio do autoexame.

Outros sintomas do câncer de cabeça e pescoço

Na fase inicial da doença, os tumores costumam ser assintomáticos, ou seja, não apresentam sinais. No entanto, nossa oncologista relata, que, à medida que se desenvolvem, geralmente causam:

  • Dor local;
  • Dificuldade para engolir;
  • Nódulo persistente no pescoço;
  • Lesão na boca que não cicatriza;
  • Rouquidão por mais de três semanas, principalmente em fumantes e consumidores frequentes de bebidas alcoólicas.

A Medquimheote convida a abraçar também a campanha #JulhoVerde.

Aproveite para continuar acompanhando os posts do blog e fique por dentro de informações relacionadas ao câncer.

Fonte: Dra. Carolina Conopca – oncologista clínica – CRM: 11.130


chas-fitoterapicos.jpg

É normal recorrermos aos chás fitoterápicos quando estamos com alguma dor, já que são métodos naturais de tratamento. Contudo, os pacientes oncológicos, principalmente, aqueles em quimioterapia, precisam tomar cuidado com eles, pois podem agravar seus quadros. No post de hoje, vamos explicar o que são esses chás e de que forma são prejudiciais para quem tem câncer. Continue lendo e descubra!

O que são fitoterápicos?

Medicamentos produzidos a partir de partes de plantas, como por exemplo folha, caule, raiz e semente e que têm sua eficácia assegurada no tratamento de determinadas doenças são considerados fitoterápicos. Antes de serem comercializados, estes passam por testes de qualidade e são registrados pelo órgão federal de vigilância sanitária (ANVISA).

Alerta para pacientes quimioterápicos!

Não é incomum os pacientes oncológicos serem bombardeados com informações, vindas da internet, de familiares, conhecidos e até mesmo de vendedores ambulantes, sobre plantas que ajudam no tratamento do câncer ou no controle dos efeitos colaterais da quimioterapia. Em razão disso, acabam iniciando o uso dessas substâncias sem o consentimento da equipe de oncologia.  

Muitas plantas utilizadas não têm nem a avaliação da ANVISA. E de forma equivocada, pensa-se que remédios à base de plantas não oferecem riscos por serem “naturais”, mas não é bem assim! A nutricionista oncológica da Medquimheo alerta que é preciso cautela, especialmente durante o tratamento da quimioterapia.  

“As interações entre a quimioterapia e o fitoterápico podem acontecer desde a absorção no intestino, transporte pelo sangue, processamento pelo fígado e rins até a entrada da substância na célula tumoral. Como resultado pode ocorrer uma exacerbação dos efeitos da quimio. Isso ao primeiro olhar parece até interessante, mas não se engane, a dose da medicação já é planejada de forma que seja efetiva e gere o mínimo de efeitos colaterais possíveis. Essa potencialização, provavelmente, só aumentará os efeitos colaterais e tornará o tratamento mais difícil. Além disso, uma outra possibilidade é a redução dos efeitos da quimioterapia, podendo comprometer o tratamento”, explica a especialista.  

6 exemplos de plantas perigosas durante a quimioterapia:

As plantas são compostas por diversas substâncias, e algumas podem ter efeitos colaterais perigosos, vejamos alguns exemplos:

  1. Noni: o consumo elevado pode causar hepatoxicidade e nefrotoxicidade, ou seja, danos ao fígado e rins, órgãos que comumente estão sobrecarregados durante o tratamento
  2. Babosa: pode causar dores abdominais, diarreia, hepatite aguda e nefrite. Além disso, pode interagir com diversos medicamentos antineoplásicos (utilizados para evitar ou inibir o crescimento e a disseminação de tumores).
  3. Folha de graviola: há relatos de danos renais.
  4. Cogumelo do sol: assim como o Noni também pode causar danos ao fígado.
  5. Cimicifuga: em grandes quantidades pode gerar náuseas.
  6. Chá verde: em grandes quantidades pode gerar danos ao fígado. Parece interagir com diversos medicamentos antineoplásicos.

São várias as formas que os compostos naturais podem interferir no tratamento quimioterápico e pouco se sabe sobre os possíveis efeitos reais dessas substâncias. Por isso, é de extrema importância conversar com o nutricionista e o médico antes de começar a usá-los.  A Medquimheo se preocupa com você e produz conteúdos no blog para te manter bem informado. Continue sempre acompanhando!

Fonte: Naira Fraga – nutricionista – CRN4: 15101252


hipertensao-causas-sintomas-prevencao.jpg

maio 14, 2019 DicasNotícias0

Também chamada de pressão alta, a hipertensão arterial é uma doença crônica, identificada quando os níveis da pressão sanguínea nas artérias estão elevados.

O problema maior está no fato de que como o sangue tem que ser distribuído corretamente por todo o corpo, o coração se esforça mais do que o normal, aumentando os riscos de acidente vascular cerebral, infarto, aneurisma arterial e insuficiência renal e cardíaca. Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil existem mais de 30 milhões de hipertensos, porém apenas 10% fazem o controle adequado. Para descobrir as causas, sintomas e como prevenir continue lendo o post!

Atente-se para as causas!

Apesar da doença ser herdada dos pais em 90% dos casos, existem alguns fatores que influenciam nos níveis de pressão arterial, como o fumo, consumo de bebidas alcoólicas, obesidade, estresse, consumo elevado de sal (devido à maior tendência a reter sódio, que leva a retenção de líquidos e ao aumento da pressão arterial), altos níveis de colesterol e falta de atividade física. Uma observação importante é que a incidência da pressão alta é maior em pessoas negras, em diabéticos, e aumenta com a idade, já que as veias e artérias perdem a flexibilidade.

Alerta para os sintomas!

Dores no peito, tonturas, zumbido no ouvido, fraqueza, dor de cabeça, visão embaçada e sangramento nasal podem ser sinais da hipertensão. No entanto, somente são notados quando há uma elevação realmente significativa da pressão.

Previna-se!

Adotar um estilo de vida saudável é o ponto-chave para reduzir o risco da doença. Separamos algumas dicas a serem seguidas:

  • Não abuse do sal. O ideal é utilizar outros temperos que ressaltam o sabor dos alimentos, como alho e cebola;
  • Pratique atividades físicas regulares;
  • Abandone o fumo;
  • Não abuse no consumo de álcool;
  • Evite alimentos gordurosos;
  • Prefira alimentos naturais, como frutas e verduras.

Exame médico anual

Medir a pressão regularmente é o primeiro passo para o diagnóstico precoce da hipertensão. Recomenda-se que pessoas com mais de 20 anos, meçam pelo menos uma vez ao ano. Contudo, em casos de históricos familiares, a aferição precisa ser realizada mais frequentemente. E, algumas vezes, são necessários outros exames. Somente o médico poderá definir o que é melhor em cada caso.

Para mais informações e dicas, continue acompanhando os posts da Medquimheo.Estamos sempre à disposição!


doacao-de-sangue.jpg

Dados do Ministério da Saúde mostram que, atualmente, 1,6% da população brasileira é doador de sangue. Jovens com idade entre 18 e 29 anos são maioria – 42% do total de doações registradas no país. O Brasil está dentro dos parâmetros exigidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que impõe que pelo menos 1% da população deve ser doadora. Contudo, a meta é sempre aumentar esses números e, por isso, a Medquimheo explica quem pode e como funciona o procedimento de doação de sangue!

Como doar sangue?

Para doar sangue, basta procurar as unidades de coleta, os Hemocentros. Ao chegar lá, será realizada uma checagem, pois existem alguns requisitos necessários para a doação de sangue.

Quem pode doar sangue?

É necessário ter entre 16 e 69 anos, entretanto, os menores de 18 anos precisam da autorização dos responsáveis legais e a primeira doação deve ser feita obrigatoriamente até os 60 anos. Além disso, é preciso pesar, no mínimo, 50 quilos e estar em bom estado de saúde. O interessado deve estar descansado, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 últimas horas e não estar de jejum.

A hematologista da Medquimheo, Alessandra Prezoti, passa algumas recomendações para o dia da doação. “No dia da doação de sangue, o candidato deve apresentar um documento original com foto, preencher um cadastro com informações básicas e responder a um questionário. Em seguida, ele passará por uma triagem para examinar sinais vitais como pressão, pulso e temperatura”, conta.

A entrega da Carteira do Doador é entregue após 20 dias da doação.

Como funciona o procedimento?

A doação de sangue é um ato simples e rápido, mas de extrema importância. “O procedimento é totalmente seguro e não há riscos para o doador, porque nenhum material é reutilizado. A coleta leva em torno de 10 minutos. Depois de coletado, o sangue passa por alguns testes para detectar impurezas que podem prejudicar o receptor e, só depois de voltarem com resultados, é que a bolsa é utilizada”, completa Alessandra.

Qual a frequência da doação de sangue?

A frequência máxima é de quatro doações anuais para o homem e de três doações anuais para a mulher. O intervalo mínimo deve ser de dois meses para eles e de três para elas.

Doe sangue e salve vidas! Para continuar sempre bem informado, não deixe de continuar acompanhando os posts do blog.

Fonte: Alessandra Nunes Prezotti, hematologista – CRM: 6782 ES