BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

Câncer de próstata

Novembro-Azul-1.jpg

A campanha Novembro Azul reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. Propõe ao público masculino mudanças de hábitos, acontece anualmente em todo o mundo.  O oncologista Vitor Fiorin destaca que até o final de 2019 são previstos, somente para o Espírito Santo, 1.510 novos casos da doença.

 “O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. O movimento Novembro Azul é extremamente importante, já que é fundamental informar, alertar e conscientizar os homens sobre a doença, para que, assim, os índices de mortalidade dos pacientes possam diminuir ”, acrescenta.

Quais são os fatores de risco do câncer de próstata?

É preciso estar atento aos fatores que podem aumentar as chances de um homem desenvolver o câncer de próstata. Listamos abaixo alguns deles. Confira:

  • Idade: o risco de desenvolver câncer de próstata aumenta com a idade. Segundo dados divulgados pelo Instituto Oncoguia, aproximadamente 80% dos homens são diagnosticados após os 65 anos. São raros casos da doença em homens com menos de 40 anos – quando isso acontece, geralmente, associa-se ao histórico familiar;
  • Histórico familiar: caso o pai, avô ou irmão tenham adquirido o câncer de próstata antes dos 60 anos, aumentam as chances de desenvolvimento da doença; 
  • Sobrepeso e obesidade: ainda de acordo com o Instituto Oncoguia, a obesidade está influenciando, diretamente, na incidência do câncer de próstata. Além disso, o tumor em homens obesos é mais agressivo.

Saiba quais são os sintomas do câncer de próstata

Durante a fase inicial da doença, o câncer de próstata costuma ter a evolução silenciosa e dificilmente apresenta sintomas. No entanto, vale ressaltar 

que, quando apresenta, os mais frequentes são:

  • Dificuldade em urinar;
  • Demora em começar e terminar de urinar;
  • Sangue na urina;
  • Diminuição do jato de urina;
  • Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Já em fase avançada, pode provocar dor óssea e, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Esteja atento às formas de prevenção!

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), as chances de cura do câncer de próstata aumentam em 90% quando a doença é diagnosticada precocemente. A detecção pode ser feita por meio da investigação, com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos. Fazê-la precocemente é uma estratégia para encontrar o tumor ainda em fase inicial e, assim, facilitar o tratamento e a cura.

A melhor forma para prevenir e/ou detectar o câncer de próstata é realizar anualmente, a partir dos 45 anos de idade, o exame de toque retal e o de sangue, para avaliar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Apesar de ser cercado de preconceito e evitado por grande parte dos homens, o toque retal tem uma importância enorme, pois é por meio dele que o urologista consegue perceber a presença de um nódulo e até mesmo sentir a consistência da próstata, podendo, assim, identificar um tumor.

Faça como a Medquimheo e abrace a campanha do Novembro Azul. Separamos mais dois conteúdos sobre câncer de próstata que serão muito úteis a você. Confira:

O tabu existente no exame para prevenção e detecção do câncer de próstata

Câncer de próstata é o mais incidente em homens capixabas


medquimheo_saúde_do_homem_novembro_azul.jpg

O Dia Internacional do Homem é comemorado neste dia 19 em meio ao Novembro Azul, mês de alerta aos cuidados com a saúde do homem e da importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) aponta que este tipo da doença é o mais incidente no Espírito Santo, sendo que a estimativa aponta que 1500 capixabas devem ser diagnosticados com o tumor até o fim de 2018.

Dados ainda apontam que o câncer de próstata é a segundo que mais mata os homens no país, atrás somente do câncer de pulmão. De acordo com a médica oncologista da Medquimheo, Carolina Conopca, a alta taxa de mortalidade desta doença está associada ao diagnóstico tardio.


“A maioria dos casos são assintomáticos, ou seja, quando os sintomas começam a aparecer, a doença provavelmente já se encontra em uma fase avançada. O diagnóstico precoce melhora muito o prognóstico, isso quer dizer que somos capazes de mudar a evolução natural, possibilitando assim a cura.”, explicou.

Prevenção e tratamento

Entre os fatores de risco do câncer de próstata estão a obesidade, aumento da idade e sedentarismo. Ainda há fatores genéticos relacionados a um gene hereditário, passado de pais para filhos.

O tratamento do câncer depende de vários aspectos, principalmente do estágio em que se encontra a doença. Ele pode ser cirúrgico, necessitando de radioterapia e quimioterapia, ou hormonal com bloqueio androgênico, que é quando os hormônios masculinos são bloqueados. Todos os casos devem ser avaliados por uma equipe multidisciplinar de oncologia.

Fonte: Dra. Carolina Conopca – oncologista clínica – CRM: 11.130



Este mês é considerado, mundialmente, como “Novembro Azul”. O movimento tem como objetivo conscientizar à população sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de próstata. De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), esse é o segundo tumor mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Quando descoberto nas fases iniciais, a sobrevida pode ser superior a 90%, em cinco anos. 

De acordo com a Dra. Morgana Stelzer Rossi, oncologista da Medquimheo, existem fatores de risco bem estabelecidos para o câncer de próstata: aumento da idade, origem étnica e predisposição genética. “Sugere-se que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais ajuda a diminuir o risco de câncer. Nesse sentido, outros hábitos saudáveis também são recomendados, como fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar”, orienta.  

Ainda de acordo com a oncologista, cerca de 60% dos pacientes são assintomáticos, e a hipótese de um possível câncer de próstata deverá ser levantada diante de um exame de PSA aumentado. “Nos casos de câncer de próstata sintomático, o paciente se queixa de dificuldade para urinar, jato urinário fraco e sensação de não esvaziar bem a bexiga. Sangramento na urina também pode acontecer, embora seja mais raro. O paciente pode manifestar dores ósseas, como sinal de uma doença mais avançada (metástases). Anemia, perda de peso, adenopatias (ínguas) no pescoço e na região inguinal são outras manifestações da doença”, pontua.

Diagnóstico

A oncologista explica que para o rastreamento do câncer de próstata, os exames indicados são o toque retal e a dosagem do PSA sérico. Homens acima de 50 anos são candidatos a esses exames, à exceção daqueles com história familiar de câncer de próstata, que deverão realizá-los a partir dos 45 anos.

Para o diagnóstico, é necessário realização de biópsia da próstata, quando o toque retal for suspeito ou quando o PSA total estiver acima de 4,0 ou acima de 2,5 em pacientes jovens (abaixo de 55 anos).

Exames complementares, como Ultrassonografia, Tomografia Computadorizada, Ressonância Magnética e Cintilografia óssea são alguns dos exames que podem ser utilizados para avaliação da extensão de doença e planejamento.

A escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e decidida após as definições dos riscos e benefícios do tratamento com o médico.