BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

Campanhas

dia-nacional-de-controle-da-asma.jpg

Celebrado em 21 de junho, o Dia Nacional de Controle da Asma alerta para a importância de manter os cuidados com a saúde do pulmão. Devido ao vírus da Covid-19 causar uma infecção respiratória, esses cuidados devem ser redobrados durante a pandemia. Para celebrar a data, nós, da Medquimheo, preparamos um conteúdo especial com tudo o que você precisa saber sobre asma. Vamos conferir?

O que é asma?

A asma é uma doença pulmonar inflamatória crônica, caracterizada pelo fechamento reversível dos brônquios – tubos que ligam a garganta aos pulmões – por onde passa o ar. Apesar de aparecer em pessoas de qualquer faixa etária, a doença é mais comum em crianças e idosos. Segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Ministério da Saúde,  há cerca de 6,4 milhões de asmáticos no Brasil e a doença é a terceira maior causa de hospitalização no Sistema Único de Saúde (SUS).

Quais são os sintomas da asma?

Os principais e mais comuns sintomas da asma são: falta de ar, chiado, tosse seca e aperto no peito. A grande maioria das crises de asma é precipitada por infecções das vias respiratórias, como gripe ou resfriado. Além disso, elas também podem aparecer durante a prática de exercícios físicos ou após estresse emocional. 

O que causa asma? 

A asma é resultado da integração entre alterações genéticas, como histórico familiar e obesidade, e fatores ambientais e biológicos, como exposição à poeira, pelos, ácaros, infeção viral e variação climática. Vale ressaltar que o tabagismo é um fator de risco da doença, já que a fumaça é um potente irritante das vias aéreas. 

Quais são os cuidados para evitar crises asmáticas? 

Como algumas crises de asma podem ser desencadeadas por substâncias alérgicas – poeira, pelos, mofo – ou irritantes – poluição, fumaça de cigarro, cheiros fortes -, o principal cuidado a se tomar é manter a limpeza dos ambientes, principalmente onde o asmático passa a maior parte do seu tempo. Além disso, evitar contato com substâncias químicas e objetos de pelúcia e manter a casa aberta para entrada de sol são medidas importantes que também devem ser tomadas 😉 

#DicaMedquimheo: consulte um médico especialista sempre que perceber alguma alteração no quadro clínico. 

Como é o tratamento da asma?

Apesar de não ter cura, ao controlar a asma, pode-se viver muitos anos com a doença e a pessoa pode ter uma vida normal e até fazer atividade física. O tratamento da asma deve ser orientado por um pneumologista, mas, normalmente, inclui uso de medicamentos para controlar a asma ao longo do tempo e outros remédios para aliviar rapidamente as crises.

Conheça o blog da Medquimheo!

O nosso blog é recheado de posts incríveis para te manter sempre bem informado. Aproveite mais conteúdos:

Dia Mundial sem tabaco: cuide da saúde pulmonar durante a Covid-19

Hipertensão: causas, sintomas e como prevenir!

Fonte: Ministério da Saúde.


dia-internacional-da-luta-contra-o-cancer-infantil.jpg

Celebrado no dia 15 de fevereiro, o Dia Internacional da Luta Contra o Câncer Infantil, tem o intuito de promover a conscientização para o diagnóstico precoce da doença, o que aumenta em 70% as chances de cura. Para comemorar a data, nós, da Medquimheo, preparamos um post super especial com informações importantes e uma surpresa incrível ao final! Confira!

Quais são os sintomas do câncer infantil?

Em estágios iniciais, os sintomas do câncer infantil podem ser semelhantes a doenças comuns da infância. É exatamente por isso que os pais precisam estar atentos a qualquer queixa de seus filhos.

“Crianças não inventam sintomas e é por isso que os pais precisam estar atentos. Caso notem alguma anormalidade, precisam levar seus filhos para uma avaliação com pediatras. Vale ressaltar que o câncer infantil possui altas chances de cura quando diagnosticado precocemente.”

-Dra. Maria Magdalena

Como é o tratamento do câncer infantil?

Segundo o Instituto Oncoguia, o tratamento do câncer infanto-juvenil é indicado com base no tipo de estadiamento da doença. As opções podem incluir quimioterapia, cirurgia e radioterapia. Em muitos casos, é comum a combinação destas opções.

Como conversar com os filhos sobre câncer?

Dialogar com uma criança ou adolescente sobre um assunto tão delicado quanto o câncer não é uma tarefa fácil, e nós sabemos! Pensando nisso, preparamos algumas dicas que podem ajudar:

  1. Explique com palavras simples e que façam parte do vocabulário deles;
  2. Responda com honestidade todas as dúvidas que forem surgindo;
  3. Caso não saiba responder, diga: “Não sei, mas podemos tentar descobrir a resposta juntos”.

O mais importante é passar segurança e conforto!

Conheça a Vitória!

Para marcar a data, nossa equipe preparou um material exclusivo para as crianças soltarem a criatividade! A Vitória é um personagem que luta contra o câncer infantil e está disposta a alegrar e trazer um colorido especial ao dia de hoje 🙂

Baixe as imagens abaixo, imprima e garanta muita diversão para seu pequeno enquanto ele brinca de colorir e montar looks!

Fonte: Dra. Maria Magdalena Frechiani, oncologista pediatra, CRM ES 1677.


dia-mundial-do-cancer.jpg

Comemorado no dia 4 de fevereiro, o Dia Mundial do Câncer tem como objetivo aumentar a conscientização e educar a população sobre a doença. Para marcar a data, nós, da Medquimheo, preparamos um post especial com tudo o que você precisa saber sobre a campanha. Vamos conferir?

O que é o Dia Mundial do Câncer?

O Dia Mundial do Câncer foi criado em 2005 pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC) com apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS). A data tem o intuito de alertar a população sobre a doença que, entre 2018 e 2019, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), atingiu cerca de 600 mil brasileiros.

O que significa o slogan “Eu sou e eu vou”?

O slogan “Eu sou e eu vou”, tema da campanha de 2019 a 2021, é um apelo ao compromisso pessoal e chama atenção para o poder que uma ação individual tem de impactar o futuro de uma pessoa diagnosticada com câncer.

A luta é de todos

A campanha propõe que todas as pessoas possam contribuir, de alguma forma, na prevenção, identificação de sinais e tratamento do câncer. A data deve mobilizar e inspirar a população!

“Quanto mais pessoas entenderem sobre o câncer, mais a luta para enfrentá-lo se torna equilibrada. Familiares e amigos podem se ajudar e alertar uns aos outros sobre a importância de realizar exames periodicamente, o que pode contribuir para um diagnóstico precoce, por exemplo.”

                                                                                                         – Carolina Conopca

Diagnóstico precoce aumenta as chances de cura

Você sabia que o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura do câncer? De acordo com o Inca, a identificação de tumores em estágios iniciais aumenta essa possibilidade em 80%.

#DicaMedquimheo: não deixe de visitar seu médico! Realizar check ups e consultas médicas na frequência recomendada contribui para a identificação do câncer em níveis iniciais 😉

Gostou do post? Então fique por aqui e confira mais uma sugestão de conteúdo que separamos para você!

Mitos e verdades mais comuns sobre o câncer

Fonte: Dra. Carolina Conopca, oncologista Medquimheo, CRM: ES 11.130.


janeiro-branco-conheça-a-campanha-1200x837.jpg

janeiro 27, 2020 Campanhas0

A campanha Janeiro Branco visa a conscientização sobre a importância de cuidar da saúde mental e emocional. Para pessoas diagnosticadas com câncer, medo e dúvidas são sentimentos comuns e que, se não forem tratados, podem evoluir para doenças como ansiedade e depressão! No post de hoje, nós, da Medquimheo, vamos te explicar tudo sobre a campanha. Confira! 

O que é a campanha Janeiro Branco?

Janeiro Branco é uma campanha totalmente dedicada à conscientização e à prevenção de doenças que afetam a saúde mental e emocional. O objetivo é chamar a atenção das pessoas para questões de ordem psicológica-existencial, incentivando-as a tomarem o início do ano como um ponto de partida para olhar para dentro de si mesmas e pensar sobre suas vidas, seus relacionamentos e suas escolhas. 

Aproveite que 2020 está apenas começando e dedique mais tempo para cuidar da sua mente ao longo do ano! 

Qual a relação entre câncer e depressão?

Segundo o Observatório de Oncologia, até 29% das pessoas diagnosticadas com câncer podem desenvolver depressão. Isso acontece porque os pacientes oncológicos criam uma grande expectativa quanto ao tratamento e a cura, o que contribui para o desenvolvimento destas doenças. 

A depressão é caracterizada por um momento de tristeza duradouro ou repetitivo de grande intensidade. Porém, existem alguns outros sintomas que, somados a essa tristeza, caracterizam a doença e geram sérios prejuízos à saúde. Listamos abaixo alguns deles, confira:

  1. Perda de prazer nas atividades diárias;
  2. Diminuição da capacidade de raciocinar e/ou de tomar decisões;
  3. Lentidão e sensação de fraqueza;
  4. Alterações do sono (insônia ou muito sono);
  5. Alterações do apetite (perda ou aumento da fome);
  6. Isolamento social;
  7. Pensamentos negativos a respeito da doença.

É importante lembrar que alguns dos sintomas dessa lista são efeitos colaterais de tratamentos, como a quimioterapia, e não devem ser confundidos com a depressão. Para isso, o acompanhamento psicológico é fundamental, como ressalta a psicóloga oncológica Gabriela Simmer: 

“Como a quimioterapia por si só já provoca alguns efeitos colaterais como cansaço, desânimo e fraqueza, contar com apoio de um psicólogo neste momento é parte fundamental do processo de tratamento oncológico”.

Quais são os prejuízos gerados para um paciente oncológico depressivo?

Como a depressão causa desânimo e fraqueza, muitos pacientes oncológicos podem deixar de ir às consultas médicas ou às sessões de quimioterapia, o que é extremamente prejudicial para o processo de tratamento do câncer. Além disso, alterações emocionais podem favorecer mobilizações no sistema imunológico do paciente. 

Gostou do post? Então aproveite que descobriu nosso blog e fique por aqui:

Câncer e depressão: entenda a relação

Quimioterapia: 10 dúvidas comuns sobre o tratamento

Fonte: Dra. Gabriela Medeiros Simmer, psicóloga Medquimheo, CRP 16/4402.


importancia-da-doaçao-de-sangue-no-fim-de-ano.jpg

Festas de fim de ano e férias são períodos em que os bancos de sangue e hospitais registram baixa no estoque de sangue disponível. E é exatamente essa a época de maior utilização de sangue! Isso acontece por conta dos elevados índices de acidentes e imprudências no trânsito, entre outros fatores.

Como a doação de sangue fica ainda mais importante no fim de ano, nós, da Medquimheo, preparamos um post para esclarecer todas as suas dúvidas sobre esse gesto de solidariedade.

Por que é importante doar sangue?

Doar sangue é um gesto de solidariedade muito importante, já que com apenas uma doação é possível salvar até três vidas! 

É seguro doar sangue? 

Sim, doar sangue é seguro! Todo o processo de coleta de sangue do doador é feito com materiais descartáveis e de uso único, evitando o risco de contaminação. 

Não se preocupe! Doar sangue não prejudica a saúde do doador. Durante o processo, são coletados menos de 10% do volume total de sangue do seu corpo, o que corresponde a, aproximadamente, 450 ml de sangue. 

Quanto tempo dura a doação de sangue? 

Todo o processo de doação de sangue, que envolve cadastramento, aferição de sinais vitais, triagem clínica, coleta de sangue e lanche, leva cerca de 40 minutos. 

O que é feito com o sangue doado?

Com apenas uma doação de sangue é possível salvar três vidas. Isso só se torna possível porque o sangue coletado sofre separações em laboratório. Assim, ele é dividido em: concentrado de hemácias, concentrado de plaquetas e plasma.

Quem pode doar sangue?

Para ser um doador de sangue é preciso ter entre 16 e 69 anos, ter peso acima dos 50 kg, não estar em jejum e não apresentar histórico de doenças sexualmente transmissíveis pelo sangue. 

Ressaltamos que pessoas entre 16 e 18 anos precisam de autorização dos pais ou do responsável legal.

Quem não pode doar sangue? 

Pessoas com infecções, que tenham passado por procedimentos cirúrgicos recentes e que apresentem histórico de anemia são exemplos de pessoas que não podem doar sangue

Além disso, o doador será avaliado com um questionário e, após a entrevista, o profissional triagista avaliará se poderá ou não fazer a doação de sangue 

Que tal aproveitar o final de ano e presentear quem precisa com sua doação de sangue

Gostou do post? Então fique por aqui e aproveite outros dois conteúdos do nosso Blog que preparamos para você:

Quem pode doar sangue? Descubra todos os requisitos!

Doar sangue: um ato seguro que pode salvar muitas vidas!

Fonte: Alessandra Nunes Prezotti, hematologista – CRM: 6782 ES


Novembro-Azul-1.jpg

A campanha Novembro Azul reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. Propõe ao público masculino mudanças de hábitos, acontece anualmente em todo o mundo.  O oncologista Vitor Fiorin destaca que até o final de 2019 são previstos, somente para o Espírito Santo, 1.510 novos casos da doença.

 “O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. O movimento Novembro Azul é extremamente importante, já que é fundamental informar, alertar e conscientizar os homens sobre a doença, para que, assim, os índices de mortalidade dos pacientes possam diminuir ”, acrescenta.

Quais são os fatores de risco do câncer de próstata?

É preciso estar atento aos fatores que podem aumentar as chances de um homem desenvolver o câncer de próstata. Listamos abaixo alguns deles. Confira:

  • Idade: o risco de desenvolver câncer de próstata aumenta com a idade. Segundo dados divulgados pelo Instituto Oncoguia, aproximadamente 80% dos homens são diagnosticados após os 65 anos. São raros casos da doença em homens com menos de 40 anos – quando isso acontece, geralmente, associa-se ao histórico familiar;
  • Histórico familiar: caso o pai, avô ou irmão tenham adquirido o câncer de próstata antes dos 60 anos, aumentam as chances de desenvolvimento da doença; 
  • Sobrepeso e obesidade: ainda de acordo com o Instituto Oncoguia, a obesidade está influenciando, diretamente, na incidência do câncer de próstata. Além disso, o tumor em homens obesos é mais agressivo.

Saiba quais são os sintomas do câncer de próstata

Durante a fase inicial da doença, o câncer de próstata costuma ter a evolução silenciosa e dificilmente apresenta sintomas. No entanto, vale ressaltar 

que, quando apresenta, os mais frequentes são:

  • Dificuldade em urinar;
  • Demora em começar e terminar de urinar;
  • Sangue na urina;
  • Diminuição do jato de urina;
  • Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Já em fase avançada, pode provocar dor óssea e, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Esteja atento às formas de prevenção!

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), as chances de cura do câncer de próstata aumentam em 90% quando a doença é diagnosticada precocemente. A detecção pode ser feita por meio da investigação, com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos. Fazê-la precocemente é uma estratégia para encontrar o tumor ainda em fase inicial e, assim, facilitar o tratamento e a cura.

A melhor forma para prevenir e/ou detectar o câncer de próstata é realizar anualmente, a partir dos 45 anos de idade, o exame de toque retal e o de sangue, para avaliar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Apesar de ser cercado de preconceito e evitado por grande parte dos homens, o toque retal tem uma importância enorme, pois é por meio dele que o urologista consegue perceber a presença de um nódulo e até mesmo sentir a consistência da próstata, podendo, assim, identificar um tumor.

Faça como a Medquimheo e abrace a campanha do Novembro Azul. Separamos mais dois conteúdos sobre câncer de próstata que serão muito úteis a você. Confira:

O tabu existente no exame para prevenção e detecção do câncer de próstata

Câncer de próstata é o mais incidente em homens capixabas


Outubro-Rosa.jpg

O décimo mês do ano tem uma bandeira: e é rosa! O Outubro Rosa, celebrado anualmente, marca um forte movimento de conscientização sobre a importância da prevenção ao câncer de mama. Tem como principais objetivos: proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento, contribuir para a redução da mortalidade, e alertar a população em geral, principalmente as mulheres, dos fatores de risco e das medidas de detecção precoce. Continue lendo este post e saiba mais sobre o câncer de mama!

Sobre o câncer de mama

O mastologista Dr. Cleverson Gomes Jr. conta que o câncer de mama é um dos tipos de tumor que mais acometem mulheres em todo o mundo. De acordo com dados divulgados pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), somente no Espírito Santo são previstos que 1.130 mulheres sejam acometidas pela doença até o final do ano.

“Desenvolve-se quando ocorre uma alteração de apenas alguns trechos das moléculas de DNA, ocasionando a multiplicação das células de maneira desordenada, o que, consequentemente, dá origem à doença na mama”, explica o especialista.

Atenção aos fatores de risco

O mastologista explica que não existe uma causa específica do câncer de mama. No entanto, indica alguns fatores de risco que podem levar ao desenvolvimento da doença. “Os principais são: idade – mulheres acima dos 40 anos correm um risco maior; histórico familiar – parentes que já apresentaram quadro da doença; elevado consumo de álcool; excesso de peso – principalmente gordura na região abdominal; falta de exercícios físicos e ciclo menstrual – mulheres que começaram a menstruar cedo (antes dos 12 anos) ou que entraram na menopausa após os 55 anos têm risco um pouco maior”, aponta.

A detecção precoce é fundamental

Segundo o Instituto Oncoguia, as chances de cura do câncer de mama aumentam em 95% quando é identificado em seu estágio inicial. Por isso, a detecção precoce é tão importante. “Orientamos que a mulher faça mamografia a partir dos 40 anos como rastreio da doença, para sua detecção ainda antes de surgir algum sinal ou sintoma. Antes desta idade, a observação e a autopalpação das mamas são importantes, sempre que se sentir confortável para tal, no banho ou no momento da troca de roupa, por exemplo. Deve-se procurar por caroços ou ondulações, checar a espessura dos seios e liberação de líquidos pelo mamilo”, recomenda o mastologista.

É importante que as mulheres façam a mamografia após os 40 anos de idade. Este é o exame mais importante na redução da mortalidade pela doença. A autopalpação das mamas também é importante, especialmente em mulheres mais jovens, a fim de conhecer o seu corpo e, detectar quando algo não está normal, ou se algum sinal ou sintoma tenha surgido. Além disso, é essencial que façam visitas regulares ao ginecologista e tenham suas mamas examinadas pelo médico ao menos uma vez ao ano.

Como prevenir o câncer de mama?

Para a prevenção da doença, é preciso controlar os fatores de risco. De acordo com o Inca, estima-se que por meio da alimentação, nutrição e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco da mulher desenvolver câncer de mama. “Evitar o consumo de bebidas alcoólicas e controlar o peso corporal, por meio de uma dieta balanceada e da prática regular de exercícios físicos, são recomendações básicas para prevenir o câncer de mama”, finaliza.


Doação-de-órgãos.jpg

Celebrado no próximo dia 27, o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos tem como objetivo principal conscientizar a população sobre a importância de ser um doador de órgãos. Muito mais do que uma demonstração de empatia e generosidade, essa prática representa, para o paciente à espera do transplante, a única esperança de salvar sua vida. 

O Ministério da Saúde divulgou um balanço sobre a doação de órgãos e tecidos, realizados no país no primeiro semestre de 2018. Dados apontam crescimento de 7% no número de doadores efetivos, em relação ao ano anterior, passando de 1.653 para 1.765 doações. Como o intuito é que aumente cada vez mais, no post de hoje, nós, da Medquimheo separamos tudo o que você precisa saber para se tornar um doador de órgão.

Como ser um doador de órgãos após a morte?

De acordo com a lei nº 10.211, prevista na legislação brasileira, só é possível realizar a retirada dos órgãos para doação – após a morte – com a autorização dos membros da família. Ou seja, caso queira salvar inúmeras vidas, avise a eles desse seu desejo. Não é necessário registrar em documentos ou cartórios, basta que a família atenda ao pedido e autorize a doação de órgãos e tecidos.

Uma outra exigência que merece atenção é em relação ao tipo de morte, que precisa ser encefálica. Isso porque, somente assim os principais órgãos vitais permanecerão aptos para serem transplantados em outra pessoa. Além disso, a pessoa falecida por parada cardíaca pode doar tecidos, como córneas, pele, ossos, tendões e vasos sanguíneos.

Pessoas vivas também podem doar órgãos?

Sim, é possível ser um doador de órgãos enquanto estiver vivo! Para isso, é preciso estar saudável e realizar a doação sem prejudicar sua própria saúde. Ou seja, doar apenas os órgãos que não prejudicarão as aptidões vitais, como um dos rins ou parte do fígado.

Quais órgãos e tecidos podem ser doados?

  • Coração;
  • Pulmões;
  • Fígado;
  • Pâncreas;
  • Intestino;
  • Rins;
  • Córnea;
  • Valvas cardíacas;
  • Pele;
  • Ossos;
  • Tendões. 

Como a Medquimheo busca te manter sempre bem informado, confira outros dois conteúdos do Blog que também podem te interessar:

Quem pode doar sangue? Descubra todos os requisitos!

#DicaDaNutri: alimentação para o doador de médula óssea 


Setembro-Amarelo-1.jpg

Com o objetivo de conscientizar as pessoas ao redor do mundo de que o suicídio é um fenômeno que pode ser evitado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criou o Setembro Amarelo. Ao longo do mês, são realizadas diversas ações que têm como foco a saúde mental. Escolheu-se o mês de setembro em razão do Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, celebrado todo ano em 10 de setembro.

Dados da OMS indicam que nove a cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas. Destacam ainda, que a prevenção é fundamental para reverter a situação. No entanto, apesar de muita gente ter a vontade de ajudar no combate ao suicídio, dificilmente sabem como agir. Afinal, de que forma podemos identificar os sinais para oferecer auxílio a um amigo ou familiar?

Atenção aos sinais de alerta

  • Isolamento;

  • Mudanças marcantes de hábitos;

  • Perda de interesse por atividades de que gostava;

  • Descuido com aparência;

  • Queda do desempenho na escola ou no trabalho;

  • Alterações no sono e apetite.

  • Comportamento de risco

  • Sensação de não ter solução para os problemas

Caso perceba a presença desses sinais e sintomas, recorra ou sugira avaliação psicológica e psiquiátrica.

Outro aspecto imprescindível é evitar o acesso a meios letais, sempre oferecer ajuda, e favorecer a busca de esperança.

Câncer x suicídio: entenda a relação

O diagnóstico de câncer gera impacto físico e emocional significativo no paciente, pois estará diante da possibilidade de finitude de vida e de grandes mudanças decorrentes do tratamento oncológico. Tal cenário contribui para um risco aumentado de suicídio entre pacientes com câncer em relação a população geral.

A importância do Setembro Amarelo

Ainda de acordo com informações divulgadas pela OMS, 32 brasileiros se suicidam diariamente. O dado é ainda mais preocupante quando inserido no contexto mundial, em que a cada 40 segundos, uma pessoa se suicida. Vale destacar que os números são muito maiores, já que nem todos os casos são notificados. Além disso, são estimados que as tentativas superem em, pelo menos, dez vezes o suicídio.

O Setembro Amarelo ajuda a conscientizar as pessoas, por meio da educação. Além de esclarecer e estimular o diálogo, é responsável por quebrar o tabu de um tema tão delicado quanto o suicídio. Esse assunto passa, então, a receber mais visibilidade, gerando maiores chances de combater o problema.

Conheça o CVV!

O Centro de Valorização da Vida (CVV) é uma ONG, que promove apoio emocional e, em muitos casos, previne o suicídio. Já são cerca de 3 mil voluntários, em mais de 110 postos. O serviço é gratuito, funciona 24 horas por dia e nos 365 dias do ano, por meio do telefone 188, chat, e-mail e, até mesmo, pessoalmente.

De forma sigilosa e sem julgamentos, o voluntário do CVV ouve aquele que procura conversar sobre seus sentimentos, desde dores e dificuldades, até alegrias.

Para conhecer melhor esse trabalho, clique aqui!

A Medquimheo apoia o #SetembroAmarelo. Junte-se a nós!

Confira outros conteúdos que também podem te interessar:

Câncer e depressão: entenda a relação!

Psicólogo oncológico: conheça essa especialidade


Câncer-de-cabeça-e-pescoço.jpg

O mês de julho é conhecido como Julho Verde. Mas você sabe por quê? Trata-se de uma campanha realizada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), junto com a Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG Brasil). Tem como intuito principal, conscientizar a população sobre a prevenção dos tumores de cabeça e pescoço, que atingem boca, língua, palato mole e duro, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe, esôfago cervical, tireoide e seios paranasais.

No dia 27 de julho, comemora-se o Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço. Como nós, da Medquimheo, abraçamos esta causa, no post de hoje você confere mais detalhes sobre a iniciativa.

#JulhoVerde

A oncologista da Medquimheo Carolina Conopca, conta que para conseguir conscientizar as pessoas e, assim alcançar o objetivo da campanha, são feitos alertas sobre os fatores de risco do câncer de cabeça e pescoço. “O tabagismo, consumo de álcool, as infecções por HPV e o excesso de exposição solar são alguns deles. A data reforça, também, a importância do diagnóstico precoce”, explica a especialista.

Importância do autoexame

As chances de cura aumentam, significativamente, caso a doença seja detectada no início. Feridas na boca que não cicatrizam há mais de duas semanas ou inchaços no pescoço, que são alguns dos sintomas, podem ser identificados por meio do autoexame.

Outros sintomas do câncer de cabeça e pescoço

Na fase inicial da doença, os tumores costumam ser assintomáticos, ou seja, não apresentam sinais. No entanto, nossa oncologista relata, que, à medida que se desenvolvem, geralmente causam:

  • Dor local;
  • Dificuldade para engolir;
  • Nódulo persistente no pescoço;
  • Lesão na boca que não cicatriza;
  • Rouquidão por mais de três semanas, principalmente em fumantes e consumidores frequentes de bebidas alcoólicas.

A Medquimheote convida a abraçar também a campanha #JulhoVerde.

Aproveite para continuar acompanhando os posts do blog e fique por dentro de informações relacionadas ao câncer.

Fonte: Dra. Carolina Conopca – oncologista clínica – CRM: 11.130