BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

Linfoma de Hodking

Agosto-Verde-Claro.jpg

A conscientização e a prevenção do linfoma são pautadas neste mês, com a campanha nacional do Agosto Verde Claro. O linfoma é um tipo de câncer que inicia nas células do sistema linfático. O linfoma de hodgkin pode ter início em qualquer lugar do corpo, mas acontece com mais frequência nos gânglios linfáticos, especialmente no tórax, pescoço e axilas. O linfoma não hodgkin acomete com mais frequência adultos – inicia geralmente gânglios e tecidos linfáticos, mas também pode atingir a pele, com o linfoma da pele, por exemplo.

As principais diferenças estão nas características malignas das células, que podem ser identificadas após biópsia e análise de um especialista.

Importância do diagnóstico precoce do linfoma

Como acontece com qualquer tipo de câncer, o linfoma quando descoberto em sua fase inicial, possui uma taxa de resposta muito maior e positiva ao tratamento. É importante ficar atento às alterações do corpo e o aparecimento dos sinais.

Quais são os sintomas do linfoma de hodgkin?

  • Aumento dos linfonodos, sem motivo aparente;
  • Suor excessivo durante à noite;
  • Febre;
  • Perda de peso;
  • Coceira;
  • Sensação de cansaço;
  • Perda de apetite;
  • Tosse e dificuldade em respirar podem ocorrer, quando o tórax é afetado.

E os sinais do linfoma não hodgkin, quais são?

  • Aumento dos linfonodos;
  • Inchaço na região do abdômen;
  • Pressão no peito;
  • Hematomas ou hemorragias;
  • Calafrios;
  • Perda de peso;
  • Infecções frequentes;
  • Febre;
  • Sudorese noturna;
  • Coceira pode ocorrer nos casos de linfoma na pele;
  • Na região do cérebro, o linfoma pode gerar dores constantes de cabeça e até causar convulsões.

Tratamento do linfoma

Cada tipo precisará ser avaliado por um profissional, que indicará o melhor tratamento do linfoma. Quimioterapia, transplante de medula, imunoterapia e radioterapia são algumas das opções.

Prevenção do linfoma

Parte da prevenção do linfoma está com os hábitos e estilos de vida. Opte por uma vida mais saudável, guiada por uma alimentação saudável e com a prática de exercícios físicos.

Apoie o Agosto Verde Claro você também

Nós, da Medquimheo, apoiamos a causa do Agosto Verde Claro. Compartilhe essa informação com amigos e familiares e vamos, juntos, na luta contra o câncer!

Dicas extras Medquimheo

Se você gostou deste material, sugerimos a leitura de outros que também podem te interessar:

Linfoma é o 2º tipo de câncer que mais atinge jovens

Dica da nutri sobre alimentação para doador de medula óssea

Imunoterapia: saiba o que é

Até o próximo post!

Fonte: Dra. Carolina Conopca – oncologista clínica – CRM: 11.130



Profissionais da saúde promovem, no próximo dia 15, o Dia Mundial da Conscientização sobre Linfomas. O termo Linfoma se refere ao câncer que surge nos tecidos linfáticos, tais como os linfonodos, fígado, baço e medula óssea e pode atingir pessoas de qualquer idade.
O problema se inicia quando um linfócito – um tipo de glóbulo branco presente no sangue – se transforma de uma célula normal, em uma célula maligna. Essas células “doentes” podem se disseminar e provocar a formação de tumores em diversas partes do corpo. Existem dois tipos principais: o Linfoma de Hodking e Linfoma não Hodking. Uma das primeiras manifestações da doença é o aumento do volume dos gânglios linfáticos, principalmente, os do pescoço, axilas, virilha e tórax.

Sintomas

O surgimento de ínguas (sem motivos específicos), emagrecimento rápido, febre diária, principalmente, à tarde e à noite, coceira e sudorese noturna, são sinais de alerta. Falta de ar e tosse também podem acontecer.

Diagnóstico

O exame principal para confirmação do diagnóstico é a biópsia do linfonodo. É ela que confirma o tipo histológico do linfoma, ou seja, “qual o tipo de célula adoeceu”.
Exames de sangue e da medula óssea, radiografias, tomografias computadorizadas, e, mais recentemente, o PET-CT, um exame de imagem que mistura as técnicas de tomografia e cintilografia são essenciais para avaliar a extensão da doença.

Tratamento

Evelyne Monteiro Silva, hematologista da Medquimheo, explica que a escolha da melhor opção de tratamento depende do tipo histológico e da extensão (estágio) da doença. Radioterapia, Quimioterapia, Terapia Alvo e Transplante de Células Tronco Hematológicas (Transplante de Medula) são as principais opções, e podem ser utilizadas isoladamente ou em terapias combinadas.
O objetivo do Dia Mundial da Conscientização sobre Linfomas é alertar a população sobre os sintomas, para que procurem orientação médica ainda no estágio inicial da doença. De acordo com dados da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), o diagnóstico precoce aumenta a chance de cura em até 90%.


setembro 9, 2013 DicasLinfoma de Hodking0

Profissionais da saúde promovem, no próximo dia 15, o Dia Mundial da Conscientização sobre Linfomas. O termo Linfoma se refere ao câncer que surge nos tecidos linfáticos, tais como os linfonodos, fígado, baço e medula óssea. Pode atingir pessoas de qualquer idade.

O problema se inicia quando um linfócito – um tipo de glóbulo branco presente no sangue – se transforma de uma célula normal, em uma célula maligna. Essas células “doentes” podem se disseminar e provocar a formação de tumores em diversas partes do corpo.

Existem dois tipos principais: o Linfoma de Hodking e Linfoma não Hodking.

Uma das primeiras manifestações da doença é o aumento do volume dos gânglios linfáticos, principalmente, os do pescoço, axilas, virilha e tórax.

Sintomas
O surgimento de ínguas (sem motivos específicos), emagrecimento rápido, febre diária, principalmente, à tarde e à noite, coceira e sudorese noturna, são sinais de alerta. Falta de ar e tosse também podem acontecer.

Diagnóstico
O exame principal para confirmação do diagnóstico é a biópsia do linfonodo.

É ela que confirma o tipo histológico do linfoma, ou seja, “qual o tipo de célula adoeceu”.

Exames de sangue e da medula óssea, radiografias, tomografias computadorizadas, e, mais recentemente, o PET-CT, um exame de imagem que mistura as técnicas de tomografia e cintilografia são essenciais para avaliar a extensão da doença.

Tratamento
Evelyne Monteiro Silva, hematologista da Medquimheo, explica que a escolha da melhor opção de tratamento depende do tipo histológico e da extensão (estágio) da doença.

Radioterapia, Quimioterapia, Terapia Alvo e Transplante de Células Tronco Hematológicas (Transplante de Medula) são as principais opções, e podem ser utilizadas isoladamente ou em terapias combinadas.

O objetivo do Dia Mundial da Conscientização sobre Linfomas é alertar a população sobre os sintomas, para que procurem orientação médica ainda no estágio inicial da doença. De acordo com dados da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), o diagnóstico precoce aumenta a chance de cura em até 90%.