BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

Eventos

shutterstock_489814927.jpg

No mês mais rosa do ano, o Grupo de Mulheres da Medquimheo, doará a renda arrecadada com a venda de artesanatos confeccionados por elas para uma instituição de crianças em situação de risco, a Associação de Vivência Shalon. Tudo isso ocorrerá durante o Singularidade Revelada, a ser realizado no dia 19, das 8h30 às 13h, no Espaço de Eventos do Hospital Metropolitano e que trará uma movimentação de amor e apoio ao próximo, além de reunir especialistas que promoverão palestras relacionadas ao tema de câncer de mama e Outubro Rosa.

De acordo com Janine Rover de Mello, nutricionista da Medquimheo e uma das organizadoras, o evento de Outubro Rosa também contará com duas exposições fotográficas, a primeira será do Grupo de Mulheres Guerreiras Medquimheo. “A outra novidade será nossa linda exposição de fotos das crianças que estão em tratamento de câncer na clínica. Todas vestidas de super-heróis, mostrando o quão guerreiras são”, explica.

Gabriela Simmer, psicóloga e profissional também à frente do movimento de Outubro Rosa, explica que um dos principais objetivos é alertar sobre como é fundamental a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama e oferecer um momento de descontração a quem está nesta situação. “As mulheres que têm passado por esse momento estarão ativas no dia e serão, junto com as crianças, as grandes estrelas da exposição fotográfica”, conta.

Valor dos produtos revertidos a quem precisa de ajuda

As almofadas, panos de prato e chaveiros expostos à venda foram feitos pelas mãos das Mulheres Guerreiras da Medquimheo, que se empenham no tratamento contra o câncer e acreditam que a solidariedade é uma fonte determinante para o enfrentamento do problema.

O câncer de mama no ES

Segundo levantamento feito pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), cerca 1130 pessoas podem ser vítimas do câncer de mama no Espírito Santo até o final deste ano. Por isso o diagnóstico precoce é determinante para aumentar as chances de cura. 

Por isso, não deixe de comparecer ao evento Singularidade Revelada e continue acompanhando o Blog da Medquimheo para mais informações sobre o tratamento do câncer de mama.


Medquimheo-1.jpg

junho 17, 2015 Eventos0

Para continuar cumprindo com a nossa missão de cuidar dos pacientes oncológicos com qualidade e toda atenção, reinauguramos um novo espaço no Hospital Metropolitano, localizado em Serra. O espaço funciona com capacidade maior e mais conforto para quem passa por tratamento oncológico.

Os pacientes que precisarem da assistência da Medquimheo no Metropolitano têm à disposição uma equipe médica formada por 4 oncologistas pediátricos, 3 oncologistas clínicos e 6 hematologistas.

Estrutura

 

Com uma área total de 420 m², o novo espaço conta com uma estrutura capaz de abrigar até 10 leitos e funciona para cuidar de pacientes em tratamento ambulatorial e também para aqueles em internação. O Espaço Medquimheo fica anexo ao Hospital Metropolitano, oferecendo comodidade.



Exposição faz parte do calendário de ações da Medquimheo para o Outubro Rosa. No total, 11 telas estarão disponíveis na clínica, a partir do dia 13
Em clima total de Outubro Rosa a Medquimheo, clínica capixaba que trata pacientes com câncer, abre suas portas para que o público conheça as telas inspiradoras da paciente Eucymara Guimaraes do Amaral a partir da próxima segunda-feira (13), em Vitória. As obras de arte revelam muito mais do que os traços dos pincéis, demonstram, também, os momentos de superação e lutas da artista.
Na batalha contra o câncer de mama desde 2012, Eucymara buscou na pintura o seu refúgio. A cada pincelada procurava por tudo o que sentia no tratamento. As telas, de acordo com a artista, são abstratas e resumem cada etapa que viveu até hoje. “Algumas opções demonstram tons mais quentes e outras mais frias. Para a Medquimheo, irei levar 11 das que já fiz até o momento. Quero surpreender e ser um canal para as mulheres que enfrentam o mesmo problema. A partir da minha arte sei que posso mostrar que a doença não é uma sentença de morte. É possível continuar sendo feliz, inclusive no tratamento e procurar fontes que nos deem forças para continuar a luta com muita garra e a vontade inesgotável de vencer”, comenta.

Sobre os quadros

Ebulição, Cosmos, Caminho I, Caminhos II, Inquietações I, Inquietações II, Inquietações III, Abraço, Assentamento e Alvorecer são os nomes de algumas artes que estarão expostas. “Cada uma demonstra meus mais singelos sentimentos. Comecei a enxergar novas possibilidades, novos caminhos e vi que era preciso prosseguir, mesmo quando tudo parecia dar errado. Na arte demonstro a minha persistência e a força que conseguimos encontrar dentro de nós quando nos abraçamos, aceitamos nossa situação e lutamos para sair dela”, disse.

Arteterapia no tratamento

De acordo com a psicóloga Priscila Rodrigues Pereira, a arteterapia é um canal terapêutico muito eficaz para pacientes que estão em tratamento contra o câncer. “Na arte é possível expressar sentimentos que algumas pessoas não conseguem transpor verbalmente e que de alguma forma podem prejudicar o desempenho do tratamento. Por meio de atividades artesanais, como esculturas, trabalhos com argila ou com poesias, dança e teatro também é possível ter resultados excelentes para a liberação do estresse e como formas alternativas para trazer relaxamento ao corpo e à mente”, explica.

Serviço

A exposição vai de 13 a 31 deste mês, na Medquimheo, que fica na Enseada do Suá, em Vitória. A iniciativa faz parte da programação da clínica para o Outubro Rosa. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (27) 3324-7777.


As equipes de onco/hematologia, infectologia, CCIH e UTI do Hospital Metropolitano e Medquimheo tiveram uma reunião com a presença do Dr. Pasqualotto, do Rio Grande do Sul, nesta terça-feira, 19, no Hospital Metropolitano.  

O objetivo principal foi alinhar os conceitos sobre infecções fúngicas em pacientes com doenças hematológicas e sobre alguns detalhes importantes sobre o diagnóstico de galactomanana – um componente da parede da célula do Aspergillus, um fungo que pode acometer pacientes com neutropenia prolongada pós-quimioterapia ou por aplasia de medula óssea. A detecção de galactomanana no sangue é utilizada para diagnosticar a aspergilose nesses pacientes e é fundamental para o tratamento precoce.

A descoberta precoce melhora a sobrevida dos pacientes acometidos por esta infecção.

Veja as fotos da reunião!

 

 



dia-enfermeiroA enfermagem é uma profissão tradicional e que atrai mais adeptos a cada dia. Estima-se que é recente em relação a outros ramos da saúde, como o da medicina. Registros apontam que começou a crescer em meados do século XIX. Em 12 de maio, comemora-se o Dia Mundial do Enfermeiro. A data entrou para o calendário oficial da saúde em 1965 e foi escolhida por ser o dia do nascimento de Florence Nightingale, enfermeira inglesa que fez história em cenários de guerra.

O fato de a carreira proporcionar o zelo com outras vidas foi um dos quesitos que fez com que a enfermeira Caroline Pope Lucas, da Medquimheo, escolhesse seguir essa trajetória. Ela que atua na área há oito anos, explica que encontra desafios diários e um dos principais é a questão da valorização. “Nós, enfermeiros, estamos diretamente ligados ao paciente e lidar com pessoas é um desafio diário. É necessário manter o emocional sob controle”, comenta.

Mas nem sempre é possível ficar neutro com todos os casos que aparecem. De acordo com Caroline, há situações em que é difícil segurar a emoção, principalmente, quando existe alguma criança envolvida. “O tratamento de alguns pequenos mexe com o emocional. Tenho filhos e sempre me coloco no lugar das outras mães, quando há algo grave”, disse Caroline.

 

Profissão independente

Ainda de acordo com Caroline, a evolução do mercado de enfermagem é notória. “Não somos vistos mais como as sombras dos médicos. Temos nossa independência e há situações em que a palavra final é a nossa, porque acompanhamos determinadas fases do tratamento do paciente em que outros especialistas não dominam. Sobre o crescimento na profissão, vai depender de cada um. É preciso estar disposto doar tempo, atenção, carinho e, acima de tudo, respeito ao outro. É um ciclo em que a palavra cuidado deve ser o lema diário”, pontua.

Experiências de vida

A especialização é extremamente necessária, já que o tratamento de cada patologia é diferenciado e, por isso, é de suma importância dominar as técnicas e cuidados específicos para cada tipo de paciente. “Decidi me especializar em oncologia e, após começar a lidar com pacientes em tratamento contra o câncer, passei a valorizar ainda mais a minha vida. Aprendi a me importar menos com pequenas coisas e a olhar mais para as necessidades dos outros”, afirma.

 

 



Médicos e outros profissionais da saúde unem forças no próximo dia 26 e promovem o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão. A ideia da data é reforçar a importância dos cuidados com a alimentação, que é um dos principais meios para a prevenção do aumento da pressão arterial. 
 

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), estima-se que cerca de 50 milhões de brasileiros sejam hipertensos. No entanto, somente 50% dos casos são diagnosticados e os demais desconhecem que têm o problema. Também conhecida como pressão alta, a doença tem como principal característica o aumento da pressão do sangue nas paredes das artérias. No início, uma das formas de descobrir é aferir a pressão regularmente. Normalmente, quando o resultado é maior ou igual a 140/90 mmHg, o que equivale a 14 por 9, a pessoa pode ter sinais como dor de cabeça, tontura, cansaço e, alguns casos, sangramentos pelo nariz.
 

Alguns fatores podem potencializar o surgimento do transtorno. Alimentação irregular, excesso de peso, sedentarismo, consumo de bebida alcoólica e diabetes são alguns exemplos. A ingestão excessiva de sódio também é um risco. Estima-se que para cada nove gramas de sal, o corpo retém até 1 litro de água. Pessoas acima de 55 anos ou com histórico familiar têm risco aumentado de ter o problema.

Câncer versus pressão alta
 

Pacientes com pressão alta podem enfrentar dificuldades, caso entrem em tratamento contra o câncer, pois alguns medicamentos podem estimular o aumento da pressão arterial. Para evitar os dois, os médicos orientam que os cuidados com a alimentação e a saúde em geral precisam ser praticados diariamente.
 

Segundo a nutricionista Janine Rover de Mello, da Medquimheo, o paciente que possui os dois agravantes, precisa manter uma alimentação balanceada. “O consumo de sal pelos brasileiros atinge 12g por dia – mais do que o dobro da quantidade recomendada pela OMS, que é de 5g/dia (o equivalente a 1700mg de sódio dia). Um pacote de sopa instantânea, por exemplo, contém aproximadamente 680mg de sódio, o que representa metade da quantidade de sódio que deve ser consumida em 24 horas. Em um pacote de 200g de salgadinho de presunto contém 2800mg, ultrapassando a quantidade de sódio que deve ser consumido ao dia”, alerta.
 

Ainda de acordo com a especialista, o excesso de sódio na alimentação causa a retenção de líquidos (inchaço). “Não utilizar temperos prontos e caldos concentrados, reduzir a ingestão de alimentos embutidos e com alto teor de gordura saturada e não acrescentar sal no alimento depois de pronto são iniciativas importantes. Uma dica é utilizar as ervas desidratadas e temperos naturais para temperar os alimentos, no lugar do sal”, recomenda. 



Post publicado em abril de 2014. 

Em comemoração ao Dia Mundial de Combate ao Câncer, no próximo dia 8 de abril, a clínica capixaba Medquimheo promove evento para oferecer informação e proporcionar mais qualidade de vida pacientes. Temas comuns ao dia a dia de quem luta contra o câncer serão abordados no encontro, como a adaptação às transformações provocadas pelo tratamento no cotidiano das pessoas e a importância da prática de atividades físicas.
 

Suellen Senna de Matos, terapeuta ocupacional, é uma das palestrantes do evento e vai dar orientações aos pacientes sobre como lidar com as mudanças bruscas que ocorrem na rotina diária de quem enfrenta o problema, além das consequências do tratamento, que podem afetar tanto o convívio familiar quanto os hábitos pessoais e profissionais.
 

Segundo Suelen, a rotina da pessoa em tratamento muda totalmente, já que ela é submetida a uma rotina de procedimentos clínicos, avaliações, exames, relação intensa com aparelhos hospitalares, constantes visitas médicas e demais aspectos que podem acarretar diversos graus de depressão, ansiedade e inatividade.
 

“O papel da terapia ocupacional é conscientizar os pacientes sobre suas possibilidades e condições para a realização das atividades de vida diária, além de incentivar a integração e a ajuda da família no processo terapêutico, proporcionando desta forma, oportunidades para que o paciente possa resolver por si problemas e situações presentes ou inusitadas”, explica.
 

Outro direcionamento do trabalho do terapeuta é prevenir a incapacidade física da pessoa em tratamento e educação para simplificar tarefas e mecanismos de proteção articular, que irão beneficiar o desempenho das atividades cotidianas, trabalho e lazer.
 

Atividade física minimiza os efeitos do tratamento
 

Para falar sobre a prática de atividade física orientada ao paciente com câncer, o fisioterapeuta Leo Pretti é o convidado. O objetivo da palestra é mostrar aos pacientes a importância da atividade física bem orientada e supervisionada para a melhora da qualidade de vida, bem-estar e até minimizar os efeitos do tratamento oncológico.