BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

Câncer

dezembro-laranja-cancer-de-pele.jpg

Um dos tipos mais comuns de câncer no Brasil é o câncer de pele. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Câncer (Inca), a doença representa cerca de 30% de todos os casos de câncer registrados no Brasil. 

Com a proximidade do verão, os riscos de desenvolver câncer de pele aumentam, já que passamos a ficar mais expostos ao sol. Por isso, no mês da conscientização sobre o câncer de pele, nós, da Medquimheo, preparamos um post especial e informativo para você.

que é câncer de pele? 

O câncer de pele é o tipo mais frequente de câncer entre os brasileiros. Essa doença é dividida em dois tipos. A doença é provocada por um crescimento descontrolado das células que compõem a pele. 

Tipos de câncer de pele

Existem dois tipos de câncer de pele. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, são eles: câncer de pele melanoma e não melanoma. 

  • Câncer de pele melanoma: é o tipo mais grave da doença, devido sua alta possibilidade de provocar metástase (disseminação de tumores para outros órgãos do corpo).
  • Câncer de pele não melanoma: é o mais comum no Brasil e possui altas chances de cura, mas, se não tratado devidamente, pode deixar marcas permanentes na pele. 

Sintomas do câncer de pele

Dentre os sintomas do câncer de pele, a dermatologista Mary Lane Alves ressalta quais são os principais e mais comuns da doença: sinais ou pintas que mudam de forma ou cor, feridas que não cicatrizam em até 4 semanas e a manchas que coçam ou sangram.

Como prevenir o câncer de pele?

Uma das principais formas de prevenir o câncer de pele é por meio da utilização de filtro solar todos os dias, mesmo nos dias menos ensolarados, combinado? 

Além disso, é preciso evitar exposição ao sol durante o período entre 10h e 16h, que são as horas do dia com maior índice de radiação solar. Mas se for indispensável sair nesses horários, o recomendado é se proteger com roupas, chapéus e óculos de sol.

Como tratar o câncer de pele?

Em casos mais simples, o recomendado para tratar o câncer de pele são cirurgias oncológicas para retirada das lesões. Já para casos mais avançados, o tratamento vai variar de acordo com tamanho do tumor, podendo ser indicadas, além de cirurgia, a radioterapia e a quimioterapia.

O que é Dezembro Laranja? 

Inspirado na cor do sol, o Dezembro Laranja é o mês da conscientização sobre a importância da prevenção do câncer de pele

Fique atento e cuide da sua pele! 

Gostou? Então fique por aqui e acesse outros dois posts do nosso Blog que preparamos para você:

Saiba como prevenir o câncer de pele não melanoma

Saiba mais sobre o câncer de pele melanoma


mitos-e-verdades-sobre-o-cancer.jpg

Somos bombardeados o tempo todo com uma série de especulações e achismos acerca do câncer. Quer entender o que de fato é verdade e mito sobre o câncer? Então você está no lugar certo! Nós, da Medquimheo, preparamos esse post para esclarecer de vez suas dúvidas acerca de afirmações que ouvimos sobre a doença. 

Médicos da Fundação do Câncer listaram três afirmações falsas e três verdadeiras sobre o câncer. Vamos conferir quais são elas?

1. Pintas e sinais podem virar câncer de pele?

Essa afirmação é verdade sobre o câncer. A “Regra ABCDE” da Sociedade Brasileira de Dermatologia alerta que se uma pinta ou mancha da sua pele apresenta assimetria, bordas irregulares, cor apresentando dois ou mais tons, dimensão maior que 6 mm e evolução de crescimento, é preciso procurar um dermatologista para que ele possa fazer o diagnóstico completo e seguro.

2. Uso de desodorante pode provocar câncer de mama?

Fiquem tranquilos pois isso é um mito! O uso de desodorante não causa câncer de mama. Médicos explicam o que normalmente acontece: entupimentos nas glândulas das axilas, em decorrência do uso desses produtos, que acabam formando nódulos que podem inflamar e ficar doloridos. Se isso acontecer, o ideal é procurar um especialista. Combinado?

3. Um câncer pode voltar em outro lugar?

Sim! Um câncer pode voltar em outro lugar, já que uma das principais características dessa doença é a capacidade de o tumor inicial migrar para outra parte do organismo da pessoa. Essa habilidade é chamada de metástase das células cancerígenas. Nunca deixe de conversar com seu médico sobre dúvidas e apreensões.

4. Ingerir comida levada ao micro-ondas pode gerar câncer?

O micro-ondas é um aparelho seguro para aquecer e cozinhar alimentos. O funcionamento do eletrodoméstico é através de vibração em alta frequência de moléculas – principalmente as de água. Mas atenção! Médicos recomendam evitar queimaduras decorrentes do superaquecimento de alimentos.

5. Exercícios e atividades físicas previnem câncer?

Sim! Praticar exercícios físicos ajuda a prevenir não só o câncer, mas também outras doenças crônicas como diabetes e hipertensão. Aproveite e, além de criar uma rotina para se exercitar, repagine seu cardápio. Isso mesmo! Médicos ressaltam que atividade física aliada com uma alimentação saudável são de extrema importância.

6. Uso de cigarro causa câncer apenas no pulmão?

O uso de cigarro pode provocar câncer em várias partes do corpo. O fumo pode causar tumores malignos por onde suas substâncias passam. Você sabia que o cigarro possui cerca de 70 substâncias cancerígenas? Então já dá para imaginar que o fumo não causa câncer só no pulmão, mas também pode provocar tumores malignos na boca, laringe, esôfago e até a bexiga fica em risco.  

Gostou? Então venha descobrir os 5 mitos e verdades sobre o que causa câncer

Fonte: Dra. Carolina Caetano Conopca, oncologista clínica, CRM ES 11.130


Wrap-receita-quimioterapia.jpg

Enjoo, perda de apetite, dificuldade para engolir, feridas nos lábios e na língua, boca seca, anemia e riscos de infecções são os efeitos colaterais mais comuns em pacientes que passa pela quimioterapia. Neste post, a nutricionista Naira Fraga apresenta três receitas que, além de simples e saborosas, ainda auxiliam no enfrentamento desses efeitos.

Sopa Vichyssoise

Indicada: falta de apetite, dificuldade para engolir, boca seca e feridas nos lábios e na língua.

Ingredientes:

  • 1 cebola;
  • 2 dentes de alho;
  • 2 alhos-porós em rodelas;
  • 4 batatas médias;
  • 1 litro de caldo de galinha ou legumes caseiro;
  • 1 colher de azeite
  • 1/2 de xícara de chá de creme de leite.

Modo de preparo:  Em uma panela, aqueça o azeite, refogue a cebola e o alho- poró em fogo médio por três minutos. Acrescente o caldo e as batatas, tempere com sal e ervas a gosto. Quando começar a ferver, baixe o fogo e deixe cozinhar por 20 minutos ou até que as batatas fiquem bem macias. Em seguida, bata a sopa no liquidificador até obter um purê homogêneo. Volte a sopa para a panela e acrescente o creme de leite. Sirva fria ou quente.

Wrap de ervas e agrião

Indicado: perda de apetite e intestino preso.

Ingredientes:

  • 2 fatias de pão árabe;
  • 1 xícara (chá) de ricota;
  • 1/2 xícara (chá) de requeijão;
  • 2 xícaras (chá) de folha de agrião;
  • 1 cenoura ralada;
  • 2 colheres (sopa) de salsinha picada;
  • 1 colher (sopa) de folha de manjericão;
  • Sal a gosto.

Modo de preparo: no processador, bata a ricota com o requeijão, a salsinha, o manjericão e tempere com sal (ou bata tudo em um pilão). Depois, misture com a cenoura ralada. Em seguida, espalhe essa pasta por cada camada de pão e acrescente o agrião, enrolando com cuidado e apertando bem. Corte cada rolinho em fatias e sirva.

Arroz cremoso

Indicado: dificuldade para engolir, boca seca e feridas nos lábios e na língua.

Ingredientes:

  • 2 colheres (sopa) de azeite;
  • 1 dente de alho picado;
  • ½ cebola picada;
  • 1 alho-poró (parte branca em fatias);
  • 1 tomate sem sementes e picado;
  • 2 colheres (sopa) de salsinha picada;
  • 1 xícara (chá) de ervilhas frescas;
  • 2 xícaras (chá) de arroz, lavado e escorrido;
  • 6 xícaras (chá) de água fervente;
  • 1/2 de xícara (chá) de creme de leite;
  • 1 colher (chá) de sal.

Modo de preparo: Em uma panela, coloque o azeite, a cebola e o alho e deixe dourar. Junte o alho-poró, o tomate e a ervilha. Em seguida, acrescente o arroz e refogue por mais 5 minutos. Adicione a água, o sal e cozinhe em fogo baixo até o arroz secar. Por fim, desligue o fogo, misture o creme de leite e a salsinha e sirva.

Confira mais #DicasDaNutri:

  1. Suco de romã possui propriedades cancerígenas. Veja a receita!
  2. Saiba quais são os alimentos que auxiliam no tratamento do câncer
  3. Garanta energia o dia todo com o suco verde de pêssego!

Novembro-Azul-1.jpg

A campanha Novembro Azul reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. Propõe ao público masculino mudanças de hábitos, acontece anualmente em todo o mundo.  O oncologista Vitor Fiorin destaca que até o final de 2019 são previstos, somente para o Espírito Santo, 1.510 novos casos da doença.

 “O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. O movimento Novembro Azul é extremamente importante, já que é fundamental informar, alertar e conscientizar os homens sobre a doença, para que, assim, os índices de mortalidade dos pacientes possam diminuir ”, acrescenta.

Quais são os fatores de risco do câncer de próstata?

É preciso estar atento aos fatores que podem aumentar as chances de um homem desenvolver o câncer de próstata. Listamos abaixo alguns deles. Confira:

  • Idade: o risco de desenvolver câncer de próstata aumenta com a idade. Segundo dados divulgados pelo Instituto Oncoguia, aproximadamente 80% dos homens são diagnosticados após os 65 anos. São raros casos da doença em homens com menos de 40 anos – quando isso acontece, geralmente, associa-se ao histórico familiar;
  • Histórico familiar: caso o pai, avô ou irmão tenham adquirido o câncer de próstata antes dos 60 anos, aumentam as chances de desenvolvimento da doença; 
  • Sobrepeso e obesidade: ainda de acordo com o Instituto Oncoguia, a obesidade está influenciando, diretamente, na incidência do câncer de próstata. Além disso, o tumor em homens obesos é mais agressivo.

Saiba quais são os sintomas do câncer de próstata

Durante a fase inicial da doença, o câncer de próstata costuma ter a evolução silenciosa e dificilmente apresenta sintomas. No entanto, vale ressaltar 

que, quando apresenta, os mais frequentes são:

  • Dificuldade em urinar;
  • Demora em começar e terminar de urinar;
  • Sangue na urina;
  • Diminuição do jato de urina;
  • Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Já em fase avançada, pode provocar dor óssea e, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Esteja atento às formas de prevenção!

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), as chances de cura do câncer de próstata aumentam em 90% quando a doença é diagnosticada precocemente. A detecção pode ser feita por meio da investigação, com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos. Fazê-la precocemente é uma estratégia para encontrar o tumor ainda em fase inicial e, assim, facilitar o tratamento e a cura.

A melhor forma para prevenir e/ou detectar o câncer de próstata é realizar anualmente, a partir dos 45 anos de idade, o exame de toque retal e o de sangue, para avaliar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Apesar de ser cercado de preconceito e evitado por grande parte dos homens, o toque retal tem uma importância enorme, pois é por meio dele que o urologista consegue perceber a presença de um nódulo e até mesmo sentir a consistência da próstata, podendo, assim, identificar um tumor.

Faça como a Medquimheo e abrace a campanha do Novembro Azul. Separamos mais dois conteúdos sobre câncer de próstata que serão muito úteis a você. Confira:

O tabu existente no exame para prevenção e detecção do câncer de próstata

Câncer de próstata é o mais incidente em homens capixabas


suco-de-romã-cancer.jpg

Você sabia que a romã pode ser uma excelente aliada na prevenção e no combate ao câncer? Como é uma fruta rica em vitamina C e compostos bioativos, garante inúmeros benefícios à saúde. A lista desses compostos é longa, os principais são antocianinas (delfinidina, cianidina e pelargonidina), quercetina, ácidos fenólicos (cafeico, catequínico, clorogênico, orto e paracumárico, elágico, gálico e quínico) e taninos (punicalagina).

Essa fruta tem sido usada há milhares de anos como medicamento complementar. É importante destacar suas ações antioxidantes, anti-inflamatórias e anticancerígenas. No post de hoje, nossa nutricionista oncológica Naira Fraga apresenta as vantagens desta fruta e traz, ainda, uma super receita de suco de romã. Continue lendo e confira!

Propriedades anticancerígenas da romã

O extrato de romã parece inibir a proliferação das células do câncer e impedir também a migração das células neoplásicas. Naira ressalta que “as propriedades anticancerígenas do extrato da fruta foram estudados em modelos de células e em animais, isso quer dizer que ainda falta muito para comprovar essa ação no homem, mas que a fruta já pode ser incorporada na alimentação como auxiliar ao tratamento.”

A fruta é uma excelente fonte de antioxidantes chamados flavonoides que, são conhecidos por serem eficazes na neutralização dos radicais livres que causam o câncer, sendo uma aliada na prevenção da doença.

Mais benefícios da romã para saúde

A romã alivia problemas digestivos como a diarreia, promovendo o bom funcionamento do intestino.

A ingestão regular da fruta está diretamente ligada à prevenção de derrames e ataques cardíacos. Seu consumo parece melhorar o fluxo sanguíneo, impedir que as artérias se tornem duras e espessas. E pode retardar o acúmulo de colesterol nas artérias.

As propriedades antibacterianas e antivirais da romã auxiliam na redução dos efeitos da placa bacteriana e na proteção contra várias doenças orais como a gengivite. A romã também possui propriedades sobre a pele: devido a seus componentes fenólicos, combate o envelhecimento precoce.

Receita de suco de romã

Ingredientes:

  • 1 romã;
              
  • 1 copo de água;
              
  • Adoçante ou açúcar a gosto.

Modo de preparo:

Corte e abra a romã ao meio. Em seguida, coloque-a em um recipiente grande com água. Retire as sementes da fruta debaixo d’água – elas ficarão ao fundo, enquanto a membrana amarela ou branca flutuará. Descarte a casca e as membranas que sobraram. Coe a água das sementes e, leve para o liquidificador até que estejam bem moídas. Depois disso, basta coar os pedacinhos menores das sementes que sobraram e pressionar, para extrair o máximo de sumo possível. Por fim, transfira para um copo e adicione água e açúcar/adoçante a gosto.

Separamos outros dois conteúdos com mais dicas incríveis da nossa nutricionista. Aproveite e confira:

#DicaDaNutri: suco verde de pêssego garante energia no dia a dia!

#DicaDaNutri: Alimentos que auxiliam no tratamento do câncer

Fonte: Naira Marceli Fraga Silva – nutricionista – CRN4: 15101252.


câncer-de-estomago.jpg

Também conhecido como câncer gástrico, o câncer de estômago é um tumor maligno que pode afetar qualquer parte deste órgão. Geralmente, se inicia com uma úlcera, que provoca sintomas como azia, falta de apetite e dores no estômago. Aparece em 3º lugar na incidência entre homens e em 5º entre as mulheres.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam que até o final deste ano cerca de 460 capixabas podem ter a doença. Desses, 310 são homens e 150 mulheres. No post de hoje, a oncologista clínica da Medquimheo, Carolina Conopca, vai te explicar um pouco mais sobre o câncer de estômago e te alertar para os fatores de risco. Continue lendo e confira!

Atenção aos fatores de risco do câncer de estômago!

  • Alimentação: alimentos mal armazenados e com pouca refrigeração, como salgados, defumados e embutidos, podem contribuir para o desenvolvimento do câncer de estômago. Além disso, uma dieta rica em carnes e pobre em frutas e vegetais também está associada à maiores chances de ter a doença;
  • Tabagismo: o risco de desenvolver o câncer de estômago dobra em fumantes;
  • Infecção por bactéria: o Helicobacter pylori (H. pylori) é uma bactéria que coloniza naturalmente a mucosa do estômago humano. Estudos mais recentes indicam que ela é capaz de causar alterações pré-malignas, que podem aumentar o risco de câncer.
  • Inflamação estomacal: sofrer de alguma inflamação do estômago por um longo período de tempo é sinal de alerta para procurar um médico com urgência.

Sintomas do câncer de estômago

Como não existem sintomas específicos do câncer de estômago, sua detecção torna-se mais difícil. Contudo, separamos alguns sinais que merecem atenção. Vale lembrar também que, caso sejam notados alguns deles, é preciso contar com um profissional para ter o diagnóstico certeiro. Confira:

  • Fadiga;
  • Azia grave e persistente;
  • Indigestão grave;
  • Náuseas e vômitos persistentes;
  • Sensação de inchaço após comer;
  • Dor de estômago;
  • Perda de peso sem explicação aparente.

Como é feito o diagnóstico do câncer de estômago?

Para realizar o diagnóstico da doença o médico pede exames, principalmente a endoscopia, por meio dessa é realizada a biópsia, para confirmar se o tecido afetado é mesmo canceroso. A tomografia computadorizada pode ser solicitada além de ressonância magnética.

Saiba como prevenir o câncer de estômago

Com medidas simples, você consegue reduzir drasticamente o risco da doença. Separamos as principais delas:

  • Comer mais frutas e legumes;
  • Reduzir a quantidade de alimentos salgados e defumados em sua dieta alimentar;
  • Parar de fumar.

Fonte: Dra. Carolina Conopca – oncologista clínica – CRM: 11.130

Separamos outros conteúdos do nosso Blog que também vão te interessar. Veja:

1. Exames oncológicos: como e quando fazer?

2. #DicaDaNutri: alimentação saudável começa na infância


Tabagismo.jpg

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo. A oncologista da Medquimheo Carolina Conopca destaca um dado preocupante: o tabagismo pode causar cerca de 50 doenças, dentre elas vários tipos de câncer (pulmão, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero, leucemia). Isso pode ser explicado pelo fato de que um único cigarro contém, aproximadamente, 4.720 substâncias tóxicas, das quais pelo menos 70 são cancerígenas.

Especialista explica porque o cigarro vicia

O tabaco, presente no cigarro, charuto, cachimbo, rapé, narguilé, charro ou fumo mascado, contém uma substância chamada nicotina. Esta, é a grande responsável por causar dependência – similar, inclusive, àquela provocada pela cocaína. Isso porque, como é uma substância psicoativa, provoca, no organismo, sensação de prazer.

“A inalação constante da nicotina faz com que o cérebro se adapte e, para manter o mesmo nível de satisfação que tinha no início, o usuário sente a necessidade de doses cada vez maiores. Essa dependência está diretamente ligada às chances maiores de contrair doenças como o câncer e, até mesmo, a morte”, explica a especialista.

O que pode influenciar o tabagismo?

Para atrair pessoas a consumir cigarro e/ou derivados, a indústria do tabaco usa de algumas estratégias. A oncologista cita e explica cada uma delas:

  • Fácil acesso: é possível comprar cigarro na maioria dos bares, padarias e mercearias da cidade. Além disso, o preço é considerado acessível.
  • Inserção em grupos: principalmente durante a juventude, as pessoas começam a fumar para tentar se inserir em grupos;
  • Pais e ídolos como espelhos: é comum que os pais e até mesmo os ídolos sejam uma referência para os jovens. Portanto, caso estes consumam cigarro, as chances do jovem também começar a usar são maiores.

Fumantes passivos: o que são e quais as consequências?

Aquelas pessoas que convivem, constantemente, com fumantes, mesmo não sendo, são consideradas fumantes passivos. Para esses casos, também é preciso muita atenção, já que são gerados graves prejuízos! Como ficam expostos a componentes tóxicos, o risco de doenças cardíacas e cancerígenas aumenta consideravelmente.

Fonte: Dra. Carolina Conopca – oncologista clínica – CRM: 11.130

Conheça mais sobre alguns cânceres causados pelo tabagismo:

Tabagismo: muito além do câncer de pulmão!

Saiba mais sobre o câncer de esôfago

Câncer de laringe: fumantes têm 10 vezes mais chances


Outubro-Rosa.jpg

O décimo mês do ano tem uma bandeira: e é rosa! O Outubro Rosa, celebrado anualmente, marca um forte movimento de conscientização sobre a importância da prevenção ao câncer de mama. Tem como principais objetivos: proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento, contribuir para a redução da mortalidade, e alertar a população em geral, principalmente as mulheres, dos fatores de risco e das medidas de detecção precoce. Continue lendo este post e saiba mais sobre o câncer de mama!

Sobre o câncer de mama

O mastologista Dr. Cleverson Gomes Jr. conta que o câncer de mama é um dos tipos de tumor que mais acometem mulheres em todo o mundo. De acordo com dados divulgados pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), somente no Espírito Santo são previstos que 1.130 mulheres sejam acometidas pela doença até o final do ano.

“Desenvolve-se quando ocorre uma alteração de apenas alguns trechos das moléculas de DNA, ocasionando a multiplicação das células de maneira desordenada, o que, consequentemente, dá origem à doença na mama”, explica o especialista.

Atenção aos fatores de risco

O mastologista explica que não existe uma causa específica do câncer de mama. No entanto, indica alguns fatores de risco que podem levar ao desenvolvimento da doença. “Os principais são: idade – mulheres acima dos 40 anos correm um risco maior; histórico familiar – parentes que já apresentaram quadro da doença; elevado consumo de álcool; excesso de peso – principalmente gordura na região abdominal; falta de exercícios físicos e ciclo menstrual – mulheres que começaram a menstruar cedo (antes dos 12 anos) ou que entraram na menopausa após os 55 anos têm risco um pouco maior”, aponta.

A detecção precoce é fundamental

Segundo o Instituto Oncoguia, as chances de cura do câncer de mama aumentam em 95% quando é identificado em seu estágio inicial. Por isso, a detecção precoce é tão importante. “Orientamos que a mulher faça mamografia a partir dos 40 anos como rastreio da doença, para sua detecção ainda antes de surgir algum sinal ou sintoma. Antes desta idade, a observação e a autopalpação das mamas são importantes, sempre que se sentir confortável para tal, no banho ou no momento da troca de roupa, por exemplo. Deve-se procurar por caroços ou ondulações, checar a espessura dos seios e liberação de líquidos pelo mamilo”, recomenda o mastologista.

É importante que as mulheres façam a mamografia após os 40 anos de idade. Este é o exame mais importante na redução da mortalidade pela doença. A autopalpação das mamas também é importante, especialmente em mulheres mais jovens, a fim de conhecer o seu corpo e, detectar quando algo não está normal, ou se algum sinal ou sintoma tenha surgido. Além disso, é essencial que façam visitas regulares ao ginecologista e tenham suas mamas examinadas pelo médico ao menos uma vez ao ano.

Como prevenir o câncer de mama?

Para a prevenção da doença, é preciso controlar os fatores de risco. De acordo com o Inca, estima-se que por meio da alimentação, nutrição e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco da mulher desenvolver câncer de mama. “Evitar o consumo de bebidas alcoólicas e controlar o peso corporal, por meio de uma dieta balanceada e da prática regular de exercícios físicos, são recomendações básicas para prevenir o câncer de mama”, finaliza.


Setembro-Amarelo-1.jpg

Com o objetivo de conscientizar as pessoas ao redor do mundo de que o suicídio é um fenômeno que pode ser evitado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criou o Setembro Amarelo. Ao longo do mês, são realizadas diversas ações que têm como foco a saúde mental. Escolheu-se o mês de setembro em razão do Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, celebrado todo ano em 10 de setembro.

Dados da OMS indicam que nove a cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas. Destacam ainda, que a prevenção é fundamental para reverter a situação. No entanto, apesar de muita gente ter a vontade de ajudar no combate ao suicídio, dificilmente sabem como agir. Afinal, de que forma podemos identificar os sinais para oferecer auxílio a um amigo ou familiar?

Atenção aos sinais de alerta

  • Isolamento;

  • Mudanças marcantes de hábitos;

  • Perda de interesse por atividades de que gostava;

  • Descuido com aparência;

  • Queda do desempenho na escola ou no trabalho;

  • Alterações no sono e apetite.

  • Comportamento de risco

  • Sensação de não ter solução para os problemas

Caso perceba a presença desses sinais e sintomas, recorra ou sugira avaliação psicológica e psiquiátrica.

Outro aspecto imprescindível é evitar o acesso a meios letais, sempre oferecer ajuda, e favorecer a busca de esperança.

Câncer x suicídio: entenda a relação

O diagnóstico de câncer gera impacto físico e emocional significativo no paciente, pois estará diante da possibilidade de finitude de vida e de grandes mudanças decorrentes do tratamento oncológico. Tal cenário contribui para um risco aumentado de suicídio entre pacientes com câncer em relação a população geral.

A importância do Setembro Amarelo

Ainda de acordo com informações divulgadas pela OMS, 32 brasileiros se suicidam diariamente. O dado é ainda mais preocupante quando inserido no contexto mundial, em que a cada 40 segundos, uma pessoa se suicida. Vale destacar que os números são muito maiores, já que nem todos os casos são notificados. Além disso, são estimados que as tentativas superem em, pelo menos, dez vezes o suicídio.

O Setembro Amarelo ajuda a conscientizar as pessoas, por meio da educação. Além de esclarecer e estimular o diálogo, é responsável por quebrar o tabu de um tema tão delicado quanto o suicídio. Esse assunto passa, então, a receber mais visibilidade, gerando maiores chances de combater o problema.

Conheça o CVV!

O Centro de Valorização da Vida (CVV) é uma ONG, que promove apoio emocional e, em muitos casos, previne o suicídio. Já são cerca de 3 mil voluntários, em mais de 110 postos. O serviço é gratuito, funciona 24 horas por dia e nos 365 dias do ano, por meio do telefone 188, chat, e-mail e, até mesmo, pessoalmente.

De forma sigilosa e sem julgamentos, o voluntário do CVV ouve aquele que procura conversar sobre seus sentimentos, desde dores e dificuldades, até alegrias.

Para conhecer melhor esse trabalho, clique aqui!

A Medquimheo apoia o #SetembroAmarelo. Junte-se a nós!

Confira outros conteúdos que também podem te interessar:

Câncer e depressão: entenda a relação!

Psicólogo oncológico: conheça essa especialidade


Setembro-Dourado.jpg

Independente da situação, descobrir o diagnóstico do câncer é uma situação extremamente difícil e delicada. Mas e quando isso acontece com uma criança ou adolescente? Como são novos e viveram poucos momentos importantes da vida, o quadro torna-se ainda mais complicado de enfrentar. No entanto, de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), hoje, cerca de 80% dos casos podem ser curados, se diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados. Para conscientizar a sociedade, principalmente os pais, sobre a necessidade de se atentar aos sintomas sugestivos do câncer infantojuvenil, foi criado o Setembro Dourado.

Câncer em crianças x câncer em adultos

No Brasil, ainda sobre os dados do Inca, o câncer infantojuvenil representa a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos. Os tipos mais frequentes de câncer infantojuvenil são as leucemias e os linfomas. Diferentemente do que acontece nos adultos – em que o câncer está relacionado a fatores de risco do meio ambiente, como o álcool e cigarro – nas crianças e jovens, é formado por uma célula que não amadureceu como deveria e, começou a se multiplicar de forma desordenada. A oncologista pediátrica Maria Magdalena Frechiani destaca que o Setembro Dourado contribui, diretamente, para a detecção e o tratamento precoces”.

Atenção especial aos sintomas do câncer infantojuvenil

Os sinais da doença não são específicos e, não necessariamente, indicam seu diagnóstico. Entretanto, a oncologista pediátrica pede para que se tenha atenção e procure um especialista caso sejam observados os seguintes sintomas: palidez, dor óssea, hematomas ou sangramentos pelo corpo, caroços ou inchaços, perda de peso sem causa aparente, febre e sudorese noturna, tosse persistente ou falta de ar, alterações oculares, inchaço abdominal, dores de cabeça, vômitos recorrentes pela manhã ou com piora durante o dia e dores nos membros.

#SetembroDourado: apoie esta causa!

“Para que todas as crianças e adolescentes obtenham maiores chances de cura e vivam uma vida com mais qualidade, vamos ajudar a vestir nosso País de dourado. É muito importante disseminarmos, não só neste mês, como em todos os outros, o máximo de informações possíveis sobre o câncer infantojuvenil”, finaliza a especialista.

Fonte: Dra. Maria Magdalena Frechiani – oncologista pediátrica – CRM: ES 1677

Aproveite para conferir outros conteúdos que também podem te interessar:

Lanches saudáveis e fáceis para o dia da quimioterapia

Câncer e depressão: entenda a relação!

Exames oncológicos: como e quando fazer?