BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

Câncer de pulmão

dia-mundial-sem-tabaco.jpg

Causa de cerca de 85% dos casos de câncer de pulmão, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o hábito de fumar é comum entre os brasileiros e extremamente prejudicial à saúde. Com objetivo de conscientizar as pessoas sobre o impacto negativo gerado pelo vício em cigarro e a dependência física à nicotina, em 31 de maio, celebra-se o Dia Mundial sem Tabaco.

Para comemorar essa importante data, nós, da Medquimheo, preparamos um post com tudo o que você precisa saber para cuidar da saúde do pulmão. Continue lendo e confira!

Por que o cigarro é prejudicial?

O tabagismo contém, aproximadamente, quatro mil substâncias que, ao serem ingeridas através do consumo de cigarro, provocam inúmeras consequências negativas ao organismo.

“Nas células do corpo que são afetadas pelas substâncias presentes no cigarro  potencialmente cancerígenas –  ocorre uma transformação do material genético, o que favorece o surgimento de tumores.”

– Carolina Conopca, oncologista Medquimheo

Quais são as doenças provocadas pelo tabagismo? 

Você sabia que o tabagismo é capaz de provocar o crescimento de tumores não só no pulmão, como também em outras partes do corpo? Casos de câncer de boca, câncer de laringe, câncer de estômago também estão associados ao cigarro.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a exposição direta ou indireta ao tabaco, além de ser o principal fator de risco para o câncer de pulmão, também pode contribuir para o desenvolvimento de outras doenças, como tuberculose, doença respiratória crônica, rinite alérgica e úlcera no aparelho digestivo.

Atenção para a Covid-19!

O novo coronavírus causa uma infecção, que, se não for tratada adequadamente, pode evoluir para um quadro mais grave de pneumonia. Dessa forma, fumantes, por possuírem maior risco de desenvolver doenças respiratórias, apresentam maior chance de desenvolver complicações graves relacionadas à Covid-19, como internação em UTI, necessidade de uso de respirador mecânico e óbito, o que os tornam parte do grupo de risco da doença.

#DicaMedquimheo: retire o cigarro de sua vida, previna-se do câncer e tenha uma saúde muito melhor e mais qualidade de vida 😉

Conheça nosso blog!

Gostou do post? Então fique aqui no nosso blog e confira mais conteúdos para se manter bem informado!

Tabagismo vai além do câncer de pulmão, sim!

Por que o cigarro vicia?

 

Fonte: Dra. Carolina Conopca, oncologista Medquimheo, CRM ES 11.130.


mitos-e-verdades-sobre-o-cancer.jpg

Somos bombardeados o tempo todo com uma série de especulações e achismos acerca do câncer. Quer entender o que de fato é verdade e mito sobre o câncer? Então você está no lugar certo! Nós, da Medquimheo, preparamos esse post para esclarecer de vez suas dúvidas acerca de afirmações que ouvimos sobre a doença. 

Médicos da Fundação do Câncer listaram três afirmações falsas e três verdadeiras sobre o câncer. Vamos conferir quais são elas?

1. Pintas e sinais podem virar câncer de pele?

Essa afirmação é verdade sobre o câncer. A “Regra ABCDE” da Sociedade Brasileira de Dermatologia alerta que se uma pinta ou mancha da sua pele apresenta assimetria, bordas irregulares, cor apresentando dois ou mais tons, dimensão maior que 6 mm e evolução de crescimento, é preciso procurar um dermatologista para que ele possa fazer o diagnóstico completo e seguro.

2. Uso de desodorante pode provocar câncer de mama?

Fiquem tranquilos pois isso é um mito! O uso de desodorante não causa câncer de mama. Médicos explicam o que normalmente acontece: entupimentos nas glândulas das axilas, em decorrência do uso desses produtos, que acabam formando nódulos que podem inflamar e ficar doloridos. Se isso acontecer, o ideal é procurar um especialista. Combinado?

3. Um câncer pode voltar em outro lugar?

Sim! Um câncer pode voltar em outro lugar, já que uma das principais características dessa doença é a capacidade de o tumor inicial migrar para outra parte do organismo da pessoa. Essa habilidade é chamada de metástase das células cancerígenas. Nunca deixe de conversar com seu médico sobre dúvidas e apreensões.

4. Ingerir comida levada ao micro-ondas pode gerar câncer?

O micro-ondas é um aparelho seguro para aquecer e cozinhar alimentos. O funcionamento do eletrodoméstico é através de vibração em alta frequência de moléculas – principalmente as de água. Mas atenção! Médicos recomendam evitar queimaduras decorrentes do superaquecimento de alimentos.

5. Exercícios e atividades físicas previnem câncer?

Sim! Praticar exercícios físicos ajuda a prevenir não só o câncer, mas também outras doenças crônicas como diabetes e hipertensão. Aproveite e, além de criar uma rotina para se exercitar, repagine seu cardápio. Isso mesmo! Médicos ressaltam que atividade física aliada com uma alimentação saudável são de extrema importância.

6. Uso de cigarro causa câncer apenas no pulmão?

O uso de cigarro pode provocar câncer em várias partes do corpo. O fumo pode causar tumores malignos por onde suas substâncias passam. Você sabia que o cigarro possui cerca de 70 substâncias cancerígenas? Então já dá para imaginar que o fumo não causa câncer só no pulmão, mas também pode provocar tumores malignos na boca, laringe, esôfago e até a bexiga fica em risco.  

Gostou? Então venha descobrir os 5 mitos e verdades sobre o que causa câncer

Fonte: Dra. Carolina Caetano Conopca, oncologista clínica, CRM ES 11.130


Tabagismo.jpg

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo. A oncologista da Medquimheo Carolina Conopca destaca um dado preocupante: o tabagismo pode causar cerca de 50 doenças, dentre elas vários tipos de câncer (pulmão, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero, leucemia). Isso pode ser explicado pelo fato de que um único cigarro contém, aproximadamente, 4.720 substâncias tóxicas, das quais pelo menos 70 são cancerígenas.

Especialista explica porque o cigarro vicia

O tabaco, presente no cigarro, charuto, cachimbo, rapé, narguilé, charro ou fumo mascado, contém uma substância chamada nicotina. Esta, é a grande responsável por causar dependência – similar, inclusive, àquela provocada pela cocaína. Isso porque, como é uma substância psicoativa, provoca, no organismo, sensação de prazer.

“A inalação constante da nicotina faz com que o cérebro se adapte e, para manter o mesmo nível de satisfação que tinha no início, o usuário sente a necessidade de doses cada vez maiores. Essa dependência está diretamente ligada às chances maiores de contrair doenças como o câncer e, até mesmo, a morte”, explica a especialista.

O que pode influenciar o tabagismo?

Para atrair pessoas a consumir cigarro e/ou derivados, a indústria do tabaco usa de algumas estratégias. A oncologista cita e explica cada uma delas:

  • Fácil acesso: é possível comprar cigarro na maioria dos bares, padarias e mercearias da cidade. Além disso, o preço é considerado acessível.
  • Inserção em grupos: principalmente durante a juventude, as pessoas começam a fumar para tentar se inserir em grupos;
  • Pais e ídolos como espelhos: é comum que os pais e até mesmo os ídolos sejam uma referência para os jovens. Portanto, caso estes consumam cigarro, as chances do jovem também começar a usar são maiores.

Fumantes passivos: o que são e quais as consequências?

Aquelas pessoas que convivem, constantemente, com fumantes, mesmo não sendo, são consideradas fumantes passivos. Para esses casos, também é preciso muita atenção, já que são gerados graves prejuízos! Como ficam expostos a componentes tóxicos, o risco de doenças cardíacas e cancerígenas aumenta consideravelmente.

Fonte: Dra. Carolina Conopca – oncologista clínica – CRM: 11.130

Conheça mais sobre alguns cânceres causados pelo tabagismo:

Tabagismo: muito além do câncer de pulmão!

Saiba mais sobre o câncer de esôfago

Câncer de laringe: fumantes têm 10 vezes mais chances


tabagismo.jpg

 

O tabagismo vai além do câncer de pulmão. É um transtorno que pode acarretar em diversos efeitos maléficos à saúde em geral. A dependência psicológica e física do tabaco pode trazer consequências que custam caro. Neste post você vai entender o quanto o cigarro pode prejudicar seu bem-estar. Continue lendo!

É fácil entender por que o tabagismo causa problemas respiratórios: a fumaça tóxica que é inalada afeta os pulmões, fazendo com que várias substâncias prejudiciais fiquem armazenadas por ali. Porém, as mais de 4.700 presentes nesse produto também são carregadas por todo o corpo por meio da corrente sanguínea e absorvidas pelos fragmentos de DNA que compõem o organismo. Os danos causados pelo tabagismo podem demorar anos para se manifestarem, como é o caso do câncer.A dependência química também está ligada a problemas de saúde como: hipertensão arterial, aneurismas cerebrais e aórticos, derrames cerebrais, úlceras gástricas, úlceras na pele, catarata, osteoporose e muitos outros.

Doenças cardiovasculares e tabagismo

Você sabia que quem fuma tem até três vezes mais chances de sofrer um infarto do miocárdio, em comparação a um não fumante? É o que diz a Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI). O cigarro estimula a produção de catecolaminas, substâncias que causam a contração dos vasos sanguíneos e aceleram o coração. Por isso o tabagismo também está relacionado a arritmias, insuficiência cardíaca e muitos outros problemas cardíacos.

Ao todo são mais de 50 doenças relacionadas ao fumo. E mesmo que o câncer não seja a única, é com certeza uma das mais preocupantes, afinal, a ocorrência do câncer relacionado ao fumo não se limita ao pulmão. O cigarro pode ser agente causador de diversos tipos da doença, como: câncer de boca, laringe, faringe, estômago, esôfago, pâncreas, rim, fígado, colo de útero, bexiga e até alguns tipos de leucemia.

É realmente assustador, não é mesmo? Por isso cuide do bem mais precioso que você tem em suas mãos: a vida! Nunca é tarde para começar uma rotina mais saudável! Acompanhe nosso Blog para mais dicas e conteúdos informativos!



O câncer do pulmão está entre os tipos de tumores que mais matam em todo o mundo. É, também, um dos tipos mais comuns e graves, atingindo aproximadamente 27 mil brasileiros todos os anos. O tabagismo é um dos principais responsáveis pela doença, que, de acordo com estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) atingirá até o final do ano cerca de 480 capixabas, sendo que 50 somente na capital.

Embora o cigarro seja o maior vilão, esse tipo de neoplasia também pode ocorrer em não fumantes. Os tabagistas têm um risco maior para desenvolver a doença, mas a exposição passiva à fumaça do cigarro e o histórico familiar são outras problemáticas para o seu desenvolvimento. 

Sintomas devem ser observados com cautela

Perda rápida de peso sem nenhum motivo aparente, tosse (com presença de sangue no escarro), falta de ar, chiado no pulmão e dor no peito são sintomas da doença. Há situações em que o paciente não sente absolutamente nenhum destes sintomas na fase inicial. 

Diagnóstico

O diagnóstico precoce pode ser realizado com o auxílio de exames periódicos. Em casos de suspeitas, o especialista poderá recomendar exames como Raio X simples  e/ou tomografias computadorizadas de tórax e, caso indicado, biopsias de lesões suspeitas.

Prevenção 

De acordo com Morgana Stelzer Rossi, oncologista da Medquimheo, a melhor opção para evitar a doença é evitar o consumo de tabaco. “Além do câncer, a substância é responsável pelo desenvolvimento de mais de 50 transtornos, entre eles: hipertensão arterial, úlcera no sistema digestivo, infertilidade e até complicações na gravidez”, comenta a oncologista.



O cigarro está na lista de produtos químicos que mais causam transtornos à saúde. Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), indicam que mais de 4 mil substâncias prejudiciais estão presentes na fumaça dos derivados do tabaco. Em 31 de maio, especialistas reforçam a importância das pessoas ficarem livres deste item, por meio do Dia Mundial sem Tabaco.

 

O câncer de pulmão é uma das principais causas de mortes no País. A doença é dividida em subtipos: carcinoma de pulmão indiferenciado de grandes células, adenocarcinoma, carcinoma epidermoide e o carcinoma de pequenas células.  Cerca de 90% dos casos desta doença estão relacionados ao uso do tabaco, sendo que entre os 10% restantes 1/3 está na lista de fumantes passivos.

 

Sintomas devem ser observados com cautela

 

Perda rápida de peso sem nenhum motivo aparente, tosse (com presença de sangue no escarro), falta de ar, chiado no pulmão e dor no peito são sintomas da doença. Há situações em que o paciente não sente absolutamente nenhum destes sintomas na fase inicial.

 

Diagnóstico

 

O diagnóstico precoce pode ser realizado com o auxílio de exames periódicos. Em casos de suspeitas, o especialista poderá recomendar exames como Raio X simples  e/ou tomografias computadorizadas de tórax e, caso indicado, biopsias de lesões suspeitas.

 

Prevenção

 

De acordo com Morgana Stelzer Rossi, oncologista da Medquimheo, a melhor opção para evitar a doença é evitar o consumo de tabaco. “Além do câncer, a substância é responsável pelo desenvolvimento de mais de 50 transtornos, entre eles: hipertensão arterial, úlcera no sistema digestivo, infertilidade e até complicações na gravidez”, comenta a oncologista.